Chico Anysio - Sim, Eu Sou um Ator !

05/11/2020

Considerado um dos maiores humoristas do país ( para muitos O MAIOR ) Chico Anysio se Consagrou com o esquema que criou para Si Mesmo : AQUELE QUE FAZ VÁRIOS ! Ainda que, por causa do Humorismo, o Ofício ATOR só tenha sido considerado pelo PÚBLICO e CRÍTICA após trabalhos paralelos de Chico no Cinema, onde mostrou sua vertente dramática.

Foi preciso o Convite do Diretor Cacá Diegues em 1995, onde Chico interpretou ZÉ ESTEVES no Filme TIETA DO AGRESTE, o Pai da Protagonista, para Chico Anysio mudar de opinião a respeito do Cinema Nacional ( assunto diversas abordado em Temas deste Blog ! ) e Surpreender o Brasil em sua Atuação no Longa.

Em 1998, ao Programa DE FRENTE COM GABI, da apresentadora e jornalista Marília Gabriela, que ia ao ar pelo SBT, contou sobre isso : " Eu levo a Sério meu trabalho, faço meus Personagens com a maior Seriedade.. (.. ) ..por isso eu fiquei muito admirado quando eu fiz TIETA e as pessoas descobriram que eu sou Ator.. eu achei engraçadíssimo porque eu sempre Representei.. (.. ) ..meus Personagens são muito mais difíceis, Tieta foi a coisa mais fácil que eu fiz na Vida.. " Na entrevista, foi levantada a questão do DRAMA ser considerado mais difícil que o HUMOR, quando na realidade é o CONTRÁRIO, e essa Crença proveniente de uma espécie de Preconceito das pessoas, que enxergam as Vertentes da ARTE por Prismas Diferentes.

Em sua Autobiografia de 1992, explica um pouco sobre isso : " Por acaso eu sou Ator. Talvez eu não seja o Ator que imagino ( levando-se em conta o que todos imaginam ser um ator ), mas ATOR, porque dois terços da minha vida eu dediquei a esse trabalho onde um cara faz o papel de Médico ou Palhaço, de Chofer ou Milionário, de Mendigo ou Pastor de Almas, seja lá que Personagem for. E isso é o que Eu faço. A minha dúvida de ser ou não Ator é produzida pelo descrédito dos críticos do meu País, que sempre preferiram me chamar de HUMORISTA ou de COMEDIANTE, como se Eu - pobre de mim ! - não passasse de um Bernard Shaw, no primeiro caso ou, na melhor das hipóteses, de um Buster Keaton, no segundo.. " (.. ) ..Mas como essa minha dúvida particular nasce de uma partícula de césio atirada pelos Críticos, tudo fica muito arrefecido.. (.. ) .. Sou um ATOR, queiram Eles ou Não. Desde o rádio, época em que muitos ainda nem tinham nascido, até a televisão, veículo onde a Crítica perde, inclusive, o sentido. "

Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais ) ( @salgsincerity ).