VOCÊ CONHECE CHICO ANYSIO ? - ENCICLOPÉDIA VIRTUAL - CAPÍTULO 3

03/11/2021

03. Televisão

A TELEVISÃO no Brasil surgiu em 1950, sendo a TV TUPI, em São Paulo, a primeira emissora de TV no país, inaugurada posteriormente também pelo Rio de Janeiro. Em 1953 nasce a TV RECORD e em 1955 é inaugurada a TV-RIO, que aliou-se a TV RECORD formando o Grupo EMISSORAS UNIDAS. Em 1957 os Programas passaram a ser exibidos simultaneamente em São Paulo e Rio de Janeiro. Foi nesse período, ainda trabalhando na Rádio Mayrink Veiga, que o Mestre Chico Anysio estreou na Televisão. Em 1957 começou na TV-RIO participando do humorístico AÍ VEM DONA ISAURA, de Haroldo Barbosa e do ESPETÁCULOS TONELUX, dirigido por Maurício Sherman, pela TV TUPI.

" Foi para interpretar um tio nordestino da D. Isaura ( Ema D'Ávila ) que o Haroldo me escalou na TV-RIO. Eu já tinha interpretado um papel num programa de televisão do Carlos Machado chamado Cássio Muniz Follies, mas o tio da D. Isaura foi meu primeiro trabalho efetivo na Tv ", contou Chico em sua Autobiografia. Chico, paralelamente ao Rádio, trabalhava em emissoras de Tv diferentes, já que naquele tempo ainda não existia o contrato exclusivo, o que possibilitou o Mestre escrever e atuar em diversos programas. O primeiro deles foi NOITE DE GALA, de Abrahão Medina, onde Chico escrevia vários quadros de Sucesso como MESA OVAL OU RACHA, PROFº LOURENÇO ( Antônio Carlos Pires ) protagonizado juntamente com Sonia Lancellotti e João Loredo, e SEU OBTURADO, com Walter D'Ávila e Renato Consorte. Na parte de Interpretação, Chico criou o famoso personagem Charlie Westminster, " the Third ", recruta do exército, que misturava o inglês e o francês no vocabulário e que tinha um mordomo que executava todas as tarefas por ele.

" A Mayrink já liderava nos horários dos programas ' montados ', como se denominava o programa com elenco e orquestra, mas a TV TUPI continuava comandando o Ibope na televisão. Para mim era quase indiferente este domínio, porque Eu era das Duas. Já trabalhava também no SUPER SHOW, um programa criado pelo Sherman para combater o NOITE DE GALA. Eu concorria comigo, mas não fazia mal. Importante eram as chances que eu tinha nas duas emissoras, o aprendizado, a vitrine onde meu trabalho ia sendo exibido. "

O Rádio, de um modo geral, foi perdendo espaço para a televisão, e com isso passou a abrir mão dos programas "montados ', optando por apenas programação musical, com disc-jóqueis. Foi quando Chico propôs que a TV-RIO se tornasse uma emissora exclusivamente Humorística. " O Diretor Comercial da TV-RIO era um jovem, quase menino, de valor sem tamanho : Walter Clark. O Diretor Artístico, um experiente profissional do rádio que acreditava em primeiro lugar no humor : Péricles do Amaral. Fizemos uma reunião os três e eu sugeri que a TV-RIO fizesse sua programação semelhante á Mayrink Veiga : uma base firme e concreta no humor ".

" Foi uma época Deslumbrante para o humor. Tudo deu certo na TV-RIO. NOITES CARIOCAS ( inicialmente dividido em duas partes de uma hora cada ) tinha índices acima de 60 pontos e 80 % dos personagens conseguiam sucesso total. A nata do humor brasileiro fazia parte do elenco da TV-RIO, porque além dos humoristas cariocas ( a maioria ) ainda contávamos com o que havia de melhor em São Paulo, como Maria Tereza, Murilo Amorim Correia, Renato Corte Real e toda a PRAÇA DA ALEGRIA, comandada pelo talento, elegância e simpatia de Manoel de Nóbrega. A PRAÇA cobria as noites das terças-feiras, fazendo explodir este fenômeno que é Ronald Golias e lançava no mundo do riso Moacyr Franco. Completavam a terça-feira outros dois programas : MILHÕES DE NAPOLEÕES, escrito por mim para o elenco da casa - estrelado por Nancy Wanderley - e RIO, TE ADORO, versão carioca do SÃO PAULO, NUM TE GÜENTO, do Aloysio Silva Araújo.. (.. ) ..A competição era praticamente interna. Nós ' brigávamos ' conosco, já que TV TUPI limitava-se aos dois programas escritos por este monstro sagrado do humor que é Max Nunes ( BOATE DO ALI BABÁ e EM CASA DE FAMÍLIA DE TODO O RESPEITO ). "


Na TV-RIO, Chico era responsável, entre outros programas, por ROMEU E JULIETA, humorístico estrelado por sua esposa na época, Nancy Wanderley, e por Zé Trindade.

" No ROMEU E JULIETA eu lancei, com a direção de Wilton Franco, a ' externa ' nos programas de humor. Eram cenas sem diálogo, filmadas, e não com videoteipe, mas davam uma ' respirada ', saindo do entre quatro paredes. ROMEU E JULIETA era uma comediazinha de 25 minutos. Uma experiência que se fazia. Uma tentativa de sair do esquema ' quadro-quadro-quadro-quadro, uma busca por outro formato, já tentado pelo Max em CASA DE FAMÍLIA DE TODO O RESPEITO. Não funcionou nem em um nem outro. O público queria o ' quadro-quadro-quadro.. "


COMÉDIA, PÃO E MANTEIGA, estrelado por Nancy Wanderley com Autoria e Produção de Chico Anysio, foi um dos Ápices da extinta TV PAULISTA.

Nancy Wanderley na Revista Radiolândia.

Nessa época Chico Anysio, que foi idealizador, roteirista e algumas vezes ator nas CHANCHADAS produzidas pela Atlântida, trouxe o Diretor Carlos Manga, até então específico em cinema, para trabalhar no ramo da televisão e ajudá-lo na criação/elaboração de um programa de apoio aos demais humorísticos da TV-RIO. Assim nasceu O RISO É O LIMITE. " Manga aceitou conversar sobre o assunto e foi a TV-RIO. Não dava para resistir aos argumentos do Walter e do Péricles e, naquela mesma tarde, ele assinou contrato com a TV-RIO para dirigir o programa dos sábados, cujo título ficou sendo O RISO É LIMITE, numa brincadeira com o grande sucesso da televisão naquele ano : O CÉU É O LIMITE, feito em São Paulo pelo Aurélio Campos, e no Rio por Jota Silvestre.. (.. ) ..O RISO É O LIMITE tinha como redator principal Aloysio Silva Araújo e fizemos ali uma competição incrível. NOITES CARIOCAS e O RISO É O LIMITE jogavam semanalmente um Fla-Flu, um Grenal, um Cruzeiro e Atlético. Era briga de cachorro grande. Os índices oscilavam acima de 85 pontos. Lembro de uma semana em que um deu 91 pontos, o outro, 93. Sempre com vantagem para O RISO É O LIMITE. Meu NOITES CARIOCAS não venceu nenhuma vez, mas isso não me entristecia. Eu trouxera o Manga para a TV-RIO e participara da criação do RISO. Além do mais, sempre torci, como torço até hoje, pelo sucesso dos programas de humor. O humor é a minha praia. Cada programa que dá certo, está dando certo para mim também, representa mais empregos para toda a classe. Torcer contra um programa de humor é coisa de quem não é inteligente e creio não ser necessário provar a ninguém que burro eu não sou. "


Matérias da REVISTA DO RÁDIO, em 1961.

Ronald Golias em Destaque na extinta Revista INTERVALO. A Reportagem falava sobre o Programa Estrelado por Golias, Idealizado e Produzido por Chico Anysio, que foi substituto temporário do CHICO ANÍSIO SHOW pela TV-RIO em 1963, e que se chamava BANG-BANG SHOW, com Direção de Carlos Manga. Começou com o próprio Chico Anysio e o Elenco fixo do CHICO ANÍSIO SHOW. Depois, passou a ser Estrelado por Golias, com o mesmo Elenco. Chico continuou normalmente com seu outro Programa pela Emissora, o NOITES CARIOCAS, até se mudar com Manga para a TV EXCELSIOR, em Maio de 1963. Em 1963, muito antes da EXPLOSÃO DE SUCESSO em FAMÍLIA TRAPO, entre 1966/67 na TV RECORD, Golias já era ÍCONE do Humorismo na TV e no Cinema.

Quando Ronald Golias saiu da TV-RIO ( no início dos anos 60 ), a emissora precisava Urgentemente de alguém que pudesse ocupar seu Lugar. Não havia " Novidades " Artísticas. Chico Anysio se propôs a procurar alguma coisa capaz de " Preencher " o Espaço ( e o Sucesso ) Vago deixado por Golias. " Fui ao Teatro de Revista ( grande fornecedor de elementos para a TV ) e encontrei o que procurava : VAGAREZA. Ele entrou no MILHÕES DE NAPOLEÕES e foi um estrondoso Fracasso. Lembro da Frase do Murilo Nery, na porta da TV-RIO, logo após a estreia do Vagareza :

- Esse não, Chico. Esse é um Chato !

Duas semanas depois o Murilo já pensava diferente. Vagareza era simplesmente o maior Sucesso da Televisão Brasileira.. (.. ) Fazer esquecer Ronald Golias, essa Fera do humor, esse que é Cobra criada, esse Espetacular comediante, foi um feito Glorioso do Vagareza.. ", relembrou Chico em sua Autobiografia de 1992.


" Vagareza passou a fazer na ESCOLINHA DO PROFESSOR RAYMUNDO ( quadro que encerrava o NOITES CARIOCAS ) o Aluno Embromador ( Aristides Barlavento , quadro similar ao que hoje o Rogério Cardoso ( Rolando Lero ) representa ).. (.. ) ..Foi um grande barato. Fazer esquecer Ronald Golias ( essa fera do Humor, esse que é cobra criada, esse espetacular comediante ) foi um feito Glorioso do Vagareza.. (.. ) ..Vagareza pulou do Anonimato para a Fama."

Na TV-RIO houve a fase da saída de Manoel de Nóbrega e todo o elenco da PRAÇA DA ALEGRIA para a TV TUPI e da contratação do comediante Vagareza ( que ficou famoso pelas Chanchadas ), através da indicação/sugestão de Chico Anysio. Vagareza ajudou muito suprindo a falta dos comediantes que foram para a TUPI e no Sucesso dos programas da TV-RIO. Mas esse sucesso foi sumindo aos poucos. " Dois anos depois, a ' novidade ' estava acabando. Faltava , mais uma vez, uma locomotiva. Naquele tempo não havia novelas dando pé. As ( poucas ) eram apresentadas em dias alternados ( segundas, quartas e sextas ), como no rádio, e isso não criava o hábito.. (.. ) ..As televisões viviam do humor e do jornalismo e a locomotiva do humor começava a perder força. Foi quando Carlos Manga, passando pelo corredor da TV-RIO, viu uma máquina muito bonita e muito esquisita, diferente de tudo que se costumava ver.. "

Chico Anysio escreveu para vários programas em emissoras diferentes e atuou em quadros diversos, mas foi em 1960, com CHICO ANÍSIO SHOW, pela TV-RIO que se CONSAGROU como HUMORISTA e deixou sua MARCA REGISTRADA na HISTÓRIA DA TV BRASILEIRA com a implantação do VÍDEOTEIPE no Brasil, cujo método Revolucionou o jeito de se fazer e gravar Programas.

" Eu sou o único Francisco que só foi Chico quando quis. Todos na minha casa me chamavam de Oliveirinha, porque meu Pai era chamado de Oliveira e eu tenho o mesmo nome dele. Desde que entrei para o colégio me chamavam de Anysio e de Anysio eu também era chamado pelos meus contemporâneos do rádio. Na televisão acontecia o mesmo. O nome artístico ' Francisco Anysio ' existiu até 1960 e todo mundo daquela época me chama ( ou chamava ) de Anysio. Até então ninguém, em nenhum lugar, me chamara de Chico. Quem mudou isso foi Carlos Manga e a responsabilidade se deveu a tal máquina estranha que o Manga viu no Corredor. "

Criada por Jack Mullin e Wayne R. Johnson desde 1950 e projetada por Bing Crosby através da Bing Crosby Enterprises em 1954, o vídeoteipe foi usado pela primeira vez no Brasil em 1958, com a apresentação de "O Duelo", de Guimarães Rosa, pelo programa "TV de Vanguarda", da TV TUPI de São Paulo. O equipamento era utilizado de forma precária pois não havia possibilidade da edição (montagem). Walter George Durst, responsável pelo programa, dispunha de uma fita de apenas uma hora de duração e por isso as cenas tiveram de ser exaustivamente ensaiadas e cronometradas. Quando a fita terminou, ainda faltavam as cenas finais, que foram feitas "ao vivo" após a exibição da parte gravada. Os avanços da tecnologia trouxeram, em 1959, o sistema helicoidal. Nesse sistema as trilhas de vídeo passam a ser mais inclinadas, utilizando melhor o comprimento da fita. Tanto o áudio quanto o vídeo utilizavam as fitas em rolo. O videoteipe passou a ser usado definitivamente com o programa humorístico de Chico Anísio em 1960.

" Manga ficou encantado. A máquina possibilitava a realização de um trabalho semelhante ao do cinema. Ela permitia que tudo fosse previamente gravado e, depois, então poder-se-ia escolher o que colocar no ar, cortando-se os erros, eliminando-se as cenas consideradas dispensáveis, enfim, o trabalho podia ser ' limpo '. A máquina acabava com o erro, evitava o improviso excessivo para conserto de um equívoco, ' enxugava ' as cenas que se alongassem. Era como se o cinema chegasse á televisão, e cinema era o mundo que o Manga dominava, era o seu berço. No mesmo dia ele me procurou :

- Vamos fazer um programa que vai ser a grande revolução da televisão.

Contou-me das possibilidades da máquina e eu vi abrir-se ali a chance de realizar definitivamente o meu sonho. A partir da impossibilidade de ser engraçado como o Oscarito, o Costinha ou o Golias e não conseguir atingir o estágio de um Walter D'Ávila ou Brandão Filho, eu resolvera criar a minha estrada : eu ia ser ' aquele que faz vários '. Já representava o Santelmo, o Urubulino, o Soldado Grã-fino, o Dr, Madeira, o ' Só tem tantã '( com Castro Barbosa ), o Prof. Raymundo. A ideia do Manga era juntar todos os meus personagens num programa só. Uma coisa inédita no mundo. Eu falaria comigo, passaria por mim, etc.. "

O Diretor Péricles do Amaral foi contra :

- Esse programa te liquida em dois meses. Dentro de sessenta dias ninguém mais te aguenta. É o fim da sua carreira. Esse programa é um verdadeiro Suicídio.

" O fato do Péricles ser diretor artístico da TV-RIO tirou a chance da TV bancar a ideia, já que ele era contra a realização do show. Walter Clark, no entanto, aprovou e vibrou com o que o Manga idealizara. "

Foi quando Chico Anysio, em parceria com Carlos Manga e Walter Clark resolveram juntos criar a Zoon, uma empresa produtora independente, através do qual, com o prestígio de Walter no ramo comercial, conseguiram o estúdio e o equipamento de graça. " O elenco concordou em fazer o ' programa piloto ' sem receber um centavo sequer. O Manga e eu compramos na Mesbla a fita para gravar o primeiro programa. "

- E o Título ?

- Vamos fazer como é costume na América. Francisco Anysio Show. Lá é assim. Perry Como Show. Dinah Shore Show. O nome do artista e a palavra Show.

Chico cuidou da elaboração do primeiro programa, que teve Haroldo Barbosa, Antônio Maria, Roberto Silveira e Sérgio Porto como co-redatores. Chico utilizou personagens já existentes e criou outros. " Fui ao meu arquivo e remexi na gaveta dos personagens que outros atores haviam desprezado. Achei o Coronel Pessoa, um tipo que o Rafael de Carvalho não tinha gostado. Rebatizei com o nome de CORONEL LIMOEIRO. Ventania, um tipo que o Antônio Carlos tinha recusado, ganhou o nome de QÜEM-QÜEM e recebeu uma voz fanhosa e o emprego de Garçom.. (.. ) Sérgio Porto criou para mim um personagem que era um cientista português chamado Robespierre d'Almeida e Beira Baixa. "

Chico foi acrescentando personagens e também personagens de núcleo, que renderam um programa gravado em 23 horas ininterruptas. " Esperávamos gravar o programa todo em doze horas. A gravação terminaria ás oito da noite, mas não deu. Acabamos ás sete da manhã do dia seguinte.. (.. ) Pela primeira vez era realizado um programa de humor com cinqüenta figurantes, travelings, grua, três câmeras, muita movimentação, uma verdadeira superprodução.. " (.. ).. Oitenta por cento das cenas de ligação de um personagem com o outro eu fiz sem saber como ficaria. O que o Manga dissesse ou mandasse eu obedecia sem fazer uma pergunta sequer.. Ás sete da manhã eu deixei o prédio da TV-RIO com o CHICO ANÍSIO SHOW número um inteiramente pronto. Aí eu já era Chico, porque o Manga me convenceu :

- Chico Anísio Show é melhor, soa melhor, tem ritmo.

Em 1960, portanto, passei a ser Chico, por sugestão do Manga que, se não foi meu padrinho de verdade, foi meu real criador.. "

CHICO ANÍSIO SHOW estreou com enorme sucesso, exibido simultaneamente pela TV-RIO e pela TV RECORD, em São Paulo. " No país inteiro, apenas duas pessoas falaram mal do programa : D. Magdala da Gama Oliveira ( ela assinava MAG, no jornal ) e Randal Juliano, em São Paulo. O próprio Péricles que previra minha ' morte ' em dois meses, mudou de ideia e passou para o time dos que elogiavam o programa. Era um trabalho altamente profissional. Não existia o editor eletrônico e a emenda das cenas era feita no escuro, com o uso de uma gilete. Marcelo Barbosa fazia genial e escondidamente este serviço. Cortava pelo som e emendava o teipe, colando com uma fita ( tipo Durex ). Era perfeito. Havia um dublê que aparecia no máximo de perfil e muitas vezes nem eu notava onde era eu e onde não era.. (.. ) ..Antes de terminar sua exibição, ele já estava comprado pelo Rum Bacardi ( patrocinador ). "


CHICO ANÍSIO SHOW ganhou três prêmios Roquette Pinto naquele ano, como melhor programa de humor, melhor ator e melhor diretor, passou a ser manchete constante em jornais e revistas da época, elevou a carreira de Chico pós-Rádio, se tornou um LP lançado pela Philips em 1962, que trazia o áudio das encenações dos personagens de maior destaque, além de ter consagrado Chico Anysio como um dos melhores profissionais do humor no país. E entrou para a história da televisão brasileira pelo início do vídeoteipe ( recurso que passou a ser usado posteriormente em novelas, como MULHERES DE AREIA ( 1ª versão ), na TV TUPI, onde Eva Wilma fazia Ruth e Raquel ), pela audiência absoluta e pelo esquema de galeria de personagens que acompanhou Chico durante toda sua Trajetória televisiva.


Com Castro Barbosa e o Sucesso do quadro SÓ TEM TÂN-TAN !

Naquele tempo, até então, nunca ocorreu um Sucesso como daquele programa : " Tudo dava certo. Havia um avião do Rio para Brasília que saía ás oito da noite. Por pedido ( quase determinação ) dos deputados, o vôo foi transferido para as dez horas. Ninguém queria perder o programa. Muitos cinemas cancelaram as sessões das oito aos domingos por falta de público. Os bordões dos personagens eram repetidos no país inteiro. Não havia a rede, ainda. A fita saía do Rio para o Nordeste e de São Paulo para o Centro e o Sul do país. O dia do programa variava, dependendo da cidade, mas a recepção era a mesma.. " (.. ) " Uma noite, em Santos, saímos o Carlos Manga e eu por uma travessa da Conselheiro Nébias na hora em que CHICO ANÍSIO SHOW estava indo ao ar. Foi muito engraçado. Só nós na rua. Fomos andando e ' ouvindo ' o programa . Todas as televisões ligadas na Record.. "

CHICO ANÍSIO SHOW ainda percorreria por várias emissoras, até ressurgir em 1982 na programação da TV GLOBO, com diversas temporadas e o acréscimo de novos personagens, ano após ano, sendo Encerrado Definitivamente em 1990.

CHICO ANÍSIO SHOW, desde sua estreia pela TV-RIO, em 1960, se tornou um verdadeiro FENÔMENO de Audiência. E Chico Anysio ainda trabalhava paralelamente em outras emissoras, em várias funções. " Até então eu vivia dentro de aviões. Minha vida era tão ' Voada ' que eu tinha tudo dobrado. Havia sempre uma mala pronta. Trabalhava no Rio ás Terças-feiras, fazia programas no Canal 5 de São Paulo ( então TV Paulista ) ás Quartas e Quintas, atuava Sexta-feira no Rio ( Noites Cariocas ) e aos Sábados no Recife ( Noite de Black-Tie ). Gravava aos Domingos. Na Segunda-feira, tinha um dia Especialíssimo. Era quando eu fazia, na TV ITACOLOMY, de Belo Horizonte, BANCO DA PRAÇA. Acho que foi o maior Sucesso da minha Vida. O Programa parava a Cidade.. (.. ) .. Mas aquela ponte aérea começava a me Cansar. Quase não parava em casa. Um dia disse, numa entrevista, que a qualquer momento tocaria a campainha da minha Casa e meu filho diria :

- Mãe, sabe quem está aqui na Porta ? O Chico Anysio !

" Eu queria parar um pouco em Casa, curtir minha família, brincar com meus filhos, jogar minhas peladas, viver um pouco. Ao mesmo tempo, pelo Sucesso do CHICO ANÍSIO SHOW, começaram a chegar pedidos para apresentações sozinho, imitando meus Personagens ( sem Caracterizações, usando apenas a Voz e os Trejeitos ). " Assim Surgiu outro FENÔMENO : o Espetáculo CHICO ANÍSIO SÓ, ideia iniciada em 1963 ( mas aí já é Assunto para o próximo Capítulo ! ).

A Atriz Lady Francisco ( falecida em Maio de 2019 ) iniciou sua carreira em 1960, em programas humorísticos, e sua estreia na televisão foi trabalhando com Chico Anysio e outros comediantes. Nessa época, Chico se revezava em trabalhos em várias emissoras, gravando programas que iam ao ar pela TV PAULISTA, pela TV-RIO ( Noites Cariocas ) e em Recife ( Noite de Black-Tie ), assim como também pela TV ITACOLOMY, emissora de Belo Horizonte, onde fazia BANCO DA PRAÇA, juntamente com Mara di Carlo, Jorge Loredo ( o Eterno ZÉ BONITINHO ! ) e Wilton Franco, e lá, contracenavam com o ator Mauro Gonçalves e Lady, ambos começando suas carreiras. " Acho que foi o maior sucesso da minha Vida !.. (.. ) .. O Programa parava a Cidade. " A FOTO foi extraída da Autobiografia de Chico, SOU FRANCISCO, de 1992 e fazia parte do Acervo Pessoal do Mestre.


Um dos maiores Fatos Históricos do Brasil, o Golpe de 1964, começou a mexer com o país e passou a afetar também as emissoras de Televisão. " A TV-RIO estava a caminho do fim. Sentia-se isto nas deliberações, nas não-renovações de contratos importantes, nas diretrizes erradas que eram tomadas. Walter Clark brigava sozinho pela manutenção daquele quase império. Era uma casa pequena, mas de grande importância. A TV-RIO era o circo do país e a lona deste circo já apresentava emendas e - pior - muitos furos. Havia goteiras. Eu tinha sido comunista, depois simpatizante e em 64 eu era esquerdista. Humor é coisa que se faz na esquerda. Não existe humor ' de direita '. Os meus textos eram nacionalistas e isso, para ' os homens ', significava ser comunistão. Eu fazia piadas contra os americanos, que vinham comer de graça no nosso quintal. Isso incomodava.. (.. ) .. O fato é que 1964 começou a mexer com o país e a destruir a minha TV-RIO. Isso doía, mas eu já tinha onde ganhar meu dinheiro. Eu estava com meu show em cartaz no Teatro Record, em São Paulo. Chamava-se CHICO ANYSIO.. SÓ. Fiz um apanhado dos números que apresentava nos clubes e montei um espetáculo de hora e meia acompanhado pelo Manoel da Conceição. As casas lotavam. Tanto quanto a TV-RIO esvaziava. "

Além das críticas que Chico e Carlos Manga recebiam de Carlos Alberto Lofler através do jornal TRIBUNA DA IMPRENSA, os trabalhos na TV foram perdendo sucesso e qualidade. " A queda do NOITES CARIOCAS era o que mais me incomodava na TV-RIO. O auditório ainda ficava cheio, mas o prazer dos atores já não era o mesmo. Era visível que muitos até se desgostavam de fazer o programa. Começaram os atrasos, os atores com o papel mal decorado.. (.. ) Muitos quadros saíam fracos, o Ibope dava demonstrações na queda de audiência.. (.. ) .. Achei que era hora de sair. Só uma coisa me machucava : abandonar o Walter Clark, uma pessoa importante na minha vida, amigo leal e companheiro fidelíssimo. O Walter não podia sair. Ele era a TV-RIO. O jeito seria deixá-lo com os Amaral e tentar outro caminho. Nada havia pensado, no entanto. Eu sabia que iria sair, mas não sabia para onde. Inicialmente ficaria só no teatro, onde tudo corria ás mil maravilhas. O dinheiro do teatro abastecia minha vida suficientemente. "

Então Chico Anysio saiu da TV-RIO. Não muito tempo depois, em um encontro ocasional em um aeroporto, Ricardo Amaral convidou Chico para ir para a EXCELSIOR. A Emissora, de São Paulo, iria abrir uma sede no Rio de Janeiro. A EXCELSIOR, pertencente a Mário Simonsen, já havia feito vários contratos e já contava com grande elenco. Ricardo levou Chico para conversar com Walinho Simonsen, filho de Mário, onde Chico trabalharia no Rio. " ..Conversamos sobre possibilidades e cifras. Acertei tudo, impondo uma condição : o Manga também iria para a EXCELSIOR.. (.. ) Combinamos que eu faria dois programas por semana : CHICO ANÍSIO SHOW e O HOMEM E O RISO, um programa em que eu seria o mestre-de-cerimônias, com esquetes, entrevistas, atrações, um programa com convidados, de cara limpa, inteiramente diferente.. Mais do que isso : fizemos um trato, o Manga e Eu : nenhum de nós aceitaria cargo de direção. Faríamos apenas os nossos programas e fim. Nada além disso. Manga sugeriu a contratação do Geraldo Casé para ajudá-lo, já que o CHICO ANÍSIO exigia um trabalho muito grande e talvez ele não aguentasse os dois. Topei e eles toparam.. "

Foi uma avalanche de contratações e a EXCELSIOR, nas palavras de Chico, era " Uma miniatura de Hollywood ", que passou a dominar a audiência.

Importante: Diferentemente dos Relatos de Chico em sua Autobiografia, as Reportagens DATADAS da extinta Revista Intervalo Apontam a Contratação de Chico e Carlos Manga pela EXCELSIOR no período de Maio de 1963, com a estreia de seus Programas na Emissora em Agosto, e seu Retorno Repentino á TV-RIO ocorreu em Novembro do mesmo Ano.

Chico continuava com seus programas, e decidiu criar o LOVE STREET, um programa musical, semelhante aos teatros de revista, com coreógrafos, orquestra. LOVE STREET seria uma Rua composta por Casais dos mais diferentes estilos, cada um com uma música especialmente composta e com um corpo de balé definindo seu estilo, com coreografias especiais. " Trabalhei neste programa com João Roberto kelly e montamos o primeiro. Não tinha como dar errado. "

Até que um dia Chico foi chamado por Edson Leite ( um dos Diretores artísticos da Excelsior ) para ser Diretor. " Recusei. Eu havia feito um trato com o Manga. Não quis e não quereria mesmo que não houvesse a combinação. Não tenho jeito para dirigir uma estação. Primeiro porque não dispenso ninguém; segundo porque contrato todo mundo. Dirigir um setor, um núcleo, vá lá, mas dirigir uma emissora é coisa acima da minha possibilidade. Recusei. "

Foi a partir desse Fato que surgiu Outro, que ocasionou a saída repentina de Chico Anysio da EXCELSIOR e seu Retorno á TV-RIO. " Uma noite o Manga foi á minha casa. Estava muito cansado. O trabalho era intenso. Trabalhava-se 14 horas por dia. O Manga me olhou diferente, por detrás das olheiras, e começou uma conversa que me desagradou profundamente :

- Chiquinho, a gente pode ter esta estação na nossa mão. É só um de nós ser diretor geral.

" Imediatamente percebi : ' O Edson o convidou e ele aceitou.' Era isso. O Manga estava apenas me preparando o espírito para a notícia. Deixei que ele falasse :

- O Casé toma conta de O HOMEM E O RISO sozinho, ele vai fazer muito bem, e eu fico com o CHICO ANÍSIO SHOW. Então vou ' me oferecer ' para a direção geral. Se eles toparem, estamos com a faca e o queijo na mão.

" Então eu saí da EXCELSIOR. Afinal, quando o Ricardo Amaral me convidou naquela sexta-feira, em São Paulo, eu aceitei muito mais por causa do Manga, porque a minha barra eu livrava com o teatro. Foi ímpeto de ariano, reconheço hoje. Naquela hora, no entanto, tive ódio do Manga. Senti que estava sendo traído. No dia seguinte, quando ele me comunicou que o Walinho, o Edson Leite e o Alberto Saad haviam concordado, eu disse que estava indo embora. "

Quando questionado, Chico Anysio disfarçava a Situação na Mídia : " Não posso ficar Mal com Ninguém, por isso não posso responder, mas Eu Volto com muita alegria para a TV-RIO. "

Somente em sua Autobiografia, lançada em 1992, EXPÔS Toda a Verdade sobre aquele período e fez Revelações sem a menor Cerimônia :

" O Manga transformou o LOVE STREET em TIMES SQUARE. Haroldo Barbosa botou outra letra na música do kelly e, junto com Mário Meira Guimarães, criaram um programa muito melhor que o LOVE STREET, mas ' chupado ' dele. Foram comigo para a TV-RIO o Kelly, Manoel da Conceição, Cheiroso ( Nezinho do jegue ), Mário Tupinambá e Jota Ruy. Ninguém mais. Todos que ficaram na EXCELSIOR foram aumentados. Tinham medo que eu levasse mais gente comigo e os prenderam com fartos aumentos de salário. Jogaram dinheiro fora. Nem eu pretendia levar mais ninguém nem a TV-RIO tinha grana para bancar os salários que a EXCELSIOR pagava. Eu fui ganhando 40% a menos do que recebia na EXCELSIOR. A TV-RIO era quase a mesma. A diferença estava no seu novo diretor de programação, um jovem chamado José Bonifácio de Oliveira Sobrinho. "

O Famoso Boni, que conduziu o Império TV GLOBO por 28 anos ( de 1969 a 1997 ) e foi consultor artístico da emissora até 2001, era o responsável pela Direção Geral da TV-RIO naquela época, mas sem sucesso. " A TV-RIO estava acabada. Trabalhávamos sobre escombros. Equipamento superado, cenários deteriorados, guarda-roupa acabado.. (.. ) O Walter ameaçava apresentar uma vontade que não conseguia e o Boni via que aquele time não faria um gol sequer. Era malhar em ferro frio. "


" Minha volta á TV-RIO foi muito comentada e aconteceu num programa especial realizado ao vivo no terraço.. (.. ) CHICO ANÍSIO SHOW estreou numa quinta-feira. A EXCELSIOR botou o TIMES SQUARE em cima e acabou comigo. Passei para a terça-feira, mas foi inútil. Lancei, com o Kelly um programa chamado PRAÇA ONZE. Era o TIMES SQUARE do terceiro mundo. Eu podia fazer isso, porque o TIMES SQUARE era minha LOVE STREET roubada. Fizemos um prefixo bonito, gravado pela Dalva de Oliveira." ( O Famoso RANCHO DA PRAÇA ONZE ).

" Tudo dava em nada. O domínio da EXCELSIOR, muito justamente, era avassalador. Tudo lá dava certo. Nada aqui servia. Aos poucos o Walter foi mudando a programação. O Boni já tinha voltado para São Paulo.. (.. ) ..A EXCELSIOR reinava absoluta. Nem a TV RIO, nem a TUPI chegavam a fazer cócegas na EXCELSIOR. A TV CONTINENTAL nunca existiu e me parece que a TVE ainda não estava no ar. Se estivesse também não teria a menor importância. O Brasil ligava na EXCELSIOR e adeus. Joguei mais de trinta personagens fora nessa fase negra da minha carreira. Tentei de todos os modos e por todos os lados. Era derrota em cima de derrota."

Foi quando Chico recebeu um telefonema de Edson Leite, querendo a volta de Chico á EXCELSIOR. Chico recusou, por causa do desentendimento com Manga, mas Edson acabou o convencendo a voltar. " Ele falou, falou, falou, garantiu que o Manga me adorava, marcou um almoço para o dia seguinte, ali mesmo, no iate. O Manga iria. Aceitei. "

- Chiquinho ! - gritou o Manga de braços abertos e sorriso largo.

" O abraço que me deu quase me quebra a costela. Conversamos e aceitei voltar.. (.. ) "..Estreei no TIMES SQUARE. O Haroldo Barbosa escreveu a cena. Era o CORONEL LIMOEIRO conversando com a Dercy Gonçalves. Foi a única vez que contracenei com a Dercy e isso me aumentou demais a alegria de estar na EXCELSIOR.. (.. ) ..Foi uma noite linda e importante. Daí.. era botar o meu programa no ar. Esperei um mês. Esperei dois meses. A conversa era sempre a mesma :

- Semana que vem a gente resolve. Temos que tirar um para colocar o seu. - Quatro semanas depois veio a decisão : - Não tem lugar para o seu programa.

" Fui, então, deportado para São Paulo. Não que São Paulo seja lugar ruim de se trabalhar. Uso a palavra ' deportado ' porque eles estavam ' se livrando ' de mim. "

" A TV EXCELSIOR de São Paulo funcionava onde hoje está o TEATRO CULTURA ARTÍSTICA, na Rua Nestor Pestana ( Teatro destruído por um incêndio em 2008, em processo de reconstrução agora, em 2019 ). Lá eram gravadas as novelas e o jornalismo local. Mais nada. Nem elenco, nem cenografia para shows, nem guarda-roupa. Tudo estava desativado. A única coisa referente a show era eu. Todos os shows da EXCELSIOR eram realizados no Rio, de modo que não havia sequer um diretor para me ajudar na criação do programa. Chamei o Irvando Luiz para escrever comigo.. "

Para realizar o CHICO ANÍSIO SHOW, Chico solicitou ao Edson Leite que Daniel Filho fosse diretor do programa em São Paulo.

" Fiquei quase dois anos morando em São Paulo. Fazia o CHICO ANÍSIO SHOW com o Daniel dirigindo, e o BAR-T-PAPO, um programinha de cinco minutos diários, dirigido pelo Gonzaga Blota. Além dos dois programas, fiquei fixo como comentarista esportivo da EXCELSIOR. "

Até que Chico foi chamado de volta para o Rio, onde Manga avisou que já havia um horário para Chico fazer um programa, mas que não podia ser o CHICO ANÍSIO SHOW. Foi aí que Chico e Daniel criaram o VOLTA AO MUNDO EM OITENTA SHOWS ( O Programa, na realidade, se chamava VOLTA AO MUNDO SEM FAZER FORÇA ), que tinha um navio como base. " Cada programa era ambientado num porto. Fizemos programas em Havre, em Tanganika, Buenos Aires, Barcelona. Éramos seis estrelando o programa : Costinha, Walter D'Ávila, Daniel, Pery Ribeiro, Lennie Dale e Eu. Seis marinheiros.. " (.. ) Como tudo na EXCELSIOR carioca, o programa era um escândalo.. (.. ) Um Luxo. Devemos ter feito uns trinta programas. Aí a EXCELSIOR começou a se desintegrar. Começaram a falar de problemas de café envolvendo o Sr. Mário Simonsen. O dinheiro principiou a diminuir e já se falava em contenção de despesas. O programa foi suspenso e eu voltei para São Paulo, cidade da qual já tinha saudade, onde fiz o programa NÓS NA CIDADE.. (.. ) .. " O programa durou pouco. A EXCELSIOR caminhava a passos gigantescos para o final.. (.. ) .. " A emissora do Rio já quase não tinha ninguém no elenco.. (.. ) ..Meus shows nos clubes e teatros iam de vento em popa. Não havia mais nada a fazer na TV EXCELSIOR. "

Em pouco tempo Chico recebeu um telefonema do Dr. João Calmon, da TV-TUPI, no Rio, o convidando para assumir a direção do TELECENTRO, uma central de shows criada pela emissora com o objetivo de competir com a TV RECORD, que naquele período dominava a audiência com seus programas, como O FINO DA BOSSA e FAMÍLIA TRAPO. Chico aceitou o convite e se mudou novamente para o Rio. Mas o TELECENTRO não deu certo. " Os Diários Associados pertenciam a vinte e tantos donos. Houve uma época em que os Diários Associados possuíam a TV mais vista, a rádio mais ouvida e jornal mais lido de todas as Capitais do Brasil. Mesmo assim não deram certo. As emissoras da rede compravam os programas da RECORD e os colocavam no horário nobre e os seus próprios programas eram postos no ar ás onze e meia da noite. Além disso, eu na direção geral do TELECENTRO não estava feliz.. (.. ) ..fiz ver ao Dr. Calmon que o mais certo era eu sair da direção e continuar apenas como ator. Indiquei o Boni para o meu Lugar.. (.. ) .." O Boni assumiu a direção do TELECENTRO e também dirigia o programa do Moacyr Franco. Mas não podia fazer nada. Com a força que a própria rede associada dava, a RECORD subia cada vez mais. O Boni perdeu a paciência e aceitou o convite do Walinho para ir para a TV GLOBO.. " (.. ) .. " A TV GLOBO estava começando, não passava de uma incerteza. Apenas nenhuma incerteza é assim tão incerta se o Boni está dentro dela. "

Enquanto isso, a TV TUPI seguia rumo a falência, atrasando pagamentos e perdendo artistas. " O Renato ( Aragão ) foi para a RECORD. Todo mundo foi debandando. O pagamento atrasava tanto que o Jésus Rocha fez um dia uma piada :

- Na TUPI eu não trabalho nem que ela me pague !

" O Alegria, velho comediante, colaborador anônimo de Sérgio Porto, lançou uma piada antológica :

- O pagamento saiu.

- Saiu ?

- E não sabe quando volta !

.. (.. ) .. "Não havia nada mais a ser feito. Tudo lá era tão estranho que o Sr. Lucena, diretor comercial, ' me passou ' para a RECORD. Ele queria se livrar do meu salário e ' me ofereceu ' ao Paulinho Machado de Carvalho.. (.. ) ..Eu tinha que mais uma vez me mudar para São Paulo, mas trabalhar na RECORD era maravilhoso. "

Na RECORD Chico Anysio foi responsável pela criação e elaboração de vários programas para o elenco da casa, além de dividir um programa com o cantor Wilson Simonal ( o VAMOS SIMBORA ), além de participar do SHOW DO DIA SETE e do ESTA NOITE SE IMPROVISA, este último o motivo pelo qual Chico desistiu de permanecer trabalhando na RECORD e que fez a emissora, até então de enorme sucesso, Decair.

Chico Anysio foi Funcionário da TV RECORD entre 1967 e 1968. Fez o CHICO ANÍSIO SHOW e MIL CARAS DE OURO E UM CARA DE PAU, além de dividir um programa com o cantor Wilson Simonal ( o VAMOS S'IMBORA ), também Produtor do SHOW EM SI.. MONAL, além de participar do SHOW DO DIA SETE e do ESTA NOITE SE IMPROVISA.

Com o Final do Famoso Programa JOVEM GUARDA, a RECORD resolveu Reaproveitar a " Ternurinha " Wanderléa e o " Tremendão " Erasmo Carlos. Ao contrário do que aparece em Pesquisas de Internet, o Programa Musical TERNURINHA E TREMENDÃO não foi Criado pela " EQUIPE A " da Emissora ( Equipe que era Formada por Newton Travesso, Manoel Carlos, Raul Duarte e Tuta ) e Sim idealizado pela EQUIPE ZOOM, do qual Chico Anysio fazia parte ao lado do Diretor Carlos Manga.

Houve um período, entre o final de 1968 e início de 1969, em que nosso Mestre Chico Anysio pensou Seriamente em Abandonar a Carreira. Se por um lado a Rotina de trabalho era EXACERBADA, por outro, o desagrado com os Esquemas das emissoras de TV o faziam cogitar a Possibilidade de se Aposentar fora do Tempo. Chico, nessa época, era contratado da RECORD ao mesmo tempo em que se Apresentava pelo País com seu Espetáculo. Com a Rotina Igual ( ou Mais ! ) Acumulativa, passou a criticar o Esquema de trabalho das emissoras em geral, negando-se a submeter-se a Ela.

Chico, que em algumas Ocasiões desabafava á Imprensa sobre seu Trabalho ou Respondia aos CRÍTICOS por meio da Mesma, no final dos Anos 60 passou a fazer Planos de Abandonar a Televisão.

A Edição 317 da extinta Revista INTERVALO, da editora Abril, trouxe Chico Anysio como uma das chamadas de Capa e uma Matéria Especial sobre a Insatisfação do Mestre no meio televisivo. Faltando 3 Meses para o vencimento de seu Contrato com a TV RECORD, planejava abandonar ás Telas após esse período. Á Reportagem, declarou : " Não quero depender de IBOPE ou de Estatísticas de Audiência para Sobreviver.. (.. ) ..O que quero é ter Condições para dar o que tenho de melhor em mim.. (.. ).. Por isso mesmo, é quase certo que eu venha a desistir de fazer televisão.. (.. ) .. Todos os artistas que atuam na TV estão impossibilitados de mostrar seu valor, porque normalmente tem que competir com Programas Sensacionalistas ou de sentimentalismo Barato. "

O Estopim para abandonar a TV RECORD, todavia, aconteceu por causa do Programa ESTA NOITE SE IMPROVISA.

ESTA NOITE SE IMPROVISA era um Jogo Musical entre artistas, que, a cada semana, participavam das eliminatórias e iam acumulando prêmios, até a competição chegar ao final. Chico foi vencedor várias vezes. Até que um dia avisaram que o esquema do programa havia mudado : as músicas já não seriam apenas cantadas, mas também com uma parte de Mímica. Foi o que bastou para Chico Anysio desistir, não só de participar da competição, como também de permanecer na emissora. Procurou Manoel Carlos ( o famoso novelista da TV GLOBO ), que naquela época era o responsável pelo programa :

- Maneco, você não está acabando com um programa, mas com uma emissora. Esse negócio de mímica vai acabar com tudo.. (.. ) Isso já foi feito no Rio com o nome de É PROIBIDO FALAR e fracassou. Com duas semanas todos já tem senhas.. A mímica acaba e, num gesto, , o parceiro ' mata ' o nome de qualquer filme.. (.. ).. o público não participa.. "

Os argumentos de Chico foram inúteis e ele resolveu sair.

- Não quero estar na RECORD quando ela Acabar e ela começou a Acabar na semana passada com a mímica.

" Paulinho tentou me convencer a ficar, mas eu estava decidido. Estrearia na próxima semana no TBC e a televisão, ao menos por uns tempos, saía do meu cardápio.. (.. ) .." Nunca tive esse tipo de premonição ao marcar o cartão da sena ou da loto, mas seria ótimo que acontecesse, porque sete meses depois ninguém mais estava na RECORD.. (.. ) ..A Modificação Estapafúrdia no formato do ESTA NOITE SE IMPROVISA foi a Foice que abriu a Picada por onde começou a caminhada da TV GLOBO. "

Em sua Autobiografia de 1992, Chico relembrou os BASTIDORES da Emissora :

" O Brasil achava que a RECORD era uma coisa Hollywoodiana. Que engano. Eram dois teatros e um estúdiozinho no aeroporto. O telejornal era feito num corredor. Ficava uma pessoa tomando conta e pedindo silêncio, enquanto o jornal ia para o Ar. Só que o elenco era um deslumbramento. Quem não estava na RECORD não existia. Nunca esquecerei o dia em que o Paulinho Machado de Carvalho marcou uma reunião para saber a razão pela qual o programa estava dando apenas 45 pontos no Ibope. Hoje ( em 1992 ), se um programa da RECORD der 15 pontos o bispo Macedo se converte ao catolicismo. "

" A RECORD não era uma Empresa, era uma Família.. (.. ) .. A RECORD durou pouco, mas foi a que menos tentou. Um pouco mais de cuidado e teria ido bem mais longe. Foi a que menos investiu e buscou uma Aprimoração enquanto estava na CRISTA. Sempre foi " Amadora ". Um pouco mais de Profissionalismo e poderia ter se transformado numa Força Real da Televisão Brasileira. Mesmo sendo uma Estação do Tipo ' feita em casa ' , foi Responsável por muita coisa de Fundamental Importância, como o lançamento do JOVEM GUARDA, por exemplo. "

Antes da sua chegada á TV GLOBO, Chico ainda retornaria á EXCELSIOR, a convite de Maurício Sherman para participar do HOTEL DO CRIOULO DOIDO, escrito por Jota Ruy, Haroldo Barbosa e Paulo Silvino. " Minha intervenção resumia-se a uma entrevista no final. Eu entrevistava uma pessoa do povo. Um bombeiro que havia salvo uma criança num incêndio, um homem que evitou um assalto num ônibus, coisas assim. Até que a minha parte funcionava, como muitas coisas do programa também davam certo, mas uma televisão não se faz com ' um programa '; faz-se com ' uma programação '. A TV EXCELSIOR além do HOTEL DO CRIOULO DOIDO, não tinha mais nada e o HOTEL entrou no time do nada. "

Chico Anysio fazia sucesso absoluto com o show CHICO ANÍSIO.. SÓ e pretendia voltar a São Paulo após a temporada carioca do espetáculo, se apresentar no TBC e excursar o Brasil inteiro se apresentando, voltando com o show no Rio somente em 1974. Uma proposta do Supermercado Disco foi o que mudou seus planos. Queriam que Chico fizesse um programa para eles, através da TV GLOBO, onde Chico reencontrou Boni, então diretor da emissora. Assim nasceu CHICO ESPECIAL, um programa com esquetes rápidas, com encenações baseadas em situações diversas do cotidiano. Daniel Filho foi escalado para dirigir. Ao final do contrato, Boni exigiu que a renovação não fosse mais através do Supermercado Disco, mas pela própria TV GLOBO. CHICO ESPECIAL fazia sucesso, e passou de CHICO ESPECIAL para o nome de VOCÊ TEM TEMPO ? e mais tarde foi substituído por CHICO EM QUADRINHOS, mas, no meio do caminho, Chico teve de ser afastado da emissora por alegação de problemas salariais. " Voltei ao Teatro e empreendi uma excursão ao Norte-Nordeste, onde ainda não havia apresentado o CHICO ANÍSIO.. SÓ. Dava para viver muito bem, mas a televisão, pela primeira vez, me fez falta. Não gostei de ver o mesmo programa quatro vezes seguidas no Ar. Imagina se hoje a GLOBO faria isso. Mas naquele tempo ela estava apenas começando. " Até que Chico recebeu um recado de Boni :

- Chico, o Chacrinha saiu da Globo. Pode voltar que já tenho dinheiro pra lhe pagar.

O Retorno de Chico marcou a Estreia do grande sucesso CHICO CITY.


CHICO ESPECIAL foi o primeiro programa de Chico Anysio dentro da TV GLOBO, em 1969. O Humorístico não tinha Personagens Fixos e as Filmagens eram feitas em diversos Lugares, que se tornavam Esquetes de Minutos, apresentando as mais variadas situações Engraçadas do Cotidiano. Tempos depois continuou no Ar como VOCÊ TEM TEMPO ? e foi substituído por CHICO EM QUADRINHOS.

CHICO CITY, nos Anos 70, MARCOU a Trajetória de Chico Anysio dentro da " Vênus Platinada

Apesar de alguns altos e baixos e de alguns Deslizes por culpa do Público de Chico, o Mestre teve uma trajetória Brilhante nas três primeiras décadas dos seus 40 Anos de TV GLOBO.

Em 1971 ( de Acordo com Chico Anysio em sua Autobiografia, mas, na Realidade, foi em 1973 ) começaram as gravações de *CHICO CITY, idealizado e elaborado em parceria com Arnald Rodrigues. Foram 9 anos de sucesso absoluto, até o término do programa em abril de 1980.

Chico Anysio foi um dos criadores do FANTÁSTICO e seu quadro fixo dentro do programa como Cronista um dos pontos altos do dominical, durou 17 anos. Ainda nos anos 70 criou com Arnald Rodrigues o programa AZAMBUJA E CIA. e o seriado infantil LINGUINHA X MR. YES, com três minutos diários, e que, ironicamente, teve de sair do Ar por excesso de audiência.

Em 1981 veio CHICO TOTAL, que era um programa mensal que não deu muito certo, mas que, entre outras coisas especiais, exibiu o Histórico Show de Chico Anysio no Carnegie Hall.

Em 1982, CHICO ANYSIO SHOW volta ao Ar, trazendo o lançamento de novos Personagens. Sucesso, ia mudando de abertura, redatores e diretores a cada ano, sempre trazendo a inclusão de novos personagens. Os últimos anos da década de 80 não foram muito favoráveis para o programa, mas não chegaram a ser fracasso. CHICO ANYSIO SHOW saiu do Ar em 1990, e abriu espaço para a *estreia da ESCOLINHA DO PROF° RAIMUNDO. Até então um quadro fixo de sucesso dentro de CHICO ANYSIO SHOW, se tornou um Programa de Fato. Considerado por muitos O CLÁSSICO DOS CLÁSSICOS entre os programas de Humor da Tv brasileira, misturando veteranos da comédia com novos comediantes, foi sucesso absoluto em todas as suas temporadas. Das noites de sábado passou para as tardes da GLOBO, se tornando Diário, atingindo e conquistando o público de todas as faixas etárias.


A ESCOLINHA DO PROFESSOR RAYMUNDO chegou á TV em 1957 como um quadro dentro do programa  NOITES CARIOCAS, da TV-RIO. Durante 38 anos, a Escolinha foi um quadro comandado por Chico Anysio em diversos programas Humorísticos, em formato de SABATINA, com poucos Alunos. Ganhou notoriedade durante as temporadas de CHICO CITY e foi também um dos Destaques do Humorístico BALANÇA, MAS NÃO CAI, pela TV GLOBO. Mas, a Popularidade televisiva só veio mesmo em 1988, quando se tornou um dos quadros FIXOS do CHICO ANYSIO SHOW. Um dos maiores Atrativos do Programa, fez com Chico Anysio tivesse a ideia de torna-lo um PROGRAMA PRÓPRIO. Acabou se tornando um dos Maiores Clássicos do Humor da Televisão de todos os tempos, sendo reprisado até Hoje pelo CANAL VIVA.

Em 1991, paralelamente ao trabalho na ESCOLINHA, cria ESTADOS ANYSIOS DE CHICO CITY, um sucesso em seu início, mas que, por culpa do público, sofreu declínio, mas conseguiu se recuperar.

Em 1995, depois de anos caracterizado apenas de Profº Raimundo, Chico Anysio retorna ao antigo esquema de Personagens e ressurge, em 1996 protagonizando CHICO TOTAL ( tal qual o nome de seu programa de 1981 ) nas noites de Sábado.

Descontente, resolve se mudar com a família para o exterior, e por lá, recomeçar a carreira de roteirista. O acidente doméstico que fraturou sua mandíbula também contribuiu para o Fim Concreto do programa.

Em 1999 retorna definitivamente ao Brasil, onde O BELO E AS FERAS, baseado nas Sitcoms americanas, com episódios gravados desde 1998, foi lançado. Ao mesmo tempo, o ZORRA TOTAL, projeto que ajudou a criar, baseado na ideia do que ele queria que se tornasse o CHICO TOTAL de 1996 após seu acidente, contou com sua Participação e Mentoria.

Além de todos os seus programas, Chico, devido ao Prestígio na casa e ao Sucesso e Credibilidade de sua Imagem como Figura Pública, fez trabalhos paralelos dentro da emissora, inclusive fora das câmeras.

O BELO E AS FERAS, apesar de divertido, não alcançou o sucesso esperado. Chico Anysio se surpreendeu com o cancelamento das gravações. Restou as participações em ZORRA TOTAL, programa do qual ele foi um dos criadores e do qual era o Mentor. ALBERTO ROBERTO, a cada semana entrevistando um artista convidado, foi um dos pontos altos do programa durante muito tempo. A ESCOLINHA, em versão encurtada, também fazia sucesso. Em 2001, ela voltou ao Ar nas tardes da GLOBO, com antigos e novos comediantes. Em 2002, sem maiores explicações, foi descartada da programação. Um sofrimento para os profissionais mais velhos e uma Dor Insuportável para Chico Anysio, que chegou ao ponto de tentar investigar quem teria sido o responsável pelo término do programa, ou quem poderia ter influenciado essa atitude.

A partir daí, passou a sobreviver de participações esporádicas em produções e novelas da casa. Muitos desses trabalhos o próprio Chico foi atrás, como aconteceu em SINHÁ MOÇA, remake da novela de 1986, de Benedito Ruy Barbosa, reescrita em 2006 por suas filhas, Edimara e Edilene Barbosa, onde Chico procurou o diretor Ricardo Waddington e se ofereceu para o papel do fazendeiro EVERALDO.

Chico tentou de todos os modos : fez novelas, participou de séries e especiais, ofereceu projetos á diretoria, entrou e saiu do ZORRA várias vezes ( numa dessas, em 2009, fazendo ALBERTO ROBERTO, já estava extremamente debilitado ), mas BRAVAMENTE Resistia e Conseguia arrancar Risos do Público !

Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais ) ( Instagram >> @MEMORIALCHICOANYSIO )