90 Anos de Chico Anysio - A REALIDADE DE UM MITO ( Parte 14 )

05/04/2021

Chico tinha suas Próprias Visões a respeito dessa PROFISSÃO : " Como dependemos dos Diretores ! Nem eles mesmos sabem o quanto são Importantes. O trabalho final é do Diretor. Não há Bom Ator que resista a um Mau Diretor. Um Bom Diretor acerta o trabalho de um Mau Ator. O filme é feito na moviola. O filme está na cabeça do Diretor. Em proporção um pouco menor, o mesmo acontece no Teatro e na Televisão. O Diretor é tão Importante que Laurence Olivier ( Sir, por causa de Shakespeare ) nunca encenou o HAMLET sem contratar um.. (.. ) ..Somente ME DIRIGI por alguns meses, numa das etapas do CHICO ANYSIO SHOW ( Relato em 1992 ). É Péssimo. O Diretor corrige, ajuda, ensina, acerta, acrescenta, amplia, arruma, enfim. Por pior que ele seja, é melhor tê-lo do que fazer sozinho. É Importante, porém, que o Diretor ESCUTE. O trabalho pode ser feito por meio de uma TROCA. O Diretor diz o que quer e como quer, mas não pode obrigar o ator a fazer EXATAMENTE DAQUELE MODO. Ele tem que deixar o ator dizer se se sente mal fazendo assim. Tem que ouvir a opinião do ator. Sempre pode ser conseguido um Acordo. Também acho errado o ator dar muito palpite na Direção. Os dois extremos são errados. Quando há entendimento tudo ocorre melhor. O Diretor tem a cena como quer e o ator a faz como sente, dentro daquilo que o Diretor pediu. Pelo menos comigo tem que ser assim. E Sempre foi. Trabalhei com todos os Monstros Sagrados da Direção e todos eles me deixaram falar :

- Não me sinto bem, fazendo assim. Que tal se... E Eles ou aceitavam ou chegávamos a um acordo. Não me lembro de ter brigado com nenhum.. (.. ) .. Igualmente não dá certo quando o Diretor DEIXA demais. DIRETOR DITADOR é Ruim. DIRETOR SOCIALISTA é Péssimo. O bom Diretor é aquele que encontra o meio-termo. Faz o que o ator gosta, do Modo que ele Prefere. Por isso é Difícil ser Diretor. "

Nos tempos do Rádio, Chico, juntamente com a atividade de redator e rádio-ator, era Diretor. " Eu não trabalhava nos programas que escrevia, porque os dirigia. Não dava para fazer as duas coisas ao mesmo tempo. "

Em se tratando de Televisão, Chico foi Diretor pouquíssimas vezes. Dirigiu a Central de Shows da TV-RIO á convite de Walter Clark, época em que Chico propôs que a emissora fosse uma exclusividade no Ramo Humorístico. Ao mesmo tempo atuava dentro do fenômeno CHICO ANÍSIO SHOW. Na época em que saiu da TV EXCELSIOR pela segunda vez, quando a emissora começou a falir, aceitou o convite do Dr. João Calmon, da TV-TUPI, para assumir a direção do TELECENTRO, a Central de Shows criada pela emissora com o objetivo de competir com a TV RECORD, que naquele período dominava a audiência com seus programas. Mas, absurdamente, as emissoras associadas compravam os programas da RECORD e os colocavam no horário nobre e os seus próprios programas eram postos no ar ás onze e meia da noite. O TELECENTRO acabou não dando certo, mesmo com Chico Anysio tendo aberto mão do Cargo de Direção e indicando José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, para assumir seu lugar.

Além dos já Mencionados trabalhos como Diretor nesta Retrospectiva de 90 ANOS, Chico Anysio dirigiu o Humorista André Damasceno em BAR TCHÊ e João Claudio Moreno em O PIAUÍ É AQUI, ambos em 1996. E em 2006, foi Diretor Geral do Espetáculo 20 ANOS DE CANECÃO, do cantor Elymar Santos, que Se transformou no DVD PROCURA-SE.. 20 ANOS DE CANECÃO, gravado na famosa e extinta casa de Shows do Rio de Janeiro. Chico dirigiu Elymar em outros Shows e, como Compositor, escreveu Repertórios para trabalhos dele.

No Ano de 1995, enfrentando problemas nas cordas vocais, por orientação médica, Chico Anysio pediu á GLOBO que encerrasse a exibição da ESCOLINHA DO PROF. RAIMUNDO. O Programa era diário, e o timbre de Voz do personagem acabou prejudicando e causando um desgaste. O Ideal era Chico ter continuado com o programa uma vez por semana, com meia-hora de duração. Mas Boni ( na época, Diretor Geral da emissora ), não aceitou a proposta. Ficou acertado que Chico estrearia nas noites de Sábado um programa intitulado CHICO AO VIVO.

Após 5 anos ininterruptos, caracterizado apenas de PROF. RAIMUNDO, Chico, que durante esses anos declarou em várias entrevistas NUNCA MAIS fazer esse tipo de programa, com seus vários personagens, acabou ressurgindo na tela protagonizando seus tipos CLÁSSICOS e mais alguns INÉDITOS, criados especialmente para o novo programa. Estrearia logo em Agosto do mesmo ano, mas houve mudanças de planejamento, e só estreou em 06/04/96, já com nome modificado para CHICO TOTAL ( tal qual o nome do programa mensal que Chico realizou pela GLOBO em 1981, mas com formato diferente ).

O Teatro Fênix foi escolhido como o cenário das aberturas do programa, onde Chico apresentava seus Monólogos á platéia, e onde apresentava/comentava os quadros a serem exibidos durante o programa ( gravações de estúdio ). Várias encenações com convidados especiais ( e mesmo algumas do programa ) foram realizadas no próprio Teatro.

CHICO TOTAL tinha 9 quadros Temáticos : JORNAL DO LOBO, CHICO CITY, CHICO ANYSIO SHOW, O MUNDO É DAS MULHERES, BOTECO DO FUMAÇA, SHOW DO GAMA, CAFÉ BOLA BRANCA, VAPT-VUPT e O CONFESSIONÁRIO, além de quadros específicos de Personagens, como as aulas de comédia do PROF. GAVIÃO, as entrevistas com ZELBERTO ZEL e CARETANO ZELOSO e com CLEÓFAS, O MILIONÁRIO, os encontros de DR. ROSSETI E DR. LOGULO e PRIMO RICO E PRIMO POBRE, e ainda as cenas de BENTO CARNEIRO.

Os três primeiros programas tiveram direção de Marcelo Saback e Reynaldo Boury, sendo a direção geral á cargo de Reynaldo. A partir do quarto episódio, Francisco Milani assumiu a direção geral. Bruno Mazzeo, á época com 19 anos de idade, era o roteirista do programa do Pai.

Com redação de Chico Anysio, Ayres Vinagre, Bernardo Guilherme, Bruno Mazzeo, Marcelo Gonçalves, Nani, Paulo Duarte, Péricles de Barros e Ricardo Hofstetter, CHICO TOTAL totalizou 32 episódios.

Diversos nomes de Sucesso da comédia nacional iniciaram suas carreiras trabalhando em CHICO TOTAL, como Ingrid Guimarães, Mônica Martelli, Heloísa Perissé e Eduardo Martini.

CHICO TOTAL teve seu último episódio exibido em 14/12/96. O que era para ser a Despedida do Ano, acabou se tornando, sem querer, a Despedida definitiva. Em 1997, Chico Anysio sofreu um acidente doméstico que fraturou sua Mandíbula, fato que impediu a continuidade do programa. Chico chegou a gravar, mais tarde, alguns episódios, usando uma prótese que ajudava a disfarçar sua paralisia labial, mas não aprovou o resultado final e não permitiu que fosse para o ar. Nessa mesma época veio a decisão pessoal de se mudar com a família para Nova Iorque e, por lá, recomeçar sua carreira como roteirista de filmes. Preocupado com os rumos profissionais dos que estiveram com ele em CHICO TOTAL, planejou a continuação do programa sem ele, apenas quadros variados com os antigos e novos comediantes, ideia que não foi aprovada pela GLOBO, mas que foi, digamos, o " embrião " do que dois anos depois viria a se tornar o ZORRA TOTAL, com Chico Anysio já separado de Zélia Cardoso e restabelecido no Brasil.

Bem antes de CHICO TOTAL e da Época da Mudança para os E.U.A, a Relação com a TV GLOBO já era Complicada. Passado o Episódio sobre o GRUPO ESCOLACHO em 1989, que quase o fez ser Contratado pelo SBT, a sua Decisão de permanecer na emissora e a Consagração da ESCOLINHA, as coisas entre Chico e TV GLOBO não eram nada Fáceis. Polêmico desde Sempre, Chico jamais escondeu Fatos e Sentimentos, e sua Figura Pública sempre foi um " Prato Cheio " para a Mídia, onde vários veículos de Imprensa já Publicaram Reportagens e Entrevistas MEMORÁVEIS com o Mestre. Uma Delas foi em 1994, ao Jornal IMPRENSA, onde em meio a diversos DESABAFOS, ameaçava abandonar a TV GLOBO : " Eu já estive na sala do Boni para falar sobre isso. E falei : o Tipo de Humor que Eu faço é o que Eu sei fazer. Se soubesse fazer outro, Eu até tentaria. Não sei fazer o que o Renato Aragão sabe. Eu não sei fazer o que o pessoal do CASSETA faz. Ou o que a TV PIRATA faz. Eu Criei um Tipo de Humor, sou aquele que faz vários, que faz um Tipo de humor Social.. (.. ) ..Eu acostumei o Público a isso. Eu quero deixar a Globo á vontade. Você não é obrigado a ficar comigo. Eu sei que há uma indenização a ser Paga. Essa indenização é alta, mas Eu estou aberto a qualquer conversa, sem a menor bronca. Não vou ficar magoado. O que Eu não quero é virar um problema, quando durante tanto tempo, eu fui Solução. Não quero ser um Entrave na Programação da Rede Globo.. (.. ) ..Ele ficou Chocado. Até Chorou. Disse : ' é um absurdo você achar isso '. Tentei falar a mesma coisa para o Roberto Irineu Marinho. Passei 40 Dias tentando que Ele me desse 15 minutos. Ele não teve esses 15 minutos para me dar. E acho que não tenho mais o que conversar com o Dr. Roberto, porque Ele já está com problemas demais na cabeça.. (..) ..E como Ele delegou totais poderes aos filhos, Eu achei que era o filho que Eu devia procurar. Procurei, não me recebeu.. (.. ) ..Não estou pensando em Rompimento. Quero uma Definição. Não quero ficar sabendo em Novembro que a Globo não está mais interessada em mim. Quero saber em Agosto, para Eu poder me programar.. (.. ) Se Eu não interessar, entramos num Acordo.. (.. ) Saio numa Boa.. (.. ) ..Posso até voltar depois, se depois a Globo passar a se orientar novamente pela Opinião do Público, e não da Imprensa. Eu não quero Brigar. Perdi a Paciência. "

Em 1996, para além de CHICO TOTAL, o Assunto de Chico Anysio na MÍDIA foi a Estreia do Filme TIETA DO AGRESTE. Foi através de um convite de Cacá Diegues, em 1995, para filmar TIETA, que Chico Anysio passou a se tornar Figura Marcante no meio Cinematográfico. O Papel de Zé Esteves, Pai da Protagonista, Surpreendeu o Público, até então acostumado com a Vertente Cômica que acompanhou Chico a Vida Toda. Rodado em 1995 e Lançado em Agosto de 1996, o Filme rendeu a Chico o Prêmio de MELHOR ATOR COADJUVANTE pela ASSOCIAÇÃO PAULISTA DOS CRÍTICOS DE ARTE. A extinta Revista AMIGA- TV TUDO, da editora Bloch, apontou Chico como o MELHOR ATOR DO ANO na Categoria CINEMA, em sua Lista dos MELHORES DO ANO DE 1996.

Outro Projeto de 1995 lançado em 1996 foi O ANALISTA, abordando de maneira Cômica a PSICANÁLISE e os Traços do Comportamento Humano. " O Livro de Chico Anysio é Bifactual. Une as Polaridades da extrema Hilariedade pela Forma e da séria Gravidade pelo Conteúdo. ", escreveu o Psiquiatra Marcos Gebara, um dos Profissionais convidados a darem seus Pareceres a respeito do 15° Livro de Chico.

Antes, em 1992, havia Lançado sua AUTOBIOGRAFIA, escrita em 1991. SOU FRANCISCO abordou toda a Trajetória Artística do MESTRE, desde o Rádio, passando pelos Trabalhos e as experiências nos Palcos e a Carreira na Televisão. E em 1993 lançou JESUÍNO, O PROFETA, livro com estórias Fictícias criadas por Chico. Contos Reflexivos, inspirados no famoso Personagem do Mestre na Televisão.

Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais ) ( @salgkeke2 ).