Chico Anysio - O Pai

09/08/2019

Sério, Liberal, Carinhoso, Protetor, Linha Dura, Coruja.. Há Diferentes ESTILOS de PAI, ou ainda PAIS que são uma mistura de várias características. Chico Anysio, no Papel de PAI poderia se resumir a uma única palavra : AMOROSO ! Já assisti/li diversas entrevistas de Chico e também de seus filhos, falando sobre Paternidade, e AMOR, no seu sentido mais GENUÍNO, é uma das coisas mais convictas que se percebe nessas conversas/depoimentos. Alguns de seus filhos já chegaram a declarar publicamente que Chico, de tão Amoroso e Amigo, reclamava quando não era Parabenizado no DIA DAS MÃES !!


Chico, ao longo da Vida, sempre teve uma relação de Afeto e Cumplicidade Profunda com seus Oito Filhos, mesmo tendo uma rotina exorbitante de trabalho, entrando e saindo de diversos casamentos e sendo uma figura pública. Nunca abriu Mão de estar Presente o quanto possível na vida Deles e de manter uma relação Amistosa com as Mães de cada um Deles.


O Blog MEMORIAL CHICO ANYSIO abre espaço nesta Semana em que se aproxima o DIA DOS PAIS para falar do MESTRE como PAI, suas Visões sobre Paternidade e a relação com seus filhos.

Chico se tornou PAI pela primeira vez em 1957, aos 26 anos de idade, quando nasceu Luíz Guilherme ( Lug de Paula, o eterno SEU BONECO ), de seu casamento com a atriz e comediante Nancy Wanderley.

Em 1962, Chico iniciou relacionamento com Rose Rondelli, famosa Vedete e Atriz, com quem se casou e teve Nizo Neto em 1964.

Em 1969, veio Rico ( Ricardo ) Rondelli, seu terceiro filho e o segundo com Rose. " Os outros ( filhos ) são muito bons, mas esse eu não conheço ainda, só de vista. Ele é tão pequenininho, por enquanto só cumpre dois deveres : mamar e dormir. Ainda não chegou naquela fase do ' Vai tomar banho ' - Não quero !, ' Vai fazer os deveres da escola - Faço Depois ! ' - ' Come abobrinha - Não Gosto ! ', ou do ' Trouxe chiclete pra mim ? ' " declarou em entrevista a extinta revista MANCHETE, quando o menino nasceu.

Com a atriz Alcione Mazzeo, que conheceu em 1975, teve Bruno Mazzeo, que nasceu em 1977.

No mesmo ano do nascimento de Bruno, já tendo sua bagagem de experiência paterna, declarou : " Hoje em dia eu acho graça quando um filho meu diz calmamente : ' Pô, tudo pra mim é difícil. ' Acho importante compreender a visão de mundo dele. Eu jamais joguei na cara dos meus filhos a minha experiência. Foi uma contingência natural. Vai ver eles, com menos idade que eu, passaram por experiências que eu nem conheço. Em termos de permuta - sempre dando força aos garotos - eu ás vezes tento saber do mundo deles. A gente consegue falar de Igual para Igual. Meus filhos são livres como meus Personagens, que de certa forma independem de mim. Eu me comporto com os garotos como me comporto com meus Personagens. Quando vivo o SEU POPÓ, por exemplo, eu ajo como SEU POPÓ. E isso flui espontaneamente. Nunca fiz laboratórios, escolas, expressões corporais. Não se fazem essas coisas com amigos íntimos, você não acha ? Por isso e porque eles são Verdadeiros, muitos deles se prolongam através dos tempos. A Verdade é uma coisa que Resiste. E dos Diálogos com meus filhos e meus Personagens, só vale o que é Verdadeiro. E ainda posso dizer que SEMPRE AMEI A AMBOS. Nunca Apelei com uma Torta na Cara de um Personagem meu e nunca vibrei um tapa no rosto de um filho meu. São problemas que se sucedem, mas todos equacionados. Ao menos os possíveis.. "

Voltou a mencionar o Assunto ( dentro do âmbito tratamento/ maneira de lidar com seus filhos ) em 1996, em entrevista ao Jornal ZERO HORA : " Procuro ser amigo dos meus filhos. Uma Bronca que a Mãe dê em qualquer um Deles vale menos do que Eu Olhar e Perguntar o Porquê. Nossa convivência é admirável. A coisa mais difícil é juntar todos eles. "


Ao Jornal O ESTADO DE SÃO PAULO, em 1987, declarou : " Entre Eu e meus Filhos, não existe CHOQUE DE GERAÇÕES. Meus filhos são todos á antiga. Nasceram fora do tempo. São ' Ingleses ' mesmo. "

Chico com o pequeno Nizo Neto, seu Segundo filho e o Primeiro de seu casamento com a Atriz Rose Rondelli, e também Duda ( Eduardo, á esquerda ), seu Enteado, filho de Rose, com quem criou laços de Paternidade e Amor.

" Meus filhos se dão bem apesar de terem mães diferentes e nunca brigaram. Nem as mães entre elas, contou a revista AMIGA em 1981.
Falou sobre o assunto FILHOS de maneira Franca : " O Casamento é o caminho mais curto para acabar com o amor. E o filho é o segundo impulso. O afeto começa a ser dividido e as coisas que se podiam fazer passam a não poder, e vem aquela do " peraí que eu acho que ele acordou ".. (.. ) " Mas um filho é a grande explicação para o casamento. " Apesar das opiniões íntimas, agia em contrapartida, e permaneceu se casando e tendo filhos. Sobre o assunto Casamento, ainda contou na mesma entrevista de 1981 : " Quando as coisas vão se estragando, se deteriorando, antes que elas se estraguem por inteiro e fiquem impossíveis de serem recompostas, tem mais é que se separar para continuar um entendimento legal, um relacionamento bom. Tanto que Elas se respeitam entre si, e Eu a cada uma delas, igual. E Elas tem prioridade aqui, porque, além de terem sido mulheres minhas, se me deram filhos, me deram porque eu as amava. Merecem um respeito ainda maior, porque são as Mães dos meus Filhos ".

Em 1979, com Alcione, o filho Rico, de seu casamento anterior, e o pequeno Bruno Mazzeo

Em 1983, nasce Cícero Chaves, de seu quarto casamento com a ex-integrante do grupo FRENÉTICAS e depois atriz, Regina Chaves. Reservado, o casal poucas vezes aparecia em veículos de Imprensa, e com o filho, a preservação era igual.

E as relações de AMOR entre PAIS e FILHOS, como todos sabem, vão muito além da questão Genética. Existem Milhões de relações, tanto Maternais quanto Paternais com Filhos que não são Gerados, são Escolhidos, por motivos diversos, seja empatia ou afinidade, seja aquela sensação de carinho e afeto que não tem explicação lógica, entre outros fatores.. FILHOS DO CORAÇÃO, muitas vezes tem um Significado até mais Especial, onde a questão sanguínea não faz a menor Diferença. Com o Mestre Chico, essa Situação também aconteceu, apesar de já ter sido ( em certa altura da vida ) PAI de Cinco filhos de Sangue. Foi quando conheceu André Lucas ( o famoso PULIÇA da ESCOLINHA e de outros programas de Humor ).

Em 1988, a extinta revista AMIGA trouxe uma Reportagem que falava sobre os Bastidores de CHICO ANYSIO SHOW na GLOBO, e destacou a relação de André e Chico. Segundo a reportagem, André Lucas começou a carreira de humorista imitando Chico Anysio. Bruno Mazzeo levou André para mostrar imitações a Stephan Nercessian, ator, naquela época trabalhando na TV GLOBO em cargo de Diretor. Foi o primeiro passo de sua Carreira. " Fiquei emocionado quando o Chico me levou para contracenar com Ele no quadro do PAINHO. Mas comecei fazendo humor na escola, depois em comerciais, em clubes. Hoje, sou como um Filho, e COM LICENÇA, ESTOU CHEGANDO é meu primeiro trabalho profissional num palco". Na ocasião, Chico também falou sobre André : " Ele vinha aqui, ainda garoto, e, aos poucos, fui descobrindo seu Talento de SHOWMAN. Tenho certeza que vai chegar ao gabarito do João Kléber muito depressa. " André, de fato, se tornou anos depois um dos maiores humoristas especialistas em PALCO no Brasil, muitas vezes tendo Shows dirigidos pelo próprio Pai. Desde aquela época, passaram a desenvolver uma relação " Cósmica " , como destacou a revista, onde havia Carinho, Amizade, Parceria e Cuidados. André foi um dos melhores Amigos e Confidentes do Pai e foi empresário de Chico durante a última década de vida do Mestre. Até Hoje, continua ENALTECENDO e MANTENDO VIVAS no Público a MEMÓRIA de Chico, excursando pelo país com o espetáculo TAL PAI, TAL FILHO.

Chico Anysio falando de André Lucas em entrevista pela PRÓ-TV, no início dos anos 2000.

André Lucas Homenageando o Pai em A PRAÇA É NOSSA, em Março de 2012.

Em sua Autobiografia de 1992 destaca : " Sou aquela galinha gorda, de asa grande, que coloca os pintinhos embaixo. Quero-os sempre por perto, para mais depressa me preocupar com seus problemas, tentar soluções e, com sinceridade, mais poder me aproveitar de cada barato de suas vidas. Eles são cinco ( Rodrigo e Vitória ainda não haviam chegado ) e do primeiro para o quinto há 26 anos de diferença. Há, portanto, problemas e alegrias de todas as qualidades, e só um louco abriria mão disso. "

Após o lançamento de sua Autobiografia, naquele mesmo ano, se tornou Pai de Rodrigo, fruto de seu casamento com Zélia Cardoso de Melo.

Em 1994, poucas semanas antes de Rodrigo completar 2 anos de idade, nasceu Vitória, a tão sonhada Filha que Chico sempre quis !

Chico decorando a Porta do quarto de Vitória, a filha tão Desejada que pensava não ter mais possibilidade de Vir depois de ser Pai de SETE meninos. 

Em Reportagem para a extinta Revista CONTIGO !, declarou : " Vou Paparicar a Vitória o quanto for possível. Zélia não quer, mas vou comprar uns 14 vestidinhos por dia para ela. Sempre quis muito ter uma filha ". Houve um período, no entanto, em que Chico havia desistido definitivamente do desejo de ter uma Menina. Foi em 1981, quando relatou a extinta revista AMIGA : " Já tive o sonho de ter uma filha. Hoje não quero mais. Tenho uma neta, filha do Duda ( Eduardo, seu enteado, filho de Rose Rondelli ), que ás vezes me deixa meio assim, sem saber como agir com uma menina agora. Estou muito condicionado ao menino, forte-apache, bola, espingarda, Robin, Batman, e tal.. " Em 1987, ao Jornal O ESTADO DE SÃO PAULO, confidenciou : " Queria ter uma filha, mas agora me acostumei com homem. Minha neta, por exemplo, não sei como brincar com ela - menina é outra coisa, outra jogada, outros brinquedos. " Após a chegada inesperada de Vitória, Chico, além de realizar seu sonho antigo, aprendeu a lidar com o universo das meninas. Em entrevista concedida a apresentadora Marília Gabriela, em seu extinto programa no SBT, DE FRENTE COM GABI, Chico comentou a experiência : " Ser Pai de menina é totalmente diferente, não tem nem comparação. É como Você andar de trem e depois andar de planador, nem barulho faz ! Ela é o meu xodó e se tornou o xodó de todos os irmãos também, porque Ela é um Encanto. "

Ainda em 1994, três meses antes do nascimento de Vitória, declarou ao Jornal TRIBUNA DA IMPRENSA ( uma das entrevistas mais Marcantes concedidas por Chico em toda sua Carreira ), não possuir nenhum tipo de Arrependimento pela quantidade enorme de filhos produzidos : " Uma das minhas ex-mulheres perdeu dois filhos. Eram dois homens. Eu poderia estar esperando o nono filho e não o sétimo. Mas acho que isso depende da possibilidade de manter, dar instrução, dar comida, dar roupa. No momento, eu posso ! Eu posso amanhã ficar desempregado, não ter dinheiro para sustentar os que ainda dependam de mim. E aí eu vou ver o que é bom para tosse. Mas mesmo se eu chegar a esse ponto, não vou me arrepender dos filhos que tenho. Porque eu acho que os filhos são a razão da vida. São a continuação da gente. São a nossa projeção para o futuro. "

Chico com a pequena Vitória e o filho Cícero, de seu casamento anterior com Regina Chaves, clicada em 1996 para a revista CARAS.

Nos anos 70 com os filhos Nizo ( 9 anos ) e Rico ( com 5 )

Ainda casado com Zélia, pretendia ser Pai de mais três filhos ( que, segundo contou á revista CARAS em 1995, se chamariam Glória, Emiliano e Frederico ). Já separado de Zélia ( que permaneceu no exterior com os filhos ) e com sua Vida Amorosa refeita no Brasil, Chico ainda insistiu em ter mais filhos durante os primeiros anos de seu último casamento, mas, por razões de Visões/Vontades Opostas a respeito do assunto TER FILHOS, acabou não acontecendo. Respeitosamente, Chico desistiu de querer aumentar sua Prole. Vitória acabou se tornando seu último Rebento.

O Abraço emocionado de Rico Rondelli em 1997, época em que Chico estava de mudança para os E.U.A com Zélia e seus filhos menores.

Eu, particularmente, imagino Chico Anysio tendo sido aquele tipo de Pai amigo, companheiro e conselheiro. Aquele tipo de Pai Coruja, super Babão, que se divertia com as Crianças como se fosse uma delas, e que vibrava com as alegrias e conquistas de cada um dos filhos. O que sofria com cada casamento rompido, mas que se desdobrava em mil pela Felicidade dos filhos e pela sua convivência com Eles, mesmo de longe. Puxõezinhos de Orelha de vez em quando, mas o espaço aberto para seus filhos construírem e exercerem sua própria personalidade.

Sendo Homenageado pelo Filhos em 1998, no ARQUIVO CONFIDENCIAL do DOMINGÃO DO FAUSTÃO.

Chico era uma Alma DOCE e JUSTA, apesar de Enigmático e Impulsivo, e tinha, assim como continua tendo, independente de Fatos antecedentes a seu falecimento, aonde Estiver, AMOR POR CADA UMA DE SUAS CRIAS. Tenho a mais convicta Certeza disso ! Esta Postagem no Blog é uma Homenagem ao MESTRE e é também Estendida a SEUS FILHOS !

Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora, pesquisadora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais )