Chico Anysio -28 Anos da Estreia de Estados Anysios de Chico City 

03/04/2019

Há exatos 28 anos estreava pela TV Globo ESTADOS ANYSIOS DE CHICO CITY. Em 1991, Chico Anysio queria voltar com CHICO CITY. Mas, dessa vez, transformado em um País, independente do Brasil, com presidente, ministros, moeda própria.. Logo apresentou a ideia ao Boni ( na época, diretor geral da emissora ) : " Começo com a independência, depois faço a eleição, Justo Veríssimo se elege, forma-se o ministério.. E então eu minimizo tudo que acontece no Brasil para o tamanho de CHICO CITY. "


EACC começou muito Bem, mas foi perdendo audiência gradualmente e teve de ser Reformulado. Em sua Autobiografia de 1992, Chico discorre sobre o Programa : " Boni aprovou de tal modo a ideia que a Globo gastou 340 mil dólares na construção de uma cidadezinha nos fundos do estúdio do Renato Aragão.. " .." Tim Rescala fez o hino do novo país e os redatores realizaram um trabalho formidável, com textos irretocáveis. Tudo ótimo. Na teoria. Na prática foi desastroso. O primeiro programa - o da independência - foi um grande sucesso. Até a crítica elogiou. O índice do ibope marcou mais de 40 pontos, numa época em que PANTANAL estava no ar e tirava muitos pontos da Globo e quase matava o SBT. No segundo programa - a eleição - o índice caiu para 34. O terceiro - formação do ministério - bateu 29. O quarto - visita do FMI - deu 25 e o quinto atingiu 19. O público não estava entendendo. Eu cometia o mesmo erro que condenara na TV PIRATA. Não adiantava fazer um programa sobre moratória se ninguém sabia o que isso significava.. "
Chico Anysio já tinha cinco programas PRONTOS e GRAVADOS, quando decidiu procurar Boni : " O programa não está funcionando. Ninguém está entendendo. Ele está saindo elitizado e fora do entendimento popular. Não é isso que o povo quer.. "


" Era a Segunda vez que eu cometia esse erro. No show de teatro CHICO SET já tentara mudar uma coisa a que o público estava habituado.. ..e o erro se tornava maior porque há um ano eu havia alertado para isso em relação á TV PIRATA. " 
Foi quando decidiram reformular o programa para o habitual do que Chico sempre fazia : quadrinho, quadrinho, quadrinho.. 
Chico jogou fora os cinco programas já gravados, e começou os trabalhos de REGRAVAÇÃO de TUDO : " Quase cheguei á exaustão. Cancelei dezenas de shows e consegui dias extras para dar tempo de gravar o necessário. Fiz voltar o Alberto Roberto e outros personagens que estavam fora do programa.. .. O Ibope começou a reagir.. ..O último do ano deu 46 pontos.. ..o que prova que consertei o erro.. A inclusão do kenny Rocha, um personagem country que criei com a valiosíssima colaboração do Carlos Manga, ajudou muito na reta final do ano. "


Sobre esse Programa, OUSO DISCORDAR do Mestre. O PÚBLICO FOI O CULPADO pelo FRACASSO, não O FORMATO do Programa, que, segundo o Chico, na época, as pessoas não estavam entendendo.. Muita gente estava entendendo, SIM ( independente de classe social ou grau de intelectualidade ) toda aquela Satirização Política, que era ÓTIMA e teria ficado MELHOR se tivesse continuidade ! Não estavam eram GOSTANDO daquilo, porque a maioria das pessoas são muito cômodas, se acostumam com uma coisa, e não querem mudanças, não abrem espaço para elas, ou raciocinar sobre elas.. daí o Chico ter Voltado com os costumeiros " quadrinhos ".


EACC conseguiu se recuperar no ibope, mas se perdeu da proposta inicial, por Rejeição do público que, a Meu Ver, pura Preguiça da INTELIGÊNCIA SATÍRICA em troca da COMÉDIA POPULAR. JUSTO VERÍSSIMO, ROMERO GORDI e JOÃO NINGUÉM DA SILVA fizeram com que o programa não perdesse totalmente a IDENTIDADE.
Com uma equipe de 12 redatores, redação final de Roberto Silveira e Eduardo Sidney e direção de Cininha de Paula, Cassiano Filho e Paulo Ghelly, o programa totalizou 32 Episódios. 


Os cenários da novela QUE REI SOU EU ? seriam reaproveitados para as gravações do programa, mas Boni preferiu utilizar o estúdio de Renato Aragão. O Popular ALBERTO ROBERTO ressurgiu em um quadro onde, semanalmente, recebia um convidado especial para fazerem uma cena, dirigida por Da Júlia ( Lúcio Mauro ), onde no final, logicamente, a gravação não saía, devido ás gafes e bobagens do " galã ", que faziam os convidados perderem a paciência e abandonarem o Script.. Fábio Jr., Cláudia Raia, Susana Vieira, Raimundo Fagner, Isabela Garcia, Eva Todor, entre outros nomes participaram do quadro, que passou a Abrir o programa, estrategicamente garantindo a audiência.


De oito a nove personagens se revezavam nos quadros ( além de Alberto Roberto e Justo Veríssimo, os de maior aparição foram SANTELMO, JOVEM, HILÁRIO e POPÓ ), em uma sequencia semanal muitas vezes cansativa, mas que, por outro lado, facilitava o trabalho de Chico Anysio, evitando o acúmulo de cenas, de textos decorados e de trocas de figurinos. Naquela época, além de Chico ter continuado normalmente com a ESCOLINHA DO PROF. RAIMUNDO e com as viagens de shows pelo país, ainda exercia o cargo de Supervisor de Criação do programa OS TRAPALHÕES.


Em Novembro de 1991 Chico já havia iniciado um relacionamento com a ministra Zélia Cardoso, fato que, além de ter mexido com a imprensa e com a opinião pública, ( somado ao desgaste do trabalho ) tornou a conotação política e a permanência do programa no ar desnecessárias. O Programa saiu do ar em 11/12 daquele mesmo ano. 
Foi reprisado entre Abril e Dezembro de 2017 pelo CANAL VIVA e reprisado novamente, sem espaço de tempo, de Dezembro de 2017 a Agosto de 2018, sem grandes repercussões.

Pedro Bismarck no papel de FULÔ, a Primeira-Dama dos ESTADOS ANYSIOS, casada com JUSTO VERÍSSIMO, conseguia arrancar gargalhadas do público por causa do visual extravagante e das respostas contrárias que dava ao marido. O personagem Kenny Rocha, que havia sido criado especialmente para a campanha publicitária da POUPOTECA do BANCO NACIONAL, acabou sendo incluso no programa, numa satirização bem humorada do estilo musical sertanejo que bombava nas paradas no início dos anos 90.

JUSTO VERÍSSIMO, Presidente dos ESTADOS ANYSIOS, foi a base de sustentação de toda a temporada com suas tramas, falcatruas e as situações engraçadas com a secretária Maria Quitéria ( Marilu Bueno ) e o assistente Castor ( Ataíde Arcoverde ), além das provocações com a empregada Rodolfa ( Cléa Simões ) e com a sogra, D. Zelina. JOÃO NINGUÉM DA SILVA, mendigo que costumava invadir a sede da prefeitura para usar o telefone e conversar com alguma Figura Importante da Política ou Celebridade, foi idealizado como um esquema de denúncia e satirização de todas as situações erradas da política no Brasil. OPOSTOS, ambos os personagens eram o RETRATO do que acontecia no PAÍS e foram fundamentais para que o programa não perdesse totalmente a IDENTIDADE.

MARMO CARRARA, o delegado gay de CHICO ANYSIO SHOW, ressurgiu em EACC como um dos candidatos que disputavam á presidência dos ESTADOS ANYSIOS. Depois das eleições, foi perdendo espaço até desaparecer totalmente do programa. ROMERO GORDI era uma sátira ao então ministro do trabalho Rogério Magri, com seu modo de falar e o repetido bordão " No bojo ".. Além de satirizar as questões trabalhistas e financeiras, o personagem fazia rir com as cantadas e insinuações á jornalista Zizinha Bezerra ( Stella Freitas ).

Chico Anysio, do episódio 16 ao 22, participou do programa como ELE MESMO, especialmente para uma campanha publicitária da ANTARCTICA, onde conversava ou discutia satiricamente com algum Personagem Seu, e, ao final, saboreavam a cerveja ( episódios com SILVA, SANTELMO, PAINHO, CALHEIROS, SETEMBRINO, ALBETO ROBERTO e JOVEM ).

Chico Anysio, Lúcio Mauro e a cantora Joanna. O quadro em que Alberto Roberto recebia convidados especiais se tornou o Ápice do programa e garantiu a audiência.

Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora, pesquisadora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais )