Chico Anysio entrevistado pela Revista PLAYBOY - 1987

30/08/2020
Em 1987, Chico Anysio concedeu Entrevista á Jornalista Norma Couri, que rendeu uma CONVERSA HISTÓRICA publicada na Edição 148 da extinta Versão brasileira da Revista Masculina PLAYBOY, da editora Abril. Norma, na época, teve de batalhar muito para conseguir entrevistar Chico.

Eis o REGISTRO dessa Conversa  ( que na Revista, rendeu Nada Menos que 11 PÁGINAS !! ).

NESTE DOMINGO, Você Confere a INTRODUÇÃO desta Relíquia !

Uma Conversa Franca e Divertida com nosso maior Criador de Personagens de humor sobre Sarney e Figueiredo, a Arte ( e o Negócio ) de fazer graça, e seus Segredos com as Mulheres. Foi um Carioca nascido em Maranguape, Ceará, que ousou sacudir a tese da preguiça do brasileiro, defendida marotamente tanto pelo Macunaíma, de Mário de Andrade, como pelo Zé Carioca, dos quadrinhos de Walt Disney.
Sério, pouco dado ao riso rasgado, dormindo cinco horas por noite e trabalhando duro as 19 restantes, Francisco Anysio de Oliveira Paula Filho construiu aos 56 anos uma sólida carreira em cima da gargalhada dos outros.
E que Gargalhada. Só na televisão são 30 anos de gargalhadas contínuas atravessando duas gerações. Enquanto o povo ria, Chico trabalhava. Criou 160 Personagens que distribuiu bem-humoradamente por nove shows, uma dezena de peças, duas dezenas de chanchadas para o cinema e duas dúzias tanto de discos como de livros. Um Sucesso.

Entre as músicas está a famosa RANCHO DA PRAÇA ONZE, gravada por Dalva de Oliveira. E, entre os livros, autênticos Best-Sellers. " Suas primeiras edições saem 10 mil exemplares e facilmente ultrapassam os 100 mil ", gaba-se o diretor Paulo Rocco.
Chico descansa trabalhando. Os amigos mais chegados contam que antes de sair para jantar ele pede uns minutinhos. " É pra escrever 18 quadros para a gravação de amanhã ", explica. Quando viaja com seus shows, descansa á tarde, escrevendo livros.
" Mesmo quando vai pedir um sanduíche por telefone, ele acaba criando um tipo com a Voz do Copeiro ", conta um de seus assistentes, Francisco Correa. " E enquanto a plateia gargalha o Chico aproveita para perceber os defeitos do Show", revela o operador de som Neuman que, nem nos tempos das bandas de rock, como o Barão Vermelho, trabalhou com um artista de ouvido tão afinado.

Foi por ironia, e não por preguiça, que Chico Anysio deixou de desbancar o Zé Carioca, espalhando seus Personagens por revistas em quadrinhos, pratinhos, toalhas, camisetas e talcos infantis. " Foi por falta de Dólar " - assim ele diagnostica o fim de sua empresa de merchandising, a CHICO CITY. " Trabalhar em Cruzado é Piada. "
Ator, autor, compositor, narrador de rádio, locutor de futebol, acionista de indústrias de plástico do Nordeste e, nos últimos anos, pintor inveterado, Chico nunca se contentou com Pouco. Nem nas diversões : resolveu gostar de cavalos e quando se deu conta tinha 43 na cocheira. Na vida pessoal multiplicou tudo. Passou por quatro casamentos - com a humorista Nancy Wanderley, a ex-vedete Rose Rondelli, a atriz Alcione Mazzeo e atualmente a ex-Frenética Regina Chaves. Tem cinco filhos homens e quer adotar um sexto Macho. " É mais fácil brincar com menino ", explica. " Dou um soco, ele cai no chão, e por aí vai.. " Ele teve 15 irmãos.

Um deles, o cineasta Zelito Viana, sete anos mais moço, diz que Chico costumava imitar as namoradas dos irmãos. Mas foi um susto para a família quando, aos 18 anos, imitando, começou a receber o dobro do salário considerado normal para um cidadão de meia-idade. " Sua capacidade de trabalho deixa qualquer mouro no chinelo ", conta Zelito. " Um Chico Superdotado desses só aparece na humanidade de 50 em 50 anos. "
Jô Soares, que divide com Chico um Ibope altíssimo, - em torno de 2 milhões e meio de espectadores só em São Paulo, mantendo páreo duro com o FANTÁSTICO -, não hesita : " É o maior artista do Brasil. "

Regina Duarte, que contracenou com Chico como entrevistada de Neide Taubaté, saiu emocionada : " É o ator mais completo que conheço. "

Millôr Fernandes, humorista como Chico, vai mais fundo : " No seu gênero, especificamente o de criador de tipos, é o maior ator do Mundo. "

Jorge Amado, depois da leitura de CARAPAU, garante : " É impossível, mesmo ao crítico mais pernóstico, negar a Chico o lugar que lhe cabe na Literatura Brasileira . "
João Ubaldo Ribeiro faz uma análise intelectual : " Como Flaubert, que afirmou sobre sua mais querida personagem ' Madame Bovary sou Eu ', Chico é todas as suas Personagens, tão Criatura como Criador - um talento Multifacetado.

E José Cândido de Carvalho tem uma frase definitiva : " Como o Pelé, como o café, Chico é hoje uma Instituição Nacional. "

Mas Chico Anysio, rindo do seu jeito, é quem melhor se define : " Sou quase um Ser Humano Normal. "

Para ter esta Conversa franca e divertida com Chico Anysio, PLAYBOY escalou uma repórter com fôlego suficiente para acompanhar o ritmo dele. Nem a entrevista publicada há 10 anos em nossas páginas ( Agosto de 1977 ) valeu de cartão de visitas : Chico, por ser muitos, nunca está por onde passou um minuto antes. Foi um exaustivo trabalho, que se transforma em sombra e água fresca depois de lida a entrevista, feita em menos de cinco horas ( entrecortadas ) pela repórter especial Norma Couri. Eis aqui o seu Relato :

" Nenhum dos Truques aplicados nos entrevistados anteriormente deu certo. Chico conhecia todos. Cancelou telefonemas ou mensagens para o hotel em São Paulo, onde se instalava todas as semanas de Quinta a Domingo para apresentar seu show no PALACE. Contratou assessores incomunicáveis. Acabei assistindo Chico da plateia e fisguei-o no camarim. "

" Cheguei a conclusão de que Chico foge tanto porque é Sedutor demais. Olho no Olho, não seria deselegante com ninguém. Topou a entrevista no dia seguinte, duas horas antes do show. Chegou uma hora atrasado, mas compensou essa falha abrindo todas as portas, dando passagem, puxando a cadeira do camarim, encomendando salgadinhos, papeando antes de dar início á entrevista. Pouco mais de meia hora depois, soou a sineta. Era o toque de recolher "
" No dia seguinte a situação se repetiu. E, pelos meus cálculos, a entrevista terminaria só no ano que vem. Mas acho que Chico desconfiou e cancelou a temporada paulistana. "

" Fui encontrá-lo no Rio de Janeiro, na casa de São Conrado. Por sorte a casa estava em reforma - porém com todas as coisas de Chico em ordem - e pude entrar sem causar suspeitas aos operários. Encontrei um cavalete, cinco dúzias de pincéis arrumados, mais de cem tubos de tintas, quadros com paisagens de cidades históricas brasileiras espalhados pelas paredes e centenas de pastas empilhadas em um canto com os nomes : Popó, Professor Raimundo, Coronel Limoeiro, Qüem-Qüem, Tim Tones, Coalhada, Justo Veríssimo...

" Chico chegou e teve a surpresa. Vinha para pintar, encontrou o que mais temia : jornalista no pedaço. Mas jornalista de mala, recém-chegada de São Paulo. E eu já sabia - Chico é um cavalheiro. Gentilíssimo, nem alto nem baixo, nem magro nem gordo, nem feio nem bonito, tornou-se apaixonante. Entabulou conversa de quase duas horas, aparentemente esquecido de que havia um gravador ligado. "

" Depois me conduziu em seu Monza preto, aumentado quase como uma limusine, ao apartamento onde mora temporariamente na praia de São Conrado. "

" Fica num conjunto de prédios que o carioca habituou-se a chamar de A GAIOLA DAS LOUCAS. Porque nele convivem pacificamente o ex-presidente João Figueiredo, a cantora Gal Costa, o todo-poderoso da Rede Globo José Bonifácio de Oliveira Sobrinho ( Boni ), além do filho do Dr. Roberto Marinho, João Roberto, e Gilberto Gil. Uma festa global nacional. "

" Foi aí que o Chico saiu de circuito por um mês. Fui desembocar no estúdio TYCON, na Barra da Tijuca, onde grava seus quadros para o CHICO ANYSIO SHOW. Mas o Chico, não vi. Vi a Neide Taubaté, o Painho, o vampiro Bento Carneiro. Como eles não me conheciam, não falaram comigo. Ao virar Ele Mesmo, Chico fugiu em menos de três minutos do estúdio, onde estava desde o começo da  tarde, e já passava das 8 da Noite. "

" Só voltei a encontrá-lo em Bauru, interior de São Paulo, onde esticava sua temporada de shows. Ali, assistindo ao show pela terceira vez - cada vez melhor ! - fui literalmente dispensada. Chico sugeriu :

- Olha, fazemos um Trato : Você entrevista a Neusinha Brizola e Eu Poso Nu, está bem ? Porque, se eu tivesse esse tempo todo que você quer, escreveria mais um livro.
" Assim mesmo conduziu-me ao camarim, que trouxe do Rio de Janeiro, - incluindo o banheiro desmontável, os espelhos, a cadeira confortável onde me sentei - junto com o palco e o famoso cenário só com o banquinho, em cima do qual ele se torna o rei da noite. "

" Foi ali que consegui o que faltava, atingindo com uma flechada certeira o peito do cavalheiro Chico: contei que havia feito uma viagem péssima de São Paulo a Bauru. Num certo momento, o avião começou a balançar tanto que todos os passageiros se puseram a rezar em conjunto, temendo a Morte. ' A minha causa mortis ia ser o Chico Anysio ', avisei.

" Quando a plateia de 800 lugares repletos do BAURU TÊNIS CLUBE aplaudiu Chico de pé, apesar dos 109 Palavrões que recheiam sua hora de show, lembrei-me das palavras de Jô Soares : ' Chico é a pessoa mais generosa que conheço '. E do irmão Zelito : Com seu primeiro salário, aos 16 anos, Chico comprou minha primeira bicicleta, e não posso esquecer que ele Apanhava em meu lugar quando eu quebrava os vasos lá de casa. "

" Tenho a impressão de que foi por generosidade - solidário com a minha aventura aérea em pleno Dia da Pátria - que Chico Anysio resolveu conceder a parte final da entrevista mais Genial dos últimos Meses. "

" Como consigo trabalhar tanto ? Primeiro, diminuí as horas de sono para sete, depois para seis, e finalmente para cinco. Se um sujeito viveu 60 Anos e dormiu oito horas por noite, na verdade só viveu 40 Anos. "

" Não há uma Supereficiência minha ou do Jô Soares para Conquistar as Mulheres. Há uma deficiência no mercado. É que os homens pararam de abrir a porta do carro, de puxar a cadeira, de acender o cigarro para elas. " 

" Fiz piada com o Funaro, que é Honesto, como faço com o Bresser, porque é inevitável. Com o Geisel nunca fiz : não podia. Mas com o Figueiredo fiz tantas.. E nos cumprimentamos cordialmente todos os dias. "

Confira a ENTREVISTA Completa, NA ÍNTEGRA, no próximo Domingo, Aqui no Blog !

Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais )