O Poder dos Bordões

15/01/2020

Após abordar IMAGEM e LINGUAGEM dentro da Profissão do Humor ( Vejam ou Revejam em >> https://memorial-chico-anysio4.cms.webnode.com/l/humor-imagem-e-linguagem/ ), eis o momento de falar sobre o PODER DOS BORDÕES. Para muito além dos trejeitos e do Modo de Falar, FRASES ou PALAVRAS são capazes de tornar Personagens POPULARES ou até ÍCONES ETERNIZADOS.

Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora, pesquisadora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais )


O BORDÃO, esquema originário do CIRCO e dos tempos em que se fazia Humor em RÁDIO, foi pensado e criado com a intenção de chamar a atenção do público e provocar o Riso fácil. Mas, dependendo do Enredo e do Personagem, acaba se tornando UMA MARCA. Quem consegue pensar em PROF° RAIMUNDO sem dizer " E O SALÁRIO, Ó ! " ? Ou lembrar de PANTALEÃO sem repetir : " É MENTIRA, TERTA ? " ( bordão que inclusive deu origem ao Livro Homônimo de Chico Anysio, lançado em 1973 ) ? Ou ainda, quem nunca deu gargalhadas de NAZARENO paquerando a empregada " gostosona " e humilhando á esposa, entremeando os Diálogos com " CALADA !" ?

Há casos em que Personagens se tornam sucesso exclusivamente pelos Bordões, onde uma Frase ou Palavra pode passar até a fazer parte do vocabulário das Pessoas, sendo repetidas por aí á fora. Assim como também há a possibilidade de alguns Bordões não fazerem sucesso e não " Pegarem ". Isso é muito comum em Dramaturgia, por exemplo, onde o Sucesso e a Rejeição por algum tipo de linguagem são igualmente Proporcionais, podendo ocorrer na Comédia também.

Outro aspecto importante é quando Bordões se sobressaem ao Contexto ou ao próprio Personagem. A popularização acontece, mas perde-se da proposta/objetivo do trabalho do humorista/comediante.

Chico Anysio, tal qual sua Vasta galeria de Personagens, eternizou incontáveis Bordões, sem deixar que o objetivo da REFLEXÃO fosse ofuscado. Voltando ao PROFº RAIMUNDO, o eternizado " E O SALÁRIO, Ó ! ", por exemplo, era BORDÃO e ao mesmo tempo o INSTRUMENTO da Reflexão.