O Papel do Humorista fora do Trabalho

08/07/2020

Textos, Ensaios, trocas de Figurinos, maquiagem, gravações, horas dentro de Estúdios, ás vezes trajetos diversos em gravações Externas.. Qual o Papel do Humorista fora do trabalho ? Ainda que muita gente ( muita gente mesmo ! ), desde de Décadas e mais Décadas pense ( e até Exija ) o contrário, o Papel é Deles é ser OS SERES HUMANOS que SÃO !


Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora, pesquisadora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais )

Em 1971, ao Jornal O ESTADO DE SÃO PAULO, Chico Anysio confessou : " Eu sou um sujeito Triste. Sou mesmo. Um cara Incapaz de alegrar um Grupo num botequim de esquina. Acontece que sou um Profissional do Humor. E cada vez que chego a algum lugar, já tem alguém Rindo por Antecipação. Aí eu fico Engraçado. "

Sempre existiu uma Crença ( ou a Cobrança ) de que Profissionais do Riso sejam ENGRAÇADOS o TEMPO TODO.

Em, 1974, á extinta Revista MANCHETE, Chico explicou : " O Cara que é muito Alegre e Extrovertido não é Humorista, vai ser Gaiato ! Todos os Humoristas que conheço são pessoas bem diferentes na Vida Real. Eles dizem coisas Espirituosas e Engraçadas, mas raramente dão Gargalhadas. E nem é dever deles dar Gargalhadas, e sim fazer com que dêem. Ou melhor ainda, fazer com que Pensem. "

Em 1975, á extinta CONTIGO !, foi Sério e Sincero em suas Declarações : " Algumas pessoas pensam que fazer rir é fácil e que todos os que trabalham no palco com essa função tem por obrigação de na vida real serem iguais aos seus Personagens. É engano. Somos humanos, sorrimos e choramos, e fazemos sorrir também. Fora do palco vestimos as roupas de cidadãos comuns, com problemas iguais e nas mesmas condições, pagamos nossas contas, pedimos dinheiro emprestado, pagamos juros, vivemos, consumimos e somos consumidos. "