O Humor Radiofônico

15/04/2020

No Brasil, o BERÇO DO HUMOR foi a ERA RADIOFÔNICA. Profissionais criavam e/ou encenavam as Mais Diversas Histórias e Personagens através do MICROFONE. 

Em um Tempo onde somente o IMAGINÁRIO predominava, o HUMORISMO SE CONSOLIDOU.

Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora, pesquisadora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais )

Rádio Nacional, Guanabara, Mayrink Veiga e algumas outras foram Pioneiras em Transmissões de Programas de Humor. Chico Anysio passou por todas Elas. Em, 1948, na Guanabara, de locutor, comentarista esportivo e rádio-ator, passou a ser Humorista. Na sua Primeira passagem pela Mayrink Veiga, seja escrevendo, produzindo, dirigindo ou atuando, chegou a ser responsável por Treze Programas !

Foram Incontáveis os Trabalhos Totais de Chico no Rádio até sua chegada á Televisão, em 1957. Já inserido na TV, ainda continuou no Rádio, até a " Entrega " desta ao Domínio Televisivo.

Logicamente que o FRISSON da IMAGEM em substituição a IMAGINAÇÃO, causou Impacto e Revolucionou o modo de se fazer Comédia no Brasil. Mas, é Inegável a importância do RÁDIO no HUMORISMO. Seja pelo aspecto Criativo, seja pelo estímulo do Imaginário, conquistava o Público ouvinte e foi a ESCOLA de muitos Profissionais do Ramo.

Em 1992, quando o Veículo de Comunicação comemorou 70 Anos de existência, ao contrário do que muitos pensavam que aconteceria, Sobreviveu ás Inovações, Superou ás dificuldades tecnológicas e continuou sendo o Companheiro do Público Fiel. Naquele ano, o Mestre Chico Anysio participou de uma Matéria Especial da extinta Revista AMIGA, que fez um Panorama sobre os 70 Anos do Rádio : " Os Programas de Variedades acabaram. A essência hoje é o Jornalismo, a notícia imediata. E Eu ouço rádio com muita atenção. Sinto falta, entretanto, do Humor de Elenco nesse Veículo. Nas FM'S, existem algumas brincadeiras apenas. Até pouco tempo eu comandava A TURMA DA MARÉ MANSA, na GLOBO do Rio. Uma delícia.. Revivi parte da minha época na Rádio Guanabara, onde comecei como Locutor e Rádio-ator em 1947. Para mim, ao contrário do que pensam certos atores, o Rádio é o Veículo mais difícil de se trabalhar. Somente depois vem o Teatro, a Televisão e o Cinema. Basta verificar que os grandes profissionais da TV vieram do rádio. Por isso, não acredito que ele perderá sua importância futuramente. As Vantagens do Rádio são insuperáveis como Amigo e Companheiro. A Força da Comunicação é Imbatível. "

Quase 30 Anos depois desse Depoimento, muita coisa mudou. Atualmente, a ERA DIGITAL Dominou Completamente os Veículos de Comunicação. Atingiu o Mercado Editorial, fez emissoras de Rádio passarem a ser transmitidas ONLINE, e está, aos Poucos, acabando com a popularidade e o Velho Hábito de assistir Televisão !

Porém, independente dos rumos tomados pela Cronologia, DEIXOU SUA MARCA NA HISTÓRIA DA COMUNICAÇÃO e será sempre O BERÇO DO HUMORISMO NO BRASIL.