Chico Anysio entrevistado pela Revista PLAYBOY - 1987 ( Conversa NA ÍNTEGRA )

06/09/2020

Em 1987, Chico Anysio concedeu Entrevista á Jornalista Norma Couri, que rendeu uma CONVERSA HISTÓRICA publicada na Edição 148 da extinta Versão brasileira da Revista Masculina PLAYBOY, da editora Abril. Norma, na época, teve de batalhar muito para conseguir entrevistar Chico. 

Eis o REGISTRO dessa Conversa ( que na Revista, rendeu Nada Menos que 11 PÁGINAS !! ).

NESTE DOMINGO, Você Confere a A CONVERSA NA ÍNTEGRA !

Perdeu a INTRODUÇÃO desta Relíquia no Domingo Passado ?? >>  https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-entrevistado-pela-revista-playboy-1987/


PLAYBOY - Por que humorista tem medo de pergunta séria ?

CHICO ANYSIO - Porque todo mundo espera que seja muito engraçado. Eu, por exemplo, não sou ( Risos ). Gozado é o Costinha, mesmo parado.

PLAYBOY - Você não acha graça em muita coisa, não é ?

CHICO - Acho, mas rio pouco. Parece que não estou gostando, mas estou rolando de rir pra dentro. A pior coisa seria ter uma plateia de pessoas iguais a mim.

PLAYBOY - Você economiza riso ?

CHICO - O Meu, sim. Não posso me dar ao luxo de perder 20 minutos do dia para rir. Mas, como vivo do riso dos outros, não faço nada que não ache engraçado.

PLAYBOY - Então você procura graça em tudo, o dia inteiro ?

CHICO - Eu e minha equipe de redatores. Mas, dos 80 textos que chegam ás minhas mãos, sobram 35. Porque ninguém é gênio toda hora nem gozado o tempo inteiro. Humorista tem problemas como qualquer um : o dinheiro não está dando, o aluguel aumentou, o carro foi roubado, a mulher foi embora. Um dia estava entrando em cena e um camarada falou : " Sua irmã morreu ". Diminuí o Show, mandei comprar passagem no último vôo e entrei em cena como de costume. Ninguém percebeu.

PLAYBOY - Essa frieza profissional é comum entre redatores de humor ?

CHICO - Tinha um craque, o Marcus César ( Morreu de infarto há dois meses ). O Filho de 17 anos ficou um ano de leucemia antes de morrer, e o pior é que o que Marcus conseguiu fazer era 80 por cento Bom. Se viesse ruim, eu perdoava.

PLAYBOY - Se todo editor perdoar os textos ruins, sai um péssimo jornal. Não acontece o mesmo com o Humor ?

CHICO - Mas as pessoas vão ler os jornais em suas casas, e eu sempre posso defender o texto com uma acentuação aqui, outra lá. Por isso, durante a Censura da Ditadura, ia pessoalmente a Brasília encenar para os censores.

PLAYBOY - Você driblou muitos ?

CHICO - Não estava ali para enganá-los, só queria que Eles não se enganassem. O que está escrito pode ser lido de uma porção de maneiras. Se o censor for um homem traído pela mulher, vai se chocar ao ler uma piada sobre Traição. Mas não se ela for dita de maneira especial. Salvei 70 por cento dos meus textos assim.

PLAYBOY - Você conseguiu fazer Graça para os censores ?

CHICO - Era horrível. Das piores situações da minha vida. Imagine um auditório onde toda a plateia é composta de censores. Eu no palco fazendo piada e ele não rindo em hora Nenhuma.

PLAYBOY - Foi a situação mais Penosa que você já viveu no Palco ?

CHICO - Mais penoso do que encenar para muitos censores é encenar, num teatro de 400 lugares, para um censor Só. Que não ri. Riso, para humorista, é fundamental. É quando respiro. E Riso é Contagiante : um começa a rir e o outro já está rindo. Com a casa vazia, dá até vergonha de rir.

PLAYBOY - Representar a SALOMÉ para o Presidente Figueiredo, numa festa em Brasília, foi pior ou melhor do que representar para a Censura ?

CHICO - Para os censores eu estava em julgamento. No caso do Presidente Figueiredo, ele estava sendo homenageado.

PLAYBOY - Você aproveitou o momento para mandar algum recado ?

CHICO - Não fui lá para gozá-los. É piada, é o reconhecimento de uma situação pública que, minimizando o drama, não deixa de ser uma homenagem.

PLAYBOY - Em seu Show, as piadas fortes sobre o ex-ministro Delfim Netto são uma homenagem ?

CHICO - ( Sério ) As Piadas acabam até defendendo o Delfim.

PLAYBOY - É também uma homenagem a Sarney, Ulysses e ao Brasil quando você conta a Piada da Mãe de Trigêmeos batizados com esses nomes : o Sarney vive mamando, o Ulysses dormindo e o Brasil todo Borrado ?

CHICO - ( Seríssimo ) É. Fiz Piada até com o Funaro, que é honesto e foi traído pela necessidade de ganhar as eleições. Como faço com o Bresser Pereira, porque é inevitável. Com o Presidente Geisel nunca fiz, não, porque não podia. Mas com o Figueiredo fiz tantas.. E nos cruzamos cordialmente quase todos os dias, porque somos vizinhos.

PLAYBOY - Você gosta do Figueiredo ?

CHICO - Gosto desde o dia em que, tendo Cavalos ( 43 ) na mesma cocheira que ele, assisti a uma cena incrível. Por causa de um entrevero, o cavalariço foi demitido. Aí o Figueiredo foi pra casa, achou que o cavalariço tinha razão, voltou, pediu desculpas e o readmitiu.

PLAYBOY - Quando se encontra com Figueiredo vocês conversam sobre cavalos ou sobre a SALOMÉ ?

CHICO - Cavalos. Só pedi a ele que, se for candidato outra vez, telefone antes para a SALOMÉ. Porque o povo vive pedindo a Salomé, mas ela só tem domínio sobre o Presidente João Batista.

PLAYBOY - O que Ele respondeu ?

CHICO - Disse para Eu falar com o Sarney. Mas com o Sarney não dá. A Salomé foi professora do João Batista. Para o Sarney eu não fiz um quadro humorístico, eu Pintei um quadro, embora não tenha nenhuma pretensão de ser CHICASSO ( Risos ). Chamava-se O SAPATEIRO, para ver se ele consegue botar meia-sola nesse país ( Mais Risos ).

PLAYBOY - Você não criou um Personagem para Sarney ?

CHICO - Criei o CODÓ ( cidade no Maranhão ) o amigo do Presidente. Mas, uma semana antes de estrear, o Renato Aragão ( cearense, como Chico ), botou no ar um ' Amigo do Presidente '. Tomei como Usurpação. Eu não podia fazer a Cópia da Cópia do Renato - ou do redator dele. Foi-se o CODÓ.

PLAYBOY - Sobre o que você conversa com o Figueiredo ?

CHICO - Sobre o sítio dele em Nogueira, sobre o Meu.. Outro dia ficamos papeando 40 minutos, sentados num banco da praia de São Conrado, ele de calção, e eu chegando de uma gravação, todo vestido.

PLAYBOY - Alguém parou ?

CHICO - Todo mundo. Tiraram um monte de fotografias e quando mostrarem a Foto com o Presidente para a família as pessoas vão se tocar : " Gente, esse sujeito aqui não é a cara do Chico Anysio ? ( Risos ).

PLAYBOY - Vocês nunca conversaram sobre Política ?

CHICO - Política não, porque tomo Banho todos os dias... Como vou me meter num assunto desses ? ( Risos ).

PLAYBOY - Soube que você queria ser Prefeito de Maranguape. É verdade ?

CHICO - Eu ? Quero tanto ser Prefeito como representar no Laos ( Risos ). O que aconteceu foi que o Nélson Carneiro veio me convidar para ser candidato a Deputado na Constituinte.

PLAYBOY - Por qual partido ?

CHICO - Sempre fui PMDB, que já foi MDB, que já foi PDT. Sempre votei PMDB no Rio - Miro Teixeira, Moreira Franco.. - porque sou a favor do Rio, e o Rio está mal. O Rio sempre achou Graça em mim, e Eu quero voltar a achar Graça nele.

PLAYBOY - Por que então não aceitou ser Deputado ?

CHICO - Não tinha sentido ser candidato pelo Rio. Minha Alma é Nordestina. Teria de ser candidato pelo Ceará, embora more no Rio desde os 8 anos de idade. Preciso pensar em irrigar o Nordeste, acabar com a fome. Logo vi que não seria Viável : Eu iria para Brasília pensando Sério, e lá ninguém leva nada a Sério.

PLAYBOY - Por isso os políticos vivem cortando quadros dos humoristas ?

CHICO - ( Sério ) Eles não tem esse Poder.

PLAYBOY - O que aconteceu então com o Caio Malufus ( Personagem inspirado no ex-governador de São Paulo, Paulo Salim Maluf ), que custou uma fortuna na sua concepção em 1981 e não foi ao ar ?

CHICO - ( Sério ) Foi uma decisão interna. Claro, já tive cortado um Personagem chamado GANDOLA, porque Gandola é uma jaqueta usada no exército. E também tive de abrir mão de um Chofer chamado JUSCELINO.

PLAYBOY - Qual a pior Censura ?

CHICO - Ainda prefiro o censor que tem medo do chefe em Brasília ao que tem medo do Dr. Roberto Marinho. A pior Censura é a da própria casa.

PLAYBOY - Por exemplo ?

CHICO - A Casa tirou do ar o FERIADO, um Português que não queria trabalhar, se revoltava com a mordomia dos políticos e, cada vez que passava um avião, dizia : " Lá se vai 20 por cento do meu Imposto ". Também tirou do Ar o PAULO JETON, porque não queriam tirar a Força da Constituinte com uma brincadeira prematura. O JETON costumava falar : " Se Brasília fosse uma boa, Niemeyer morava lá ". Eles também acharam que o Assaltante de banco O LAVO O PASSO, entrevistado pela Neide Taubaté, poderia atingir o Olavo Setúbal ( banqueiro e ex-ministro das Relações Exteriores no início do governo Sarney ) quando isso nem havia me passado pela cabeça.

PLAYBOY - Você tirou o ESQUERDINHA por esses mesmos motivos ?

CHICO - O ESQUERDINHA saiu á toa. Fiz o Tipo baseado no Jararaca ( da Dupla Jararaca e Ratinho ), comunista de ouvido, do tipo liquidificador : chacoalha para não deixar nada sólido. ( Risos ). Parecia comunista, mas era anticomunista ferrenho.

PLAYBOY - Você tem algum problema com o Comunismo ?

CHICO - ( Rindo ) Não.. Só fui demitido pelo Dias Gomes. ( Na época, Dias Gomes era assumidamente ligado ao Partido Comunista Brasileiro ). Foi no começo da minha carreira. Mas os motivos eram outros.

PLAYBOY - Quais ?

CHICO - Até hoje não sei. Eu trabalhava na Rádio Clube do Brasil, onde o Dias era Diretor Artístico. Aí o Diretor Geral, Sérgio Vasconcelos, mandou demitir um monte de pessoas. E o Dias me demitiu. Hoje gosto demais dele, mas na época meu contrato não estava nem assinado, a rádio me devia dois meses de salário e andei dizendo que o Dias pagava promessas ( Alusão á sua Obra O PAGADOR DE PROMESSAS, premiada no Cinema com a Palma de Ouro no Festival de Cannes ), mas não pagava salários. ( Risos ).

PLAYBOY - Foi sua primeira demissão ?

CHICO - Não. Tinha sido demitido da Rádio Clube de Pernambuco, quando o Dias me trouxe para o Rio, e também da Mayrink Veiga, em 1950. E no começo da carreira perdi para o Sílvio Santos num concurso para locutor, e em outro para radialista perdi para a Fernanda Montenegro.

PLAYBOY - E isso foi muito ruim ?

CHICO - Foi Ótimo ! Acabei me tornando Locutor da meia-noite ás 3 da manhã na Rádio Guanabara e radioator nas novelas da casa. Era tão principiante que não conseguia dizer minha primeira fala como radioator : " Angelina, como demoras ". Agradeço até hoje o Cachê de 15 Mil Réis ao José Vasconcelos, que falou por mim. ( Risos )

PLAYBOY - O que mais você fez em Rádio ?

CHICO - Fui Locutor de Radiobaile. E Locutor de Futebol, com muito orgulho. E também aquele que fica atrás do Gol e confirma : " Tem razão, a Bola passou pertinho ". ( Risos )

PLAYBOY - Você já era conhecido como Chico Anysio ?

CHICO - Eu não era conhecido como coisa nenhuma. ( Risos ). Me chamavam de Anysio - aliás, até hoje no rádio - e na rua me confundiam com o cantor Anísio Silva. ( Risos ) Um dia não me fiz de rogado e cantei INTERESSEIRA, a pedidos. ( Risos ) Acharam ótimo !

PLAYBOY - Você trabalhou com as estrelas da época, como Emilinha, Marlene e Ângela Maria ?

CHICO - Fui ao Dancing, junto com o cantor Cyro Monteiro, ver se Ângela Maria servia para cantar. Gostei tanto que escrevi um programa para ela durante cinco anos na Rádio Mayrink Veiga. Primeiro foi ÂNGELA MARIA CANTA, depois A PRINCESA CANTA e no final já era A RAINHA CANTA.

PLAYBOY - Você sempre soube que seu Futuro seria esse ?

CHICO - Não. Cheguei a pensar seriamente no Futebol : gosto tanto que já torci pelo Vasco, pelo Flamengo, América e Palmeiras ( Risos ). E no sítio de Piraí construí dois campos para o meu Time Esfria - quando entra o sol, ele sai de Campo ( Risos ). Depois queria ser Criminalista. Mas acabei transferindo tudo para meus Tipos.

PLAYBOY - Quando você descobriu que era capaz de fazer Vozes e Tipos ?

CHICO - Muito pequeno. Era observador, tinha bom ouvido e ótima memória. Pois um dia descobri que podia imitar o jeito e as vozes das pessoas. Voltava do cinema e me via fazendo todas as vozes das ATUALIDADES FRANCESAS (na época, um Jornal de Cinema ). Depois, tinha horror de Matemática - é o medo que o Bresser tem ( Risos ) - , e lá estava Eu arremedando o Professor.

PLAYBOY - Você fica diante do Espelho construindo Tipos ?

CHICO - Não, isso é brincadeira para o ator inglês Lawrence Olivier, que só faz um Personagem por ano. Se o Olivier tivesse que fazer o Popó, o Pantaleão, o Azambuja, o Brazuca, ele faria como Eu faço : olhou na rua, não precisa nem ensaiar no Espelho - está arquivado.

PLAYBOY - O PANTALEÃO foi acusado de ser um Plágio de ALEXANDRE E OUTROS HERÓIS, de Graciliano Ramos: o mesmo Olho torto, a mesma mulher fazendo renda... É Plágio ?

CHICO - Procede ( Risos ). Quem criou o Tipo foi o Arnaud Rodrigues. Eu não tinha lido o Graciliano antes, mas fui ler depois. É genial, porque essa cópia existe em todas as fazendas do Nordeste - aquele Coronel na cadeira de balanço contando histórias para os asseclas em volta, a mulher submissa ao lado. Então, não houve Plágio e sim Coincidência Lógica ( Risos ) Todo humorista já fez um Coronel. O Jô também tem o seu, e agora vou fazer um quadro no programa dele como a Mulher do Coronel ( Mais Risos ).

PLAYBOY - Você e o Jô Competem ?

CHICO - Querem que Eu e o Jô sejamos inimigos, mas jogamos no mesmo time. Jantamos juntos pelo menos uma vez por mês, para desespero dos garçons : o restaurante fecha, e quando nos damos conta tem 100 garçons de braços cruzados esperando a gente sair. Já criei Tipos para o Jô, porque achei a cara dele. E sempre digo que a SALOMÉ era para o Jô.

PLAYBOY - As Comparações não incomodam ?

CHICO - Meu Filho Bruno gosta mais Dele do que de Mim.

PLAYBOY - Você não tem Ciúme ?

CHICO - Eu participei da vinda do Jô para a TV em 1961.. Como poderia ter Ciúmes ? Depois, há muitas diferenças nos nossos programas. O do Jô é mais político, o meu de crítica social. Meus Personagens são pobres, os Dele ricos - e nem poderia deixar de ser : o Jô foi educado na Suíça; Eu, no Ceará. ( Risos )

PLAYBOY - O Jô seguramente é mais dado ao Riso do que Você...

CHICO - É que Gordo Ri mais... ( Risos )

PLAYBOY - Tanto Você como o Jô fazem professoras, gays, profetas, padres. Como Nasce e Morre um Tipo ?

CHICO - Nascer é fácil, morrer é que não morre nunca. Batizou, é pra vida toda. Inclusive porque as pesquisas têm mostrado que o público prefere Sucessos de 15 anos atrás. Foram todos trazidos de volta : Azambuja, Tim Tones, Neide Taubaté, Tavares, Gastão, Popó e Pantaleão. Só não ressuscito quando não dá.

PLAYBOY - Por Exemplo ?

CHICO - O Cel. Limoeiro. A Zélia Hoffman, que fazia a Maria Tereeeeezaaaa ( Imita ), está 15 anos mais velha. Eu também estou, mas o fato de eu estar de cabelo branco até ajuda o Coronel. Não no caso da mulher. E, por gratidão pelo sucesso que tivemos, não colocaria outra em seu lugar.

PLAYBOY - Já aconteceu de você encontrar um Tipo Seu em plena rua ?

CHICO - Muitas vezes. Outro dia fui tomar um cafezinho num bar na rua Inhangá, no Rio, e o Qüem-Qüem me serviu. Nunca havia visto aquele sujeito na vida, mas ele tinha certeza de que o Qüem-Qüem nasceu a partir dele ( Risos ).

PLAYBOY - Alguns Personagens Reais ficaram aborrecidos com seus tipos ?

CHICO - O Hélio Ribeiro. Qualquer locutor de rádio do interior sempre tem seu ídolo na cidade. Acontece com qualquer um - Helen de Lima começou imitando Ângela Maria, Nélson Gonçalves imitava Orlando Silva - e então criei o  Roberval Taylor. Era um Locutor querendo ser o Hélio Ribeiro. Ele não entendeu e se aborreceu muito. A voz era idêntica á dele e, por falta de sorte, ao arrumar a peruca, o Personagem acabou ficando a cara dele também, que eu nem conhecia pessoalmente.

PLAYBOY - Você tenta disfarçar o Personagem ?

CHICO - O PANTALEÃO é a voz do Luís Gonzaga, mas não tem nada a ver com ele. Tanto que não canto com a voz do PANTALEÃO. Também tenho um Personagem com a voz do Silveira Sampaio ( Autor de comédias, Ator e Apresentador de TV nas décadas de 50 e 60, morreu em 1965 ), outro com a do Paulo Francis. Os rostos mudam. Mesmo porque tenho essa gaivota pousada na testa ( Aponta as Sobrancelhas ) que me dá a grande frustração de não poder criar o Tipo Paul Newman ( Risos ).

PLAYBOY - E a Pesquisa para colocar ou tirar Personagens do ar ?

CHICO - O chamado Ibope ? Parece a Piada : quem denunciar um Comunista ganha uma semana de graça em Miami, 10 ganha 15 semanas em Paris, e 20 vai preso, porque conhece Comunista demais ( Risos ). No caso do Ibope, quem conhecer um entrevistado ganha um fusca, 10 ganha um Santana e 20 é um mentiroso ( Risos ).

PLAYBOY - Então você não liga para Ibope ?

CHICO - Não ligo, não. O que não quer dizer que eu não tire o Personagem da programação quando as pesquisas acusam ter chegado a hora.

PLAYBOY - Mesmo quando o Personagem é querido ?

CHICO - Aí, tiro mais rápido ainda, para preservá-lo. Mas não o mato.

PLAYBOY - Você nunca teve problema de Popularidade com o Ibope ?

CHICO - Tive : de Popularidade demais ( Risos ). Isso também atrapalha.

PLAYBOY - Até na Globo ?

CHICO - Na Globo, fazia muito sucesso, em 1969, com o CHICO ESPECIAL, programa mensal, até que a própria Globo o destruiu, introduzindo na mesma semana um programa igual, FAÇA HUMOR, NÃO FAÇA GUERRA, com Jô Soares, José Vasconcelos, Renato Aragão e Agildo Ribeiro. Aí passei a fazer o CHICO CITY, com o esquema de quadros de cidade do interior, que sempre dá certo. Mas tive de mudar umas coisinhas porque O BEM-AMADO, do Dias Gomes, tinhas as irmãs Cajazeiras e eu, um Personagem chamado VALFRIDO CAJAZEIRA, que virou VALFRIDO CANAVIEIRA. Os dois programas tinham muito em comum.

PLAYBOY - Quem veio primeiro ?

CHICO - O BEM AMADO e ROQUE SANTEIRO, que vieram depois, tinham muito a ver com CHICO CITY. Não que o Dias tenha copiado. Só que fiz o CHICO CITY durante anos e anos. Mas em questão de Sucesso, nada deu tão certo como o LINGÜINHA, que tinha formato idêntico a esse EXPRESSO BRASIL, do Dias Gomes, que vai ao ar entre o JORNAL NACIONAL e a Novela.

PLAYBOY - E Por que acabou ?

CHICO - Porque estava dando certo demais ( Risos ) Eram três minutos diários no horário-pudim, a maior audiência já conseguida, e acabou por problemas comerciais : todos os anunciantes queriam seus produtos antes ou depois do LINGÜINHA, e não havia como atender a todos. Assim, ele passou a enfraquecer a grande fatia, habitualmente instalada antes ou depois do jornal e da novela. Com esse argumento, a casa tirou o LINGÜINHA do ar.

PLAYBOY - Ninguém se queixou ?

CHICO - As Crianças do Brasil. Tive propostas para exportá-lo para a TV americana. O LINGÜINHA incomodava até a novela das 8, na qual, em 1971, o herói usava um casaco de couro. Então me pediram para não deixar os bandidos Marajoaras do LINGÜINHA usarem os seus. Em questão de Popularidade, o jornal dava 45 pontos, a novela 48 e o LINGÜINHA 59.

PLAYBOY - Você nunca reclama ?

CHICO - Reclamar de quê ? Não tem outro caso de ator que em 30 anos de carreira se mantém semanalmente no ar.

PLAYBOY - Qual a razão desse Sucesso ?

CHICO - Faço o programa com a maior seriedade, sou advogado do povo e trabalho alegremente - vou numa boa e não resmungo jamais.

PLAYBOY - Tem alguma Superstição ?

CHICO - Não gosto de estrear nada no mês que antecede meu aniversário ( Segundo a Astrologia, é o Inferno Astral de cada indivíduo ). Mas faço anos a 12 de Abril, e é quase impossível querer que a Globo abra sua programação antes de 12 de Março. Mas no Teatro, aí é sagrado. Ou estreio antes de 12 de Março ou depois de 12 de Abril.

PLAYBOY - O seu Show dá certo mesmo na Crise, ou você o adaptou ?

CHICO - O que antes era VIVA A NOVA REPÚBLICA vira ABAIXO A NOVA REPÚBLICA? ( Risos ) Não. Desde 1956 os temas continuam iguais- desemprego, inflação, custo de vida- e sempre achei que crise é bom para a criação. País feliz não tem humorista : eu não conheço um humorista suíço ou dinamarquês.

PLAYBOY - Eu me refiro aos Palavrões : você aumentou a voltagem para atrair mais público ?

CHICO - Faz parte da Vida. : tem horas em que um só palavrão resolve.

PLAYBOY - Alguns colegas seus são contra - por exemplo, o Millôr Fernandes. Isso o incomoda ?

CHICO - Mas quem vai ao meu Show não é o Millôr, é o alfaiate do Millôr. ( Risos ) Depois, há Palavrões e Palavrões. E depende de quem Diz e da forma como Diz. Se é o velhinho POPÓ ( Imita ) - " estou com a Bunda toda molhada " - , então pode. O Palavrão é uma atitude. Feio não é o Cocô, feio é Fome, Desemprego. Depois, o Palavrão é a garantia de que estou dando ao público aquilo que ele não vai ver na televisão. O Palavrão é o Toque debaixo do braço, porque o Riso provocado por ele é quase um Grito, uma Explosão.

PLAYBOY - As senhoras Pudicas se levantam ?

CHICO - Ás vezes sim, mas saem duas e ficam 892. A minha Mãe vê meus Shows e gosta muito. Porque faço tudo com naturalidade. Estou no Teatro há 40 anos, e nada me surpreende.

PLAYBOY - Nada ? Nem um Imprevisto ?

CHICO - Já me aconteceram de sobressalto. Por exemplo, um tropeção ao subir no Palco. Mas a plateia achou que fazia parte do Espetáculo. ( Risos ) E também uma vez, depois de estar nove meses em cartaz no TEATRO DA LAGOA, esqueci o texto no meio do Show. ( Chico tem Memória Prodigiosa ). Saí do palco com naturalidade, perguntei o que vinha depois, voltei e continuei.

PLAYBOY - Ninguém percebe ?

CHICO - Perceberam um dia, numa situação muito engraçada. Estava no TEATRO DA LAGOA fazendo meu Show, quando escutei um barulho enorme vindo lá de trás. Aí um sujeito se levantou e gritou : ' Não interrompe, não, foi a bolsa d'agua da minha mulher ( Grávida ) que rompeu. Ela Riu muito ". Todo mundo Riu, e enquanto o Casal saía para o Hospital Miguel Couto, ali na Lagoa mesmo, gritei : " Se for menino, põe o nome de Francisco. " E continuei o Show. Minutos antes de terminar, o sujeito voltou e, do fundo da plateia gritou : " Não deu pra ser Francisco, é Menina ". ( Risos ) Essas Emoções só o teatro dá. Pena que seja covardia competir com a televisão.

PLAYBOY - Você se refere ao Público ?

CHICO - É. Para um ator conseguir atingir os milhões de espectadores que a televisão dá, costumo dizer que precisa de mais anos do que os 106 garantidos pelo acendedor MAGICLICK. ( Risos )

PLAYBOY - Você não gosta de Cinema ?

CHICO - Definitivamente, não. Tentei fazer uma série com o anti-herói KIKO, que tentaria usurpar o mercado deixado pelo Cantiflas na América Latina. Não deu. No Cinema as coisas são feitas muito lentamente : tira TAKE, bota TAKE, não dá. Gosto de várias na primeira ( Risos ) Já fui Roteirista e Ator, agora chega.

PLAYBOY - Em que Filmes ?

CHICO - Na época das chanchadas, escrevi 18 Roteiros para o Zé Trindade, Oscarito, Trio Iraquitã, John Herbert, Eliana e Dercy Gonçalves. Todos fizeram Sucesso : MULHERES CHEGUEI, A BARONESA TRANSVIADA, ENTREI DE GAIATO, ALEGRIA DE VIVER, COLÉGIO DE BROTOS. Fiz diálogos para o Renato Aragão em CANGACEIRO TRAPALHÃO. Desse Cinema eu gostava, mas depois fui Ator num filme dirigido pelo Zelito ( Viana, seu irmão ), O DOCE ESPORTE DO SEXO, aí já não gostei.

PLAYBOY - O que mudou ?

CHICO - O Cinema da Chanchada tinha a cara do País, era um produto tipicamente brasileiro, sem a menor pretensão de concorrer com REBECA ou O MORRO DOS VENTOS UIVANTES. Dessa linha só restou o Renato Aragão, sem as músicas da Chanchada. O Cinema Novo embarcou na NOUVELLE VAGUE, uma bobagem, não tem nada a ver. Depois da Chanchada, só sobraram os filmes da Marília Pêra.

PLAYBOY - Os filmes mais recentes não lhe agradam ?

CHICO - Tudo é muito lento, muito explicado. Não aprenderam nem a lição do Watson Macedo : o que já foi visto não tem mais que ser contado. Então assisto ao Cinema Nacional e fico angustiado. Imagino que deva acontecer o mesmo com os cineastas nacionais vendo o meu Programa ( Risos ).

PLAYBOY - E qual a saída ?

CHICO - Para mim, o Cinema é uma arte condenada. Em extinção. No Brasil só dá certo quando a gente faz na nossa medida, como em O CANGACEIRO e O PAGADOR DE PROMESSAS. Mas, no fim, tudo se resume a dinheiro e somos um País Pobre - portanto o Cinema não é a nossa linguagem. Se me perguntarem se sou capaz de fazer o melhor Show do mundo, a primeira pergunta que faço é : Qual é a Verba ? Esse é o problema dos cineastas brasileiros.

PLAYBOY - Você inclui aí o Nélson Pereira dos Santos e o Glauber Rocha ?

CHICO - Se o Papel é para o Lima Duarte mas a verba só dá para o cara do posto de gasolina da esquina, então não há Nélson Pereira dos Santos nem Glauber Rocha que dê jeito. Não é com cruzado que se vai brilhar. Ninguém ganha a guerra armado com Gilete.

PLAYBOY - Os cineastas brasileiros não estão convencidos disso, não é ?

CHICO - A METRO vendeu seus estúdios e fez um loteamento. A PARAMOUNT e a TWENTIETH CENNTURY FOX venderam os seus e estão todas sobrevivendo das Séries para a Televisão. Acabou aquele enxame de Ídolos como Clark Gable , Gregory Peck, Bette Davis. O negócio agora é DALLAS.

PLAYBOY - Caiu muito o nível, não é ?

CHICO - DALLAS não leva mais do que cinco dias para ser feito. No Brasil não faríamos em 50 dias. Então é maravilhoso. Depois, eles fazem um carro explodir e explode mesmo. Aqui teríamos que achar um Fusca 63 sem motor, arrumar, botar uma bombinha dentro e fazer puffffffffff ( Risos ). Não adianta. Fomos brilhantes no Rádio, fazemos a melhor Televisão do Mundo, mas no cinema não dá. Não podemos nem nos dar ao luxo de botar um filme na tela sem o Wilson Grey.

PLAYBOY - Ainda há tempo pra recuperar a chanchada ? Não é brega demais para o público de hoje ?

CHICO - Olha, você trabalha ou para conseguir prêmio ou dinheiro. É muito difícil conseguir os dois. O problema é que nossos cineastas só pensam nas Palmas de Ouro, nos Troféus, nos Leões. Mas há outro tipo de Cineasta, como o Renato Aragão, que absorve 13 das 20 primeiras bilheterias do País.

PLAYBOY - Só que é desconsiderado por críticos e intelectuais...

CHICO - Mas é Ele que é praticamente o Dono da Granja Comary em Teresópolis ( um dos bairros mais elegantes da cidade ) ( Risos ). É Ele quem está abrindo um caminho até para a Xuxa, se ela quiser fazer Seriado. Agora, se a Xuxa quiser ganhar prêmio, não conte comigo para assistir o filme.

PLAYBOY - Nunca passou pela sua cabeça fazer um humor intelectualizado ?

CHICO - Não passou, e se passar tiro rápido. ( Risos ) A Intelectualização matou o Humor no Brasil. Não sei de quê os meus netos vão rir.

PLAYBOY - O que acham os Críticos ?

CHICO - Crítico não tem a menor importância. Veja o Oscarito : foi o maior sucesso do País, e muito criticado. Nessa linha estamos muito mais perto de ganhar um Oscar. Pelo menos, fazemos o que ninguém mais faz no mundo. Não adianta querer desafiar o Maguila para uma luta de Boxe, não é mesmo? Sei que não posso competir com o Chaplin, mas o Chaplin também não pode competir com o Charles Bronson em O DESEJO DE MATAR. Se o meu negócio é pagode, não pego em Acordeão. Mas criticar é fácil..

PLAYBOY - Você criticou o Cinema Nacional agora mesmo...

CHICO - Eu disse que não gosto, e mostro por quê. Cinema tem de ser mais rápido. Panorâmica em cinema é um troço absurdo. Filme sem Contraplano não dá. Agora, o crítico de modo geral só critica.

PLAYBOY - Você está do lado da Marília Pêra naquela polêmica contra os Críticos ?

CHICO - Estou do lado da Marília sempre. Não há crítico que possa criticar a Marília. Ou a Fernanda. Ou a Tereza Raquel.

PLAYBOY - E o Chico Anysio ?

CHICO - Para mim também não há Crítico. Se o Paulo Gracindo, o Lima Duarte, a Marília, a Fernanda vierem me criticar, valeu. Mas um José de Oliveira de um jornal qualquer ? Não caio nessa. Nem me sinto melhor por prováveis elogios que ele me faça. Eu já estou fazendo o melhor que posso.

PLAYBOY - E se a crítica partir do Boni ?

CHICO - Aí discuto, argumento. Ele pode me convencer ou Eu convencê-lo.

PLAYBOY - O que acontece normalmente ?

CHICO - O Boni erra pouco. De modo geral respeito a opinião dele, porque Ele é a meu favor. Quando ele diz assim, assim, imediatamente acato. O Daniel Filho idem. Eles vêem o meu trabalho, sabem quanto e como eu trabalho, e criticam do lado de dentro.

PLAYBOY - Uma Pergunta que não poderia faltar...

CHICO - ...quem Eu levaria para uma Ilha Deserta ? ( Risos )

PLAYBOY - Como Você consegue trabalhar tanto ?

CHICO - Simples. Um dia me encontrei com o Juscelino Kubitscheck e perguntei como Ele conseguiu fazer Brasília em tão pouco tempo. E Ele me respondeu : " Simples : fiz Brasília graças a vitamina B12 e á minha disciplina de dormir pouco. " Eu sabia que Chateaubriand ( O Jornalista Assis Chateaubriand, fundador dos Diários Associados ) dormia só quatro horas por noite. Então comecei a me condicionar. Normalmente eu já me deitava fazendo o cálculo das oito horas para acordar. Diminuí primeiro para sete, depois para seis, e finalmente parei nas cinco horas. Ás vezes, quatro. Hoje, acho uma bobagem dormir. Se um sujeito viveu 60 anos e dormiu oito horas por noite, ele só viveu 40 anos, não é ? ( Risos ). A Injeção de B12 eu tomo toda Segunda e Quinta - RUBRANOVA,  a única que não dói. E o resto, mando ver.

PLAYBOY - Com essa Vida agitada, você não se atrapalha ?

CHICO - Uma vez estava no meio de uma temporada de shows, parei para tomar uma cervejinha em Tupã, entrei no carro de novo, peguei a estrada, saltei na porta de um hotel, entrei no quarto, deitei na cama e dormi. Quando acordei não sabia onde estava. Procurei ver a inscrição do cinzeiro, não tinha. Toalha, não tinha. Tentei ver as placas dos carros, mas estava no quarto andar e não dava. Então liguei para a telefonista e perguntei : " Onde é que Eu estou ? " Ela achou que era Piada. Só muito tempo depois consegui saber que estava em Marília. Aí pude relaxar para escrever meu Livro durante o dia, como sempre faço nas temporadas de shows...

PLAYBOY - Como Você começou a Escrever ?

CHICO - Foi por causa do Ricardo Amaral que falou com o Rubem Braga que falou Comigo. Aí começou. Quero escrever mais, porque, embora seja o que dá menos dinheiro, Livro é o que Fica. Mas, se juntar todos os meus 12,não dá um Jorge Amado.. Sem contar o miolo ( Risos ). E se me disserem que James Joyce é melhor não vou me ofender ( Mais Risos ) Escrevo para um cara que não está acostumado a ler, mas daí pode nascer um leitor : o meu Livro é o Canapé que abre o Apetite.

PLAYBOY - Um Criador tão Completo como Você - escreve, interpreta, compõe, canta, pinta - não teve pudor em fazer comerciais da Coca-Cola, por exemplo ?

CHICO - Se era Coca-Cola ou Guaraná em pó do Amazonas, não importa. Importa que era uma homenagem da Coca-Cola, oferecendo seus comerciais para os melhores humoristas do Mundo inteiro, e no Brasil convidaram a mim. Depois pararam de anunciar comigo porque o WASHINGTON, meu Personagem Reacionário, reclamou em cena : " Vocês estão usando essa coisa multinacional... " E eles confundiram o WASHINGTON comigo. O problema é que sou Fiel aos meus Anunciantes. Se fiz comercial para a Coca, jamais farei para a PEPSI ou para o Guaraná. Ou seja, a Coca-Cola me dispensou geral, até para os seus concorrentes.

PLAYBOY - Então você está do lado do Tom Jobim naquela polêmica sobre a venda da música ÁGUAS DE MARÇO para o Comercial da Coca-Cola ?

CHICO - Acho que essas coisas não passam de inveja de quem não fez ÁGUAS DE MARÇO e não a vendeu para a Coca. Um Comercial desses não deixa de ser um reconhecimento Mundial.

PLAYBOY - Com tudo o que Você faz, mais os comerciais, você fica parecido com aquele Personagem do Jô em cima do governador do Rio, Moreira Franco : " Trabalho, trabalho, porque meu Nome é Trabalho". Como seria o Personagem Chico Anysio ?

CHICO - Já criei um igualzinho a Mim. Era um quadro passado na minha casa, com meus filhos, o futebol, um entra-e-sai completo, as compras no Supermercado com minha mulher .. Não parece, mas sou quase igual a um Ser Humano. ( Risos ) Mas o meu Dia é Cronometrado.

PLAYBOY - Não há espaço para a Inspiração ?

CHICO - Inspiração é Lenda. Se ficar esperando por ela, morro de fome. Se eu for a Nova York, a primeira coisa que faço é botar na mala a máquina de escrever.

PLAYBOY - Você não relaxa nunca ?

CHICO - Nunca. Essa é a função do Humorista : o Dentista olha os dentes, o Cabeleireiro, os cabelos, e o Humorista Olha Tudo. Estou Aqui e já saquei Tudo.

PLAYBOY - E como você se diverte ?

CHICO - Lendo Romances Policiais. Já li mais de 5 Mil. ( Risos )

PLAYBOY - Você não dorme, trabalha o dia inteiro, nunca relaxa. Dá vontade de perguntar o que suas Mulheres fazem nesse tempo livre, como na Piada do seu Show ... ( Na Piada, o brasileiro entra no Boteco do Português e começa a provocar, " Ô Manuel, sabes quem foi Deodoro da Fonseca ? Não sabes porque não vais ao Mobral todas as noites como Eu. Sabes quem foi José Bonifácio ? Não sabes; não foste ao Mobral. E o Rui Barbosa ? Viu ? Não sabes.. E o Português : " E tu sabes quem é o Juca Pé de Piano ? Não sabes ? É o Cara que fica com tua Mulher todas as noites enquanto tu vais ao Mobral " )

CHICO - Minhas Mulheres ? Praticamente me chutaram. ( Risos )

PLAYBOY - Por quê ?

CHICO - Devo ser um Chato ( Risos ).

PLAYBOY - Você e o Jô tem fama de namorar as mulheres mais bonitas do Brasil. Por que a Preferência ?

CHICO - Nada, a gente só pega as que sobram do Agildo. ( Risos )

PLAYBOY - Você usa a mesma técnica do Jô para conquistá-las ? Lua Cheia e vinho branco, a chave de um Carro na garagem de surpresa, e um Bolo Gigante para surpreender no Aniversário ?

CHICO - Não tem essa, nem comigo, nem com o Jô. O que acontece é que as mulheres no Brasil estão mal acostumadas : os homens pararam de abrir a porta do carro, de puxar a cadeira, de ascender o cigarro delas. Não há uma supereficiência minha ou do Jô. Há uma deficiência no mercado. Eu e o Jô somos apenas bem educados - Ele na Suíça e Eu no Catete ( Risos ).

PLAYBOY - Há as que reclamam se você faz essas mesuras ?

CHICO - Bobagem.. Mulher já manda, não precisa bancar a feminista. Tem uma Piada que diz assim : " General vai casar, agora vai ver como é bom ser mandado ". E Outra : " O Empregado diz pro Patrão : Minha Mulher me mandou pedir aumento; e Ele : " Vou falar com a minha; se Ela deixar, Eu dou ". Quem manda na Casa é a Mulher. Quem manda no Homem é a Mulher. Querer se Igualar é só colher desvantagens.

PLAYBOY - Você não é Feminista ?

CHICO - Eu ? Feminismo não tem sentido. Ninguém proibiu a madame Curie ( Cientista que em 1898 descobriu os elementos químicos Rádio e Polônio ) ou a Joana D'Arc de serem o que foram. Acho as feministas Equivocadas. Tirando a Jane Fonda, junta tudo e não faz uma Mulher.

PLAYBOY - Você é chamado de Machistão pelas Mulheres ?

CHICO - Pode até ser, mas estou Certo. Mulher é uma coisa esquisita, quer ser igual ao Homem; porém há uma diferença que é a favor Dele : há muitos anos o Homem sabe que Mulher é Bom, mas só agora elas descobriram.

PLAYBOY - Então você é Contra a Mulher Liberada ?

CHICO - Sempre disse que Mulher desacompanhada só vai ao HIPPOPOTAMUS quando não está numa boa. Quem está fica em casa vendo televisão. E depois acho a amizade colorida um absurdo nos dias de hoje. Porque em vez de receber da Mulher um bilhetinho dizendo " até um dia " você pode ler um recado escrito a batom no banheiro : " Bem-Vindo ao Mundo da AIDS ". Tenho pena dos meus Filhos menores, que nem se iniciaram sexualmente.

PLAYBOY - Como se deu a sua Iniciação Sexual ?

CHICO - A minha foi na época da guerra, 1944, 1945. Tudo muito Diferente... Quando ainda se usava as famosas Casas de Mulheres. Era outro mundo. Lembro um dia em que queriam expulsar uma moça do Fluminense porque ela não era mais Virgem.. Hoje, se fizerem isso, o Clube fica vazio. Não havia nem motéis e Eu dividia uma Garçonière ( Um pequeno Apartamento, também conhecido como " Matadouro " ) com um amigo.

PLAYBOY - Sexo melhora com a Idade ?

CHICO - Há uma fase na vida em que só se quer Quantidade. Os jovens em geral trabalham por efeito de Estatística : mais uma marca no Cabo da Espingarda. Isso você supera, e de repente muda de vontade, muda de prazer, e tudo tão naturalmente, como o Repertório do Roberto Carlos : da Primeira música para a Milésima, de SPLISH-SPLASH para EMOÇÕES, mudou de maneira Incrível, mas ninguém notou. Essa é a única vantagem que a Maturidade dá ao Homem. O gosto da Qualidade e a Certeza de errar menos.

PLAYBOY - Quanto ás desvantagens, você se incomoda com os cabelos brancos, as eventuais rugas ?

CHICO - Sou uma Figura Pública, e além de tudo, Comediante. Cabelo branco entristece a Figura; então fui obrigado a pintar meu Cabelo, o que facilitou muito para a televisão, mas me deu um terrível mal-estar. Aí aprendi com o Zé Vasconcelos a usar uma Loçãozinha vagabunda, MÁRCIA, que só se encontra no Rio de Janeiro e deixa o Cabelo levinho, sem aquele mau contato da Tinta.

PLAYBOY - Você faz questão de estar ao lado de mulher bonita para se sentir mais desejado ?

CHICO - Estou convicto de que Homem mais paquerado é o Cafajeste. O Cafajeste e a Bicha. Não me pergunte por quê. Só a Mulher pode responder. Portanto, você não se torna mais paquerado por estar ao lado de uma Mulher Bonita. Se estiver com Caroline de Mônaco até vai inibir as outras mulheres. Então, basta estar ao lado de uma Mulher. Não precisa ser Bonita.

PLAYBOY - Mas você não namorou a Sônia Braga, delírio Nacional ?

CHICO - Foi, gosto demais da Soninha.

PLAYBOY - Na época Ela andou declarando para a Imprensa : " O Chico começou a me mandar flores, e nunca mais me Comeu". Verdade ?

CHICO - É Mentira. Quer dizer.. que Nunca comi. ( Risos ). Mas isso foi no começo da década de 70. A Soninha ainda era HIPPIE; por isso não dava certo. Não a encontro há muito tempo. Ela ficou famosa demais, mas gosto muito dela. Só que não namorei a Sônia porque era Bonita ou deixou de ser.

PLAYBOY - Então você não tem nenhum problema com mulheres, sejam cinquentonas, mais altas, feiosas ou mais velhas ?

CHICO - Mulher de 50 Anos quem gosta é o Pitanguy. As mais altas do que Eu, não gosto não. É uma bobagem, mas não gosto. Insisto para que não usem salto. Mulher Feia é um ponto de vista; e mais velha também. A minha primeira mulher, Nancy Wanderley - na época a maior estrela do Rádio, o maior salário e uma expressão da comédia nacional -, era quatro anos mais velha do que Eu. Eu tinha 20 e ela 24 quando nos casamos.

PLAYBOY - Deu certo o Casamento com uma comediante, como você ?

CHICO - Deu. O problema é que a mulher comediante no Brasil sofre muito, tem que se enfeiar para os outros acharem Graça. Até o Antônio Carlos, pai da Glória Pires, que era um comediante incrível e muito bonito, vivia se enfeiando para não arruinar a Carreira. A Nancy, que foi a única e melhor - nunca houve ninguém como Ela -, acabou abandonando tudo. Mas o Casamento durou 11 anos ( Legalmente, apenas 5 ).

PLAYBOY - Você se casou com algumas das Mulheres mais bonitas do Brasil ( Alcione Mazzeo, Rose Rondelli ) e há quem diga que seu Segredo está no Requinte do relacionamento Horizontal. Verdade ?

CHICO - Deve ser porque Deito e Durmo ( Risos ). Não dou trabalho nenhum. Sou muito quieto com minhas Mulheres. E só saio á noite, ou vou a Boates, quando estou Desquitado.

PLAYBOY - Você é um marido Fiel ?

CHICO - Sou.

PLAYBOY - Sem grandes aberturas para outros relacionamentos ?

CHICO - Não faz parte dos meus Planos.

PLAYBOY - É um marido ciumento ?

CHICO - Podia ser mais. Acho que minhas Mulheres se sentem frustradas. Ou sou Eu que me seguro muito, ou são Elas que não se seguram ( Risos ).

PLAYBOY - E que tipo de Pai você é ?

CHICO - Lá em casa todo fim de semana tem campeonato de botão com as crianças. Os adultos jogam e as crianças ficam em volta. ( Risos ). Sou tão Pai que já sou PÃE. No dia das Mães Exijo Presente.

PLAYBOY - Quantos Filhos ?

CHICO - Cinco. O mais velho, que tive com a Nancy, Luís Guilherme ( Lug ) tem 30 Anos, e o menor, com a Regina, Cícero ( Pingo ), 4. No meio, tenho mais três : Bruno, de 10 ( do casamento com Alcione Mazzeo ) e mais Anysio ( Niso ), de 22, Ricardo ( Rico ), de 17, estes dois da Rose - ainda tinha como meu o Duda, que era só da Rose, mas não o vejo há alguns anos.

PLAYBOY - Por quê ?

CHICO - Ele foi muito injusto, ingrato e indelicado. O Duda era o meu Sexto filho e várias vezes quebrei os galhos dele. Ele foi HIPPIE, vivia no Circuito San Francisco, Sausalito, Lima, e sempre que voltava eu arrumava emprego para ele. Fiz letra para uma música dele, uma vez. Um dia me mandou tomar naquele lugar porque reclamei de uma coisa errada que fez, e me Manquei. Já tenho cinco Filhos, cinco preocupações menores do que ele era. Mas continuo falando com a Rose.

PLAYBOY - Por que todas as suas mulheres acabam trabalhando no seu Programa ?

CHICO - A Nancy já trabalhava na Rádio. Quando casei com a Rose, ela também já trabalhava, e fui Eu que entrei no programa dela - mais tarde, fizemos um quadro na televisão, ela era empregada, eu, o patrão. A Alcione já estava lá e só fiz um Personagem para Ela: a namorada do BOZÓ. A Regina ( Chaves, ex-Frenética ) é que voltou. Mas garanto que não Lancei nenhuma.

PLAYBOY - As ex-mulheres e a atual trabalharam juntas, como Diane Keaton e Mia Farrow no filme A ERA DO RÁDIO de Woody Allen ?

CHICO - A Nancy e a Rose, e a Rose e Alcione, e a Alcione e a Regina trabalharam juntas durante algum tempo.

PLAYBOY - Elas ajudaram Você ?

CHICO - A Nancy já era a Maior quando Eu estava começando. A Rose me deu muita Força para fazer meu primeiro Show, o CHICO ANYSIO SÓ. Ela entrava em Cena para que Eu, um Principiante, não ficasse sozinho.

PLAYBOY - A Rose era tarimbada ?

CHICO - A Rose era Vedete, estrela de Teatro de Revista. Entrava de Maiô no Estúdio, era uma das " Certinhas do Lalau ". ( Stanislaw Ponte Preta, pseudônimo de Sérgio Porto ) Fazia o maior Sucesso. Era outra época, a era do rádio. Eu usava até Bigodinho.

PLAYBOY - E como seus pais nordestinos encararam um desquite e um casamento com uma Vedete de Teatro de Revista ?

CHICO - Com a maior naturalidade. Meu Pai se casou três vezes - Saiu ao Filho ( Risos ). Era um sujeito experiente, passou por muita coisa na vida, fora os 16 Filhos. Era dono de 70 ônibus, que se " queimaram " da noite para o dia. Ficou pobre de repente. E minha Mãe é uma artista. Só não foi de verdade. Tocava piano e tenho uma música com ela, um baião gravado pela Dolores Duran, que foi um Sucesso : NÃO SE AVEXE, NÃO. Uma parceira e tanto. Se ela não topar compor outra comigo, vou ter de convidar o Chico Buarque ( Risos ).

PLAYBOY - Será que Ele aceita ?

CHICO - Ele sempre aceita. Já mandei uma Letra para Ele, que adorou : " Xará, que maravilha de Letra.. " Mas não fez a Música.

PLAYBOY - Vocês são Amigos ?

CHICO - A mulher dele, Marieta ( Severo ) é a melhor amiga da minha Mulher, mas o Chico é uma pessoa difícil, muito tímido e fechado. Não posso dizer que sejamos amigos, como sou do Ziraldo, e isto porque nos vemos pouco, como ele diz ( Risos ). Ou amigo, como do Daniel Filho ou do Carlos Manga - embora com o Manga tenha me indisposto por ele ter condenado a Dorinha Duval antes do Tribunal. Mas acho inacreditável que sejamos dois Artistas Contemporâneos e nunca tenhamos feito nada juntos. Assim como tenho tentado fazer alguma coisa junto com o Lima Duarte e a MESTRA Marília Pêra.

PLAYBOY - Você já tentou fazer música com o Tom Jobim ?

CHICO - Tenho a grande Honra de dizer que o primeiro arranjo do Tom foi em cima de uma música com Letra Minha, CONVERSA DE SOFÁ. Ele tocava no FAROLITO nos anos 50, pegou essa música, fez o Arranjo e deu para a cantora Gilda de Barros gravar. Acho até que foi aí que ele aprendeu a compor, porque descobriu que a música, do Hianto de Almeida, tinha uma sequencia, e foi em cima.

PLAYBOY - Com toda essa História, você se considera um Sujeito de Sorte ?

CHICO - Muita. É por isso que digo pros meus Filhos atores - e são muitos, o Lug, o Niso.. _ que sou Contra essa Carreira.

PLAYBOY - Por quê ?

CHICO - Porque Talento não garante ninguém. É a Sorte que conta. Só a Sorte.

PLAYBOY - E a Crença de que Deus ajuda a quem trabalha ?

CHICO - Tem uma história de um Padre que foi ver uma roça e falou pro Dono : " Mas que beleza esse roçado.. Realmente, Deus e o senhor fizeram um belo serviço" . E o Dono : " Mas o senhor Padre precisava ver isso aqui quando Deus estava sozinho ". ( Risos ). Trabalho ajuda, Talento também, mas tem muita gente de Talento encostada, e outras duvidosas fazendo o maior Sucesso.

PLAYBOY - E por que você é contra a Regulamentação da Carreira de Ator ?

CHICO - Porque artista é classe de exceção. Não pode ser igual a um bancário que bate ponto e vai pra casa às 6. Eu hoje poderia ser almirante; fiz concurso na Marinha e fui reprovado, mas seria almirante. Só duvido que um almirante conseguisse fazer o AZAMBUJA. Então, artista não pode ser julgado, conduzido como profissão normal.

PLAYBOY - Seus colegas não acham que você só defende essa posição por ser Rico ?

CHICO - Acham. Mas, se Eu fosse Rico, não estava trabalhando. Meus colegas também não me consideram artista de teatro, embora trabalhe há 26 anos, e meu banquinho nunca ganhou prêmio de melhor cenário no Prêmio MOLIÈRE. Nunca concorreu.

PLAYBOY - Há guerra contra você ?

CHICO - A classe queria proibir que teatro fosse usado para qualquer coisa que não fosse teatro, quando só Eu, naquele momento, usava teatro para fazer Show : entrei no meio da reunião que decidia esse assunto e disse que o Rio tinha 8 Milhões de habitantes na época, eu usava só 400; portanto, sobravam 7 Milhões 999 mil e 660 pessoas para eles usarem como lhes aprouvesse. Emprego 11 pessoas nos meus Shows e sei que não estou tomando lugar de ninguém.

PLAYBOY - O Jô Soares já revelou quanto ganhava, numa entrevista para PLAYBOY no ano passado - Cz$ 174 mil. Quanto você ganha na televisão ?

CHICO - O mesmo que o Jô. Em torno de Cz$ 500 Mil. Com quatro shows ganho mais do que num mês de televisão, mas a televisão é que me fez, e ao meu público. Não posso nem reclamar, é dos maiores salários da Rede.

PLAYBOY - Onde você aplica ?

CHICO - Em nada. Se pudesse, ganhava só o que gasto. Tenho Mãe, três ex-mulheres e cinco filhos. Tenho um sítio em Piraí e 50 por cento da Casa de São Conrado - esta casa que foi assaltada pelo meu caseiro, num Papel que não seria feito nem pelo AZAMBUJA.

PLAYBOY - De quem são os outros 50 por cento ?

CHICO - São da Alcione. Ela andou declarando em entrevista que abriria mão da parte dela, e que Eu só dava uma colaboraçãozinha. (.. ) (.. ) ..Ainda pago tudo para o Bruno, nosso Filho, incluindo corte do Cabelo, cadarço do Tênis, dentista, aula de natação, colégio, médicos. Tudo. É uma Colaboraçãozinha danada. Eu gostaria de ter uma Colaboraçãozinha dessas.

PLAYBOY - Com a Sorte que você tem, quem sabe ?

CHICO - Só se Eu me casar com o Ney Matogrosso.


Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais )