90 Anos de Chico Anysio - A REALIDADE DE UM MITO ( Parte 33 )

26/04/2021

Nos primórdios da Carreira, na era radiofônica, Chico chegou a ser responsável por TREZE Programas, seja escrevendo, produzindo ou dirigindo. Naqueles tempos, o prazer ainda não existia, nem a experiência, somente o PESO da responsabilidade. Na Rádio Guanabara, fez de tudo : " Com duas semanas de rádio, eu já tinha quatro profissões: locutor, rádio-ator, redator e comentarista esportivo e passei também a receber quatro salários. Logo depois, veio o humor."

Humorista, o grande Prazer de Chico Anysio era ESCREVER. " O Autor escreve melhor quando SABE o que está escrevendo. Aos 17 anos, não havia como escrever tão bem quanto escrevia aos 30, por exemplo. Além da vivência, faltavam-me a segurança, a certeza e o sofrimento. Mas Eu escrevia sempre. Todos os dias, porque escrever é um exercício diário. É preciso escrever, nem que seja para jogar no lixo. Escrever muito. Mais. Sempre. Sem parar. Escrever ficou sendo minha Tarefa mais Amada ", relatou em sua Autobiografia.

Além de Redator nos tempos de Rádio, no Teatro e na TV, e também Roteirista, inclusive para os famosos filmes do tempo das Chanchadas, foi COMPOSITOR, se aventurou algumas vezes como CRONISTA e exercia, como todos sabem, o Ofício de ESCRITOR, sendo Autor de 24 Livros.

Foram INCONTÁVEIS os trabalhos de Chico Anysio como Redator em Programas de Rádio e Televisão. Nos primórdios da Televisão, chegou a trabalhar em emissoras diferentes Simultaneamente. Na TV GLOBO, participava da equipe de Redatores de seus próprios Programas e era o SUPERVISOR DE CRIAÇÃO. Chegou também a escrever alguns Especiais para a Emissora. Fazia Textos para seus Shows e Espetáculos de Humor ( sozinho ou em parcerias ) e, no TEATRO, foi Autor de 7 Peças e responsável pelo Texto/Roteiro de 4 ( A LISTA já Postada por este Blog em >> https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-e-o-teatro ).

Chico estreou como Cronista em 1968, na extinta Revista REALIDADE, da Editora Abril. Em 1969 passou a ser um dos Cronistas do Jornal O PASQUIM, que entrou para a História por suas Publicações Políticas e Satíricas em plena época de CENSURA. Também trabalhou brevemente na extinta revista MANCHETE, da editora Bloch, nos anos 70, onde escrevia Textos/Frases/Pensamentos rápidos na Coluna LEITURA DINÂMICA, junto com várias outras Personalidades.

De Conteúdo mais AMPLO, a extinta Revista MANCHETE, da editora Bloch, trazia Reportagens sobre Atualidades do Brasil e do Mundo, falava sobre Política, e trazia Matérias com as mais diversas Personalidades da Música e da Televisão. Chico Anysio foi um dos artistas Recordistas de Aparições na Revista desde o ano de 1962 até a extinção da revista no ano 2000.

Foram cerca de 68 Matérias com Chico Anysio durante toda a trajetória da Revista, lançada em 1952, e que passou a FOCAR em Chico diversas vezes, a partir de 1962 até o ano 2000. Entre as Matérias/Entrevistas MAIS MARCANTES de Chico na Publicação, estão as Históricas AS PREOCUPAÇÕES DE UM HUMORISTA, escrita por Carlos Lacerda e CHICO ANÍSIO NO PAREDÃO, de Creston Portilho, ambas publicadas em 1970 ( Ambas já Postadas neste Blog ! )

Ainda sobre a Revista MANCHETE, entre os anos de 1991 e 1992, a MARCA Explorou de Todos os Modos o Polêmico Romance de Chico com a ex- ministra Zélia Cardoso de Mello. O Casal foi Recordista de Capas e Matérias na Publicação desde o início do Relacionamento até o Casamento e Nascimento dos filhos.

Também pertencente á Editora Bloch, A Extinta Revista AMIGA - TV TUDO, que era competidora Direta em Vendas com a também extinta CONTIGO !, da editora Abril, foi a Revista de Televisão e Celebridades que mais deu FOCO ao Mestre Chico Anysio, desde 1970.

Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais ) ( @memorialchicoanysio )