90 Anos de Chico Anysio - A REALIDADE DE UM MITO ( Parte 63 )

28/05/2021

O Penúltimo Ano de Vida de Chico Anysio foi o mais Complicado. Desde 1998, foram por volta de 52 Internações por diversos problemas de Saúde decorrentes de sua Enfisema Pulmonar. Em 2010, Chico ficou Internado por 110 Dias no Hospital Samaritano, em Botafogo, Zona Sul do Rio de Janeiro. Em 21 de Março de 2011, finalmente conseguiu se Recuperar e Recebeu ALTA. Durante o período de recuperação, Chico Anysio passou por tratamentos de Fonoterapia para recuperar a Fala e de Fisioterapia, para voltar a Andar. SALOMÉ Ressurgiu na TV, onde semanalmente, em quadro do ZORRA TOTAL conversava com a então Presidente Dilma Rousseff. Tempos depois, voltou a ser Internado por problemas de Infecção Urinária, por 22 Dias. Após esse período, acabou Internado novamente. Três Meses depois, O BRASIL PERDEU O MESTRE DO HUMOR.

Chico deixou inúmeros Projetos Inacabados. Entre eles, um Livro de Receitas, preparado em 2011, a ser Lançado no Ano Seguinte. A ideia inusitada aconteceu após Alta de hospital, onde Chico havia passado o Período de 110 dias internado. Misteriosamente, resolveu Aguçar seu Paladar e testar diversas receitas, que eram preparadas por sua cozinheira, e que, depois de aprovadas, iam sendo catalogadas para o Livro. Na reta final de 2011, Chico voltou a ser internado, vindo a falecer 3 meses depois, em 2012. Entre todos os projetos interrompidos, estavam o livro, que apesar de pronto para ser editado, não foi lançado postumamente.

Ainda em 2011, mesmo bastante debilitado, Concedeu entrevista á jornalista Simone Zuccolotto, que, na época, Produziu e Apresentou o Documentário RIR SEMPRE FOI O MELHOR REMÉDIO, pelo CANAL BRASIL, que trouxe Chico e diversos Profissionais da Comédia, falando sobre HUMOR em Cinco Episódios.

Em 2013, pouco antes de completar Um Ano de seu Falecimento, foi Homenageado no CARNAVAL pela Escola PARAÍSO DO TUIUTI com o tema AO MESTRE DO RISO COM CARINHO : AS CARAS DO BRASIL. Com 1.840 Componentes, divididos em 25 Alas e 230 Ritmistas de bateria Fantasiados como a dupla formada com Arnaud Rodrigues em BAIANO E NOVOS CAETANOS, a Escola Desfilou no Rio de Janeiro em 9 de Fevereiro daquele Ano, relembrando Personagens como PAINHO, AZAMBUJA, COALHADA, PANTALEÃO, SALOMÉ, BOZÓ, entre outros.

De POPÓ a COALHADA, de SALOMÉ a LINGOTE, de GASTÃO a PAINHO, Chico Anysio sempre distribuiu a seus Personagens VISUAIS completamente DISTINTOS e maneiras particulares de LINGUAGEM. Muitas Vezes um Personagem se torna Sucesso imediato junto ao Público pelo Visual do Tipo. Outros, pela Linguagem transmitida, o Modo de se Comunicar. Chico Anysio foi Pioneiro na Televisão, não só pela Quantidade de Tipos criados, mas pelas Características, muitas vezes Detalhadas, de cada um Deles. Outro Componente Essencial eram OS BORDÕES ( já Abordado por este Blog no Antigo espaço PENSAMENTOS SOBRE UM ÍDOLO ).

O BORDÃO, esquema originário do CIRCO e dos tempos em que se fazia Humor em RÁDIO, foi pensado e criado com a intenção de chamar a atenção do público e provocar o Riso fácil. Mas, dependendo do Enredo e do Personagem, acaba se tornando UMA MARCA. Quem consegue pensar em PROF° RAIMUNDO sem dizer " E O SALÁRIO, Ó ! " ? Ou lembrar de PANTALEÃO sem repetir : " É MENTIRA, TERTA ? " ( bordão que inclusive deu origem ao Livro Homônimo de Chico Anysio, lançado em 1973 ) ? Ou ainda, quem nunca deu gargalhadas de NAZARENO paquerando a empregada " gostosona " e humilhando á esposa, entremeando os Diálogos com " CALADA !" ? Chico Anysio, tal qual sua Vasta galeria de Personagens, eternizou incontáveis Bordões, sem deixar que o objetivo da REFLEXÃO fosse ofuscado. Voltando ao PROFº RAIMUNDO, o eternizado " E O SALÁRIO, Ó ! ", por exemplo, era BORDÃO e ao mesmo tempo o INSTRUMENTO da Reflexão.


Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais ) ( @semprefrancisco )