Chico Anysio - A Arte de Escrever

24/01/2020

" O Autor escreve melhor quando SABE o que está escrevendo. Aos 17 anos, não havia como escrever tão bem quanto escrevia aos 30, por exemplo. Além da vivência, faltavam-me a segurança, a certeza e o sofrimento. Mas Eu escrevia sempre. Todos os dias, porque escrever é um exercício diário. É preciso escrever, nem que seja para jogar no lixo. Escrever muito. Mais. Sempre. Sem parar. Escrever ficou sendo minha Tarefa mais Amada."

O TRECHO acima, extraído da Autobiografia do Mestre, de 1992, retrata um pouco da Paixão que Chico tinha por ESCREVER. Além de Redator nos tempos de Rádio, no Teatro e na TV, e também Roteirista, inclusive para os famosos filmes do tempo das Chanchadas, foi COMPOSITOR, se aventurou algumas vezes como CRONISTA e exercia, como todos sabem, o Ofício de ESCRITOR, sendo Autor de 24 Livros. 


RÁDIO,  TV e TEATRO

São INCONTÁVEIS os trabalhos de Chico Anysio como Redator em Programas de Rádio e Televisão. Nos tempos de Rádio, houve períodos em que chegou a ser responsável pelos Textos de 13 Programas, além da função de Rádio-Ator ( Vejam ou Revejam em >> https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-e-a-era-do-radio/ ). Já na Era da Televisão, chegou a trabalhar em emissoras diferentes Simultaneamente ( no início dos anos 60 não existia Contratos de Exclusividade ). Na TV GLOBO, participava da equipe de Redatores de seus próprios Programas e era o SUPERVISOR DE CRIAÇÃO. Chegou também a escrever alguns Especiais para a Emissora ( Vejam ou revejam em >> https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-na-tv-globo-muito-mais-que-comediante/). Fazia Textos para seus Shows e Espetáculos de Humor ( sozinho ou em parcerias ) e, no TEATRO, foi Autor de 7 Peças e responsável pelo Texto/Roteiro de 4 ( Vejam ou Revejam em >> https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-e-o-teatro/).

CRONISTA

Chico estreou como Cronista em 1968, na extinta Revista REALIDADE, da Editora Abril. Em 1969 passou a ser um dos Cronistas do Jornal O PASQUIM, que entrou para a História por suas Publicações Políticas e Satíricas em plena época de CENSURA ( Vejam ou Revejam em >> https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-o-cronista/). Também trabalhou brevemente na extinta revista MANCHETE, da editora Bloch, nos anos 70, onde escrevia Textos/Frases/Pensamentos rápidos na Coluna LEITURA DINÂMICA, junto com várias outras Personalidades.

ROTEIRISTA


Foram 21 Trabalhos no período das CHANCHADAS, seja Argumento, Roteiro ou Diálogo ( Vejam ou Revejam em >>https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-e-as-chanchadas/ ). Após o acidente doméstico que fraturou sua mandíbula em 1997 e a mudança com a família para NY, planejou Recomeçar, investindo na Profissão de ROTEIRISTA. Com vários filmes prontos, alguns acordos chegaram a ser feitos, mas, infelizmente, nenhum desses Projetos chegaram a acontecer ( assim como Séries e Novelas que Chico estava preparando em seus últimos anos de Vida, projetos todos recusados pela TV GLOBO !).

COMPOSITOR 

Foram mais de 300 Canções escritas desde os Anos 50 até seus últimos Anos de Vida, gravadas por diversos Nomes Importantes da Música Brasileira. ( Vejam ou Revejam em >> https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-o-compositor/)


OS LIVROS DA CARREIRA

Chico foi Autor de 24 Livros ao Longo da Carreira, entre Contos, Romances, Obras inspiradas em Personagens, Histórias diversas e sua Própria Biografia feita em 1991, lançada pela Editora ROCCO em 1992. 

O Batizado da Vaca - 1972

O Enterro do Anão - 1973

É Mentira, Terta ? -1973

A Curva do Calombo - 1974

Teje Preso - 1975

Feijoada no Copa - 1976

O Tocador de Tuba - 1977

Carapau - 1978

Tem Aquela do... -1978

O Telefone Amarelo - 1979

Tiete do Agreste - 1984

Negro Leo - 1985

A Borboleta Cinzenta - 1988

Sou Francisco - 1992

Jesuíno, o Profeta - 1993

O Analista ( Escrito em 1995 ) - Lançado em 1996

Como Segurar seu Casamento - 2000

O Canalha - 2001

Salão de Sinuca - 2004

Armazém do Chico - 2005

Mesa de Boteco -2005

3 Casos de Polícia - 2008

Fazedores de Histórias - 2010

O Fim do Mundo é Ali - 2011

O Livro É MENTIRA, CHICO ? ( CÓPIA da CAPA do Livro É MENTIRA, TERTA ?, de 1973 ), lançado em 2007, foi uma Parceria com o Cartunista Ziraldo, onde Chico relatou as histórias de Criação de 80 de seus Principais Personagens, com Desenhos de Ziraldo e outros 40 Cartunistas. 



Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora, pesquisadora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais )