Salomé do Passo Fundo

20/09/2019

Entre os Personagens CLÁSSICOS de Chico Anysio, também não pode faltar a Velha Gaúcha SALOMÉ, que Marcou o final da Década de 70 em CHICO CITY com sua Satirização Política e seus " Telefonemas " ao Presidente João Baptista Figueiredo. 

Em sua Autobiografia de 1992, o Mestre Discorre sobre a Personagem :

 
" Quando veio a Abertura, meu Diretor era o Maurício Sherman. Já tínhamos trabalhado juntos várias vezes.. (.. ) Na Abertura da Censura, ele me telefonou :
- Chico, com a abertura você podia fazer aquele Personagem do telefone, onde você imita o Silveira Sampaio. Pode dar um telefonema em cada programa para o Presidente.
Eu fizera esse personagem com o Sherman no SUPER SHOW, na TV TUPI. Dava um telefonema para um tio imaginário, que se supunha o Tio Sam, contava os acontecimentos da semana :
- Alô, titio.. - e dizia uma página e meia de piadas sobre o que estava acontecendo no país. 
Achei a ideia ótima, mas imaginei que podia acrescentar qualquer coisinha. Eu já usava a voz do Silveira Sampaio noutro tipo. Bolei, então, fazer o telefonema com voz de mulher. Uma mulher a quem o Presidente Figueiredo devesse respeito. Sua antiga professora ? Gostei. Como o presidente tinha passado ligado ao Rio Grande do Sul, a mulher seria gaúcha. Faltava o nome. Ocorreu-me batizá-la de Salomé, por ter sido Salomé aquela que exigiu, numa bandeja, a cabeça de João Batista. Telefonei para o Sherman.
- Perfeito. Vou mandar fazer o vestido e a gente grava depois de amanhã. Será uma velha chique.
A Salomé Arrebentou. Foi Capa da MANCHETE, segurou o programa por dois anos e até me levou a fazer Show no Palácio da Alvorada, no jantar de fim de ano do Presidente e seus ministros. O engraçado é que o presidente Figueiredo levava a Salomé a sério. Um dia gravei um monólogo ( Marcos César era quem escrevia ), em que dizia :
- João, tu dizes que estás com a mão estendida para o povo, mas tu és canhoto, né, guri ? 
Uma semana depois, num discurso em Niterói, o presidente disse : 
- Falam que estendo a mão para o povo mas sou canhoto...
Era ele respondendo a Salomé. Noutra ocasião, por motivo de viagem, gravei dois quadros da Salomé. O primeiro terminava com a Salomé irritadíssima :
- Tu mexeste com as crianças e eu não gosto que mexam com os guris. Não adianta. Não quero mais conversar contigo.. - Bati o Telefone.
O Presidente ligou para o Dr. Roberto Marinho irritadíssimo :
- A Salomé bateu o telefone na minha cara. Quem ela pensa que é ? Eu sou presidente da República e não admito que ninguém bata o telefone na minha cara ! 
Dr. Roberto me chamou á sala dele e eu expliquei que já havia gravado o monólogo seguinte, onde me desculpava. Mandei buscar a fita e mostrei a ele o monólogo que começava assim : 
- João, eu bati o telefone na tua cara e estou arrependida. Tu me desculpa guri, mas é que.. 
A Salomé foi uma grande Vitória. Eu sabia que era um Personagem de dias contados. Ela só existiria enquanto o Presidente Figueiredo estivesse no Comando. A Salomé era Dele, somente com ele tinha aquela ' voz de comando ' já que não fora professora de nenhum outro e com ninguém mais podia tomar aquela Liberdade."

SALOMÉ foi Capa da extinta revista MANCHETE, da editora Bloch, que trazia uma Reportagem Especial sobre os Novos Tipos de Chico Anysio em CHICO CITY.

Em 1980, a Revista descobriu Djanira Langaro, conhecida como D. Deja, á época uma Senhora de 73 anos de idade, natural de Passo Fundo, que já havia conhecido pessoalmente vários Políticos e ajudado na Luta dos Republicanos. A Reportagem apontava a idosa como sendo a Verdadeira INSPIRAÇÃO de Chico na Criação de SALOMÉ. 

Em sua Autobiografia, Chico Anysio ainda relembra o Encontro com o Presidente : 

" O Show no Palácio da Alvorada foi beleza. Elizeth Cardoso cantou lindamente, depois da cena da Salomé falando ao Presidente e citando figuras presentes no auditório. Ninguém ficou ofendido com as brincadeiras contidas no excelente texto do Marcos César e, depois do show, participei, a convite do presidente, do jantar de fim de ano. Era o recibo definitivo da Abertura, a comprovação de que não havia mais aquele Cerceamento miserável á Criação. O Brasil começava mesmo a entrar numa nova Fase. "

O ENCONTRO de Chico Anysio com João Baptista Figueiredo no PALÁCIO DA ALVORADA foi um dos grandes FOCOS na MÍDIA. Teve Reportagem Especial na MANCHETE em Janeiro de 1980 e no Jornal A REPÚBLICA, em Dezembro de 1979.

SALOMÉ se tornou um Sucesso tão estrondoso dentro da TV GLOBO, que, além de elevar a Audiência de CHICO CITY, teve Participação Especial em outras Produções da Casa, como a Novela FEIJÃO MARAVILHA, de Bráulio Pedroso e o Especial de Final de Ano do Rei Roberto Carlos, intitulado UM CIRCO CHAMADO BRASIL. 

A Participação na Novela rendeu duas Matérias em Agosto de 1979, nas Revistas ROMÂNTICA e AMIGA - TV TUDO. 

Cogitou-se  a possibilidade da TV GLOBO fazer um Programa EXCLUSIVO com SALOMÉ, devido ao tamanho do Sucesso e Popularidade, mas o Projeto acabou não acontecendo, e SALOMÉ permaneceu somente em CHICO CITY.

O Sucesso da Personagem também rendeu uma Criação Especial de outra Personagem, já nos anos 80. Renato Aragão em OS TRAPALHÕES passou a interpretar SEVERINA, uma prima Nordestina de SALOMÉ, onde as Duas Conversavam Satiricamente ao Telefone. 


Salomé Ressurgiu décadas depois na TV, em 2011, onde semanalmente, em quadro do ZORRA TOTAL conversava com a Presidente Dilma Rousseff. 


SALOMÉ foi O ÚLTIMO TRABALHO da CARREIRA do MESTRE Chico Anysio, encerrada com o agravamento de sua saúde no final de 2011 e com seu falecimento em Março de 2012.

Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora, pesquisadora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais )