90 Anos de Chico Anysio - A REALIDADE DE UM MITO ( Parte 24 )

16/04/2021

Chico Anysio, assim como vários Humoristas, fizeram parte de uma Geração de Profissionais que tiveram de enfrentar a CENSURA no País. Contou na mesma entrevista de Norma Couri, para a PLAYBOY, sobre a época mais difícil de se fazer Humorismo no Brasil : " Durante a Ditadura, ia pessoalmente a Brasília encenar para os Censores.. (.. ) .."Não estava ali para enganá-los, só queria que Eles não se enganassem. O que está escrito pode ser lido de uma porção de maneiras. Se o censor for um homem traído pela mulher, vai se chocar ao ler uma Piada sobre Traição. Mas não se ela for dita de maneira especial. Salvei 70 por cento dos meus textos assim." (.. ) .."Era horrível. Das piores situações da minha vida. Imagine um auditório onde toda a plateia é composta de Censores. Eu no palco fazendo piada e ele não rindo em hora Nenhuma." (.. ) ".." Mais penoso do que encenar para muitos censores é encenar, num teatro de 400 lugares, para Um Censor Só. Que não ri. Riso, para humorista, é fundamental. É quando respiro. E Riso é Contagiante : um começa a rir e o outro já está rindo. Com a casa vazia, dá até vergonha de rir.. "

Na TV, o Controle do que ia para o Ar era o Mesmo. "..Tirar do Humor o Direito da Crítica é amputar-lhe os dois braços. Trabalhamos amputados muitos anos, mas realizamos um trabalho Bonito e muito Simpático. CHICO CITY foi líder de audiência em Todos os Anos em que esteve no Ar ", lembrou em sua Autobiografia.

A CENSURA acompanhou Chico Anysio por muitos anos. Foi Ela a Responsável por sua saída da Rádio Guanabara, lá atrás, no final da Década de 40. Como já relembrado nesta Retrospectiva sobre Chico, quando a Rádio Guanabara foi comprada pelo político Adhemar de Barros e a conotação da programação teve de ser mudada, iniciou-se uma crise interna, o que fez Chico ir parar na Rádio Mayrink Veiga em 1950.

Anos depois, já na Televisão, O chamado GOLPE DE 64 foi o responsável pela CRISE e QUEDA da TV-RIO. Em sua Autobiografia Chico relembrou um Fato MARCANTE e CURIOSO neste Período :

" Eu tinha de estar na TV-RIO ás Dez da Manhã. Morava perto. Ia a pé pra Televisão. Quando dobrei a Av. Copacabana na direção da Francisco Otaviano, havia uma barricada. Soldados Armados, carros de combate. Eu não tinha ligado a Televisão na Véspera e não lera os Jornais ainda.

- Não pode passar - disse-me o Soldado.

- O que está havendo ?

- Revolução. O país está em revolução.

Era 1 º de Abril, mas não era " Primeiro de Abril". O Clima em volta, até onde a vista alcançava, provava a verdade das palavras do Soldado. Eu quis saber mais. Eu quis tentar um Pouco.

- Eu só quero ir para TV-RIO. Eu trabalho lá.

- Mas não pode passar. Só se o Tenente der Licença.

- E o Exército está a Favor ou Contra o Presidente ?

- Não sei, Só Perguntando ali ao Tenente.

" O Tenente me levou até a Porta da TV-RIO e Eu entrei. Naquele 1° de Abril eu comecei a perceber a Deterioração da TV-RIO. Tudo acontecia ali, defronte a emissora, e o Jornalismo não gravava nada, não perguntava, não fuçava, Omitia-se, apenas. Eu e o Léo Batista vimos, da janela da TV, o então Cel. Montanha tomar Sozinho o Forte de Copacabana. Ele inventou um Nome :

- Você está Contra ou Favor de Fulano ?

- Como ? - Perguntou um Soldado.

- Me dá esse Fuzil.

E assim tomando os Fuzis e os Revólveres de todos e os jogando para um canto, sempre com a Pergunta :

- Você está Contra ou Favor de Fulano ?

" Nem Clint Eastwood seria Capaz daquela Façanha. O General Montanha pode bater no peito e dizer : ' Eu sou o UM do Forte ' porque ele tomou o Forte de Copacabana Sozinho com sua estratégia brasileira.

Nada foi gravado, nada foi filmado, nada foi documentado. A TV-RIO estava a caminho do Fim. Sentia-se isto nas deliberações, nas não-renovações de contratos importantes, nas diretrizes erradas que eram tomadas. Walter Clark brigava sozinho pela manutenção daquele quase império. Era uma casa pequena, mas de grande importância. A TV-RIO era o circo do país e a lona deste circo já apresentava emendas e - pior - muitos furos. Havia goteiras. Eu tinha sido comunista, depois simpatizante e em 64 eu era esquerdista. Humor é coisa que se faz na esquerda. Não existe humor ' de direita '. Os meus textos eram nacionalistas e isso, para ' os homens ', significava ser Comunistão. Eu fazia piadas contra os americanos, que vinham comer de graça no nosso quintal. Isso incomodava. Por isso meu Cunhado, que era Secretário de Saúde do Governador Carlos Lacerda, me telefonou :

- Chico, seu nome está na Lista. É melhor você ir pra casa da sua Mãe, para o Sítio.. dê um jeito de Sumir por uns tempos, porque SEU NOME ESTÁ NA LISTA.

" Agradeci, mas fiquei em casa. Se eles quisessem me encontrar, me encontravam, fosse para onde fosse. Era por volta de 20 de Abril. Eu morava num Apartamento cuja porta era de Vidro. Meus filhos, jogando futebol na sala, haviam quebrado o vidro, e o vidro novo, não era tão Fosco quanto o anterior. Dava para ver se quem estava lá fora era Homem, Mulher, Negro, Padre ou Menino. Eu estava com a minha mulher ( na época, Rose Rondelli ) vendo televisão quando a Campainha tocou. Eram TRÊS MILITARES. Felizmente a Sala era Comprida e deu para respirar fundo várias vezes na caminhada até a Porta. Abri. Ali estavam um SubOficial e Dois Soldados.

- É Aqui que Mora o Sr. Francisco Anysio ?

- Sim, senhor.

- Ele está.

- Sou Eu

- Podemos entrar ?

- Por Favor.

Sentaram- se e me preparei para ser Algemado. O SubOficial foi quem falou :

- Viemos convidá-lo para fazer um SHOW nas Agulhas Negras.

" Fiz Dois Shows. Um para os Soldados e outro para os Cadetes e Oficiais. Estavam Presentes : o General Garrastazu Médici - Comandante da Escola -, o General Costa e Silva - Ministro da Guerra-, e Marechal Castelo Branco - Presidente da Revolução. Disse as mesmas Piadas de sempre, para que não pensassem que o que Eu falava era outra coisa que não NACIONALISMO. Meu Humor de ESQUERDA os divertiu tanto que imagino ter Dissipado ali qualquer Dúvida a respeito da minha CORAGEM. Num manifesto dos Intelectuais que Eu assinei, o Jornal O GLOBO colocou meu Nome em PRIMEIRO LUGAR e isto mais me Implicava. Não liguei para Aquilo. Minha Consciência era o bastante. Eu costumava me definir assim :

- Sou como JESUS : SOCIALISTA CRISTÃO.

Hoje ( 1992 ) vejo que isto é Pretensioso, mas não me envergonho de ser um Homem de Esquerda nem penso que isto seja Perigoso. Sou de Esquerda e sempre me dei bem assim. Inclusive no Futebol, eu jogava com a Camisa número 10. Meia-esquerda. Hoje a Esquerda está acabando, por seu Radicalismo, como o Comunismo acabou, por seu Sectarismo. Meu Nacionalismo, no entanto, continua Intacto. Eu acredito neste País e acho que Meus Netos terão orgulho de ser Brasileiros. "

Não sei o que Chico Anysio pensaria HOJE, se estivesse VIVO. Mas, em 1993, um Ano depois de ter lançado sua Autobiografia com os Relatos Acima, FALOU FRANCAMENTE sobre o que pensava da Política da época e do MOVIMENTO ESQUERDISTA em entrevista para o RODA VIVA, da TV CULTURA.

Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais ) ( @salgkeke2 ).