Chico Anysio e as Chanchadas

10/05/2019

Chico Anysio com a comediante Nancy Wanderley ( com quem era casado na época e foi sua primeira esposa ) e o comediante Vagareza, em cena no filme EU SOU O TAL, de 1959

Paralelamente ao trabalho no rádio e na televisão, Chico Anysio se dedicava ao cinema. A CHANCHADA foi um gênero cinematográfico existente no Brasil desde os anos 30, mas teve seu auge durante a década de 50 e início dos anos 60. É dentro desse espaço de tempo que Chico contribuiu idealizando, escrevendo, e algumas vezes atuando em filmes. 
A Produtora ATLÂNTIDA, fundada em 1941, foi a grande responsável pela popularização e sucesso desse gênero. Foram 66 filmes, até o fechamento da produtora, em 1962. 

Apesar de Chico, ao longo da carreira ( e também em sua autobiografia de 1992 ), contabilizar ter escrito ( roteiro, argumento ou diálogo ) de 18 chanchadas, na realidade foram 21, trabalhando SOMENTE COMO ATOR em outras 3, totalizando 24 trabalhos : 


- O PRIMO DO CANGACEIRO - 1955 - ( Ator )

- SINFONIA CARIOCA - 1955 - ( Roteirista )

- TRABALHOU BEM, GENIVAL - 1955 ( Roteirista ) ( Dialoguista )

- GENIVAL É DE MORTE - 1956 ( Roteirista ) ( Dialoguista )

- COLÉGIO DE BROTOS - 1956 - ( Colaboração a Haroldo Barbosa como Dialoguista )

- ALEGRIA DE VIVER - 1957 - ( Dialoguista )

- PÉ NA TÁBUA - 1957 - ( Argumento ) ( Roteirista ) ( Dialoguista )

- A BARONESA TRANSVIADA - 1957 - ( Roteirista ) ( Dialoguista )

- HOJE O GALO SOU EU - 1957 - ( Roteirista ) ( Dialoguista )

- GAROTAS E SAMBA - 1957 - ( Argumento )

- RIO FANTASIA - 1957 - ( Roteirista ) ( Dialoguista )

- MINHA SOGRA É DA POLÍCIA - 1958 - ( Roteirista )

- AGUENTA O ROJÃO - 1958 - ( Argumento ) ( Roteirista ) ( Dialoguista )

- O BATEDOR DE CARTEIRAS - 1958 - ( Roteirista )

- O CAMELÔ DA RUA LARGA - 1958 - ( Roteirista )

- GAROTA ENXUTA - 1959 - ( Roteirista )

- ENTREI DE GAIATO - 1959 - ( Argumento ) ( Ator )

- EU SOU O TAL - 1959 - ( Ator )

- MULHERES Á VISTA - 1959 - ( Argumento )

- SÓ NAQUELA BASE - 1960 - ( Roteirista )

- O PALHAÇO O QUE É ? - 1960 - ( Ator ) 

- PEQUENO POR FORA - 1960 - ( Argumento )

- CACARECO VEM AÍ ( que posteriormente mudou de título, passando a se chamar DUAS HISTÓRIAS ) - 1960 - ( Argumento ) ( Ator )

- MARIDO DE MULHER BOA - 1960 - ( Sem Ficha Técnica )

Na Autobiografia SOU FRANCISCO, discorre um pouco sobre o tempo das chanchadas e algumas curiosidades sobre alguns filmes que escreveu : 


" A Chanchada foi, sem sombra de dúvida, o único formato realmente nosso de fazer cinema. Ninguém no mundo fazia aquele tipo de filme : com uma estória romântica como ' pano de fundo ', a comédia em destaque e, entremeando as duas estórias que seguiam paralelas, os números musicais ( geralmente lançamento das músicas de carnaval ) e a indefectível briga no final, na boate. Era uma fórmula que não precisava variar. Ninguém pensava em mudar. O gol era garantido. A crítica malhava todos os filmes. O nome ' chanchada ' foi colocado de modo altamente depreciativo.. ( .. ) " - Mais uma chanchada da Atlântida - diziam os jornais, com deboche. "
" O povo amava esse deboche. As filas eram intermináveis a cada estreia. Mesmo os filmes não nascidos na Atlântida, - que melhor os fazia - eram aquinhoados com excelentes plateias e garantiam sucesso e fama aos seus participantes.. "" ..(.. ) Escrevi ( roteiro, argumento ou diálogo ) de dezoito chanchadas . " COLÉGIO DE BROTOS, do Haroldo Barbosa, para a Atlântida, teve a minha colaboração nos diálogos. Acho que meu nome não faz parte dos créditos porque Haroldo foi quem me pagou do seu próprio bolso o meu trabalho. Não era importante. Trabalhar com Haroldo era bastante. Era com ele que eu estava aprendendo. Ele me ensinou tudo que sei nesta jogada de escrever diálogos. "" Ganhei um bom dinheirinho nesse trabalho de escrever roteiros, argumentos ou diálogos para o cinema. Fiz GAROTA ENXUTA para o Ankito, O BATEDOR DE CARTEIRAS e AGÜENTA O ROJÃO para o Zé Trindade, MINHA SOGRA É DA POLÍCIA para Violeta Ferraz, PEQUENO POR FORA, EU SOU O TAL, HOJE O GALO SOU EU e ENTREI DE GAIATO com Zé Trindade e Dercy Gonçalves.. Mas há coisas a serem contadas a respeito de alguns desses filmes. AGÜENTA O ROJÃO é um deles. Eu estava querendo comprar uma casa na Ilha do Governador e para conseguir isto precisava ganhar um dinheiro por fora. Não aparecia nada. Um dia a empregada me avisou que o Watson Macedo estava na porta da minha casa. Mandei que ela o trouxesse ao escritório e tive o impulso milagroso de ligar o gravador.. (.. ) Deixei o gravador ligado, dentro da gaveta, e o Watson entrou : - Anysio, eu tive uma ideia e quero que você me ajude..Aumentei o volume do gravador, sem que ele percebesse.- Assim como fazemos sempre filmes de carnaval, creio que podemos fazer um filme de São João. O que é que você acha ? Concordei, enquanto vinha á minha cabeça aquela música célebre de São João que diz : " Com a filha de João,Antônio ia se casar,
Mas Pedro fugiu com a noiva, 
na hora de ir pro altar "

" Depois da minha concordância, fui inventando uma estória baseada nessa música.. ( .. ) E fui falando o que me vinha á cabeça. Aqui e ali ele aparteava, adicionando situações ás coisas que eu dizia. Conversamos uns vinte minutos e ele saiu com a certeza de que o argumento ficaria pronto dois dias depois. Imediatamente após a saída dele, liguei o gravador e passei para o papel tudo o que havíamos conversado. A seguir, coloquei tudo nos lugares devidos e, em uma semana, ele tinha o filme escrito e dialogado. "

" ENTREI DE GAIATO deveria ter sido mais um filme com a participação de Wilson Gray. Na véspera da filmagem, Wilson ficou doente e o Tanko me ligou, pedindo que eu fizesse o papel dele. Topei. Era uma pontinha, mas não tinha importância. O importante foi que no primeiro dia de filmagens o Zé Trindade e a Dercy ( astros do filme ) tiveram um desentendimento.
- Não trabalho mais com ela - disse o Zé.
- Com esse cara eu não trabalho mais - disse a Dercy.
J.B Tanko, com uma calma surpreendente, não se abalou. Decidiu que a Dercy filmaria ás segundas, quartas e sextas e o Zé, ás terças, quintas e sábados. E havia um monte de cenas com os dois juntos. Assim o filme foi feito. Os dois filmando em dias separados e, na tela, juntos. Isso é um milagre que só o cinema consegue. Quando você vir o filme, numa dessas retrospectivas que hoje fazem da chanchada, preste atenção no trabalho de relojoeiro que o Tanko realizou. E pensar que esse grande diretor brasileiro é iugoslavo ! "
" Apesar da chanchada ter nascido com Watson Macedo e José Carlos Burle, na minha opinião foi Carlos Manga o principal nome desse gênero de filmes. Trabalhando sempre com o Cajado Filho como roteirista e cenógrafo ( acho que até como figurinista ), Manga dirigiu as mais famosas.. (.. ) O prestígio era merecido, porque acertava todas. .. (.. ) Assisti a algumas filmagens dirigidas por ele e ali aprendi a colocação certa das câmeras, evitando o ' pulo do eixo '. Ninguém ensinou nada para ele. Ele aprendeu vendo e aplicou muito bem o que aprendeu. Não cortar de ' Zé ' para ' Zé ', porque a imagem dá um pulo, por melhor que seja o continuísta. O ritmo, o tempo, tudo ele sabia. Manga é um dos melhores atores deste país. Ele marcava a cena que o Oscarito teria que fazer e o Oscarito nem sempre conseguia fazer tão engraçado quanto ele. A cena que ele mostrava ao Cyll Farney, o Cyll não fazia igual.. (.. )

" Tenho saudades da chanchada. Ela era quem lançava as músicas que o povo cantaria no carnaval. Cantor que não tivesse sua música incluída numa chanchada, podia esquecer : no carnaval não seria executada. Fiz muitas chanchadas e tenho orgulho de todas elas : A BARONESA TRANSVIADA, com Dercy e Othelo, SINFONIA CARIOCA, com Eliana e Trio Irakitã, RIO FANTASIA, igualmente com o Trio e Eliana, ALEGRIA DE VIVER, com John Herbert e Eva Wilma, TRABALHOU BEM GENIVAL e GENIVAL É DE MORTE, com Ronaldo Lupo e MULHERES Á VISTA, com Zé Trindade. Em todos, ou quase todos, Roberto Silveira estava comigo, como, aliás, está até hoje.. (.. ) "

Chico em CACARECO VEM AÍ ( depois rebatizado de DUAS HISTÓRIAS ), filme do qual foi autor do argumento e teve participação especial neste trecho.

Com Zé Trindade e Costinha no filme ENTREI DE GAIATO, também argumento e participação como ator.

Em EU SOU O TAL, trabalhou apenas como Ator convidado.

Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora, pesquisadora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais )