VOCÊ CONHECE CHICO ANYSIO ? - ENCICLOPÉDIA VIRTUAL - CAPÍTULO 5

19/11/2021

05. Livros

" O Autor escreve melhor quando SABE o que está escrevendo. Aos 17 anos, não havia como escrever tão bem quanto escrevia aos 30, por exemplo. Além da vivência, faltavam-me a segurança, a certeza e o sofrimento. Mas Eu escrevia sempre. Todos os dias, porque escrever é um exercício diário. É preciso escrever, nem que seja para jogar no lixo. Escrever muito. Mais. Sempre. Sem parar. Escrever ficou sendo minha Tarefa mais Amada."

O TRECHO acima, extraído da Autobiografia do Mestre, de 1992, retrata um pouco da Paixão que Chico tinha por ESCREVER. Além de Redator nos tempos de Rádio, no Teatro e na TV, e também Roteirista, inclusive para os famosos filmes do tempo das Chanchadas, foi COMPOSITOR, se aventurou algumas vezes como CRONISTA e exercia, como todos sabem, o Ofício de ESCRITOR, sendo Autor de 24 Livros, entre Contos, Romances, Obras inspiradas em Personagens, Histórias diversas e sua Própria Biografia feita em 1991, lançada pela Editora ROCCO em 1992.

O Ano de 1972 não marcou apenas o Retorno de Chico á TV GLOBO e SUA ESTREIA NO CINEMA (Assuntos para os próximos Capítulos!). Estreou também como ESCRITOR. O BATIZADO DA VACA foi o Primeiro Livro do Mestre. " Eu sempre desconversava e dizia que não sabia, que não podia, que não valia à pena, que ninguém publicaria e que não tinha tempo. A última desculpa era a única verdadeira. Escrever um livro fazia parte do meu ideal, mas sempre trabalhei muito e o tempo sempre foi um problema. Mas, em 1972, o Ricardo Amaral me procurou. " Rubem Braga, á época dono da Editora Sabiá, se interessou em publicar algo feito por Chico, que optou por escrever Contos. " Em cinquenta dias eu tinha três livros prontos. Os dedos doíam, as costas queimavam, mas havia ali material para três livros de 140 páginas. Isto significa que, em cinquenta dias, eu havia batido mais de quinhentas páginas. Levei todas as histórias para o Rubem e ele ficou de selecionar. Uma semana depois me chamou à sua cobertura-fazenda na rua Barão da Torre. "


Em 1973, vieram os Livros O ENTERRO DO ANÃO e É MENTIRA, TERTA?, este último idealizado pelo Grande Sucesso de Chico na GLOBO : o Personagem PANTALEÃO, do Programa CHICO CITY, que havia estreado em 5 de Janeiro. Era vendido exclusivamente em Bancas de Jornais, a preço Popular.

Lançado em 1974 pela Editora José Olympio, A CURVA DO CALOMBO, o quarto Livro de Chico Anysio, na época, não teve o mesmo Exito dos Livros anteriores.

Quando Chico escreveu seu primeiro Livro, O BATIZADO DA VACA, lançado em 1972, algumas pessoas se surpreenderam, assim como O ENTERRO DO ANÃO, lançado no ano seguinte. Ao contrário do que se esperava, Chico apresentou CONTOS, vários deles de conteúdo Trágico. Quem esperava RISOS e mais RISOS, estranhou um pouco.

ANÚNCIO de LANÇAMENTO do Livro A CURVA DO CALOMBO, em 1974, veiculado em vários Jornais da época. O Livro trazia 35 Histórias baseadas em Situações diversas do Cotidiano.

Depois do Sucesso de vendas de É MENTIRA, TERTA ?, seu terceiro Livro, de 1973, inspirado no Clássico Personagem PANTALEÃO e suas histórias Inacreditáveis, A CURVA DO CALOMBO, de 1974, voltou a surpreender. Um misto de Seriedade e Comicidade, pouca gente Entendeu na época a Capacidade de Chico escrever Seriamente e ser Enfático através da Satirização. Mesmo Críticos Especializados foram Incapazes dessa Percepção, preferindo Analisar o trabalho de Chico sob o Ponto de Vista Literário, deixando de lado a Ênfase por trás das Histórias, ou deixando de explorar a Objetividade ( ou possíveis Objetivos ) por trás dessa Ênfase.


Em Julho de 1974, o Jornal TRIBUNA DA IMPRENSA Publicou alguns Contos Extraídos do Livro de Chico Anysio.

TEJE PRESO, quinto Livro escrito pelo MESTRE Chico Anysio, lançado em Junho de 1975 pela editora ROCCO, foi uma Obra de Contos, como os anteriores O BATIZADO DA VACA ( 1972 ), O ENTERRO DO ANÃO ( 1973 ), É MENTIRA, TERTA ? ( 1973 ) e A CURVA DO CALOMBO ( 1974 ). Porém, a diferença estava nas Histórias, desta vez todas sobre o Nordeste. " Os quatro primeiros livros foram mais cariocas. Nordestino, me sinto melhor escrevendo sobre meu Chão", declarou na época ao Jornal O GLOBO, explicando a emotividade e facilidade de trabalhar uma linguagem que melhor se identifica.


TEJE PRESO já estava Pronto desde 1973, antes de A CURVA DO CALOMBO, e Chico considerava o seu Livro mais Trabalhado, sob o ponto de vista Literário, e o mais Importante, sob o ponto de vista Emotivo. Seu Ofício de ESCRITOR havia deixado de ser uma atividade complementar do Humorista para se tornar o que Ele chamava de " Trabalho Sério ", eventualmente cômico, porque " o cotidiano é cômico, mas também trágico".

Quando lançou TEJE PRESO já tinha PRONTO o Livro O TOCADOR DE TUBA ( que foi lançado muito tempo depois, em 1977, após o lançamento de FEIJOADA NO COPA, livro que veio após TEJE PRESO ). E ainda já tinha CARAPAU ( de 1980 ) em seus Planos.

" Será um Romance. Tem coisas engraçadas, claro, mas não é frágil. Será sobre o problema da Eleição no Nordeste. Começa em 1945 e termina com as Eleições de 1950, para a Presidência da República. Cobre toda a época do Coronelismo, que acabou definitivamente com a morte de Chico Heráclio " ( Francisco Heráclio do Rego , Proprietário Rural brasileiro de destacada influência política na cidade pernambucana de Limoeiro, falecido em 1974 ).

Ainda ao Jornal O GLOBO, revelou seu Processo de Criação de Livros : " Primeiro, a Sinopse dos Temas. Depois, sem maiores preocupações, a própria história, que será reescrita quantas vezes Eu julgar necessário, ás vezes até cinco ".

TEJE PRESO nada mais foi do que uma Obra genuinamente Nordestina, com seus costumes, hábitos e linguagem. Com ausência humorística ( apenas de maneira Sutil ), tratou de assuntos como Política, Poder, Machismo, e até comportamentos que, atualmente seriam INCONCEBÍVEIS, como a Intolerância a Portadores de Necessidades Especiais, retratada em uma das Histórias do Livro. A História que deu TÍTULO ao Livro tratou da fictícia cidade de Cravelho, esquecida por causa da Rivalidade entre outras duas cidades mais prósperas. Quando a cidade começa a se tornar alvo de Bandidos/Violência, sem poder contar com auxílio do Governo, os cidadãos se Unem para construir uma nova Cadeia. Porém, quando a Cadeia finalmente fica pronta, não encontram presos para inaugurá-la.

Em 1976 Chico lançou FEIJOADA NO COPA e em 1977, O TOCADOR DE TUBA. O CRIME PERFEITO, um dos Contos de Chico Anysio pertencente ao livro FEIJOADA NO COPA, foi publicado em PRIMEIRA MÃO pela 5 ª Edição da extinta Revista HOMEM ( versão brasileira da PLAYBOY ), de 1975, meses antes do livro ser Lançado.


CARAPAU foi o Primeiro ROMANCE de Chico Anysio em 1978, após ter Lançado Sete Livros de CONTOS. Teve Texto Especial de ninguém menos que Jorge Amado e Orígenes Lessa, Jornalista, Contista, Romancista e Novelista, falecido em 1986, que também deu seu Parecer no Prefácio do Livro.

Trecho do Prefácio de Orígenes :

" O Humorista.. O Ator.. O Intérprete.. Muito para qualquer um, pouco para Chico Anísio. Ele tem Sempre um passo novo a dar, uma experiência a fazer, carta inesperada a pôr na mesa. É o Profissional da Insatisfação, o Imprevisto seu Jeito de SER. Um Dia, anunciou um Livro. Seu Público imediato absorveu quase Cem Mil Exemplares em semanas. Mestres do Terreno das Letras foram Ver. Se não era igual ao já conhecido, o Novo Chico Anísio não comprometia o Primeiro. Construía bem, contava melhor, sabia Ler e Escrever, não fazia mal a ninguém. Até divertia.. E, naturalmente, não iria Insistir.. Aí é que foi a Surpresa : Insistiu. Veio Segundo, o Terceiro Livro chegou. E o que é Melhor ou mais Grave : cada livro, um passo á frente na Arte de Contar escrevendo, o que fazia pensar num processo longo de preparação afinal deslanchado.. (.. ) ..O Contista era um Personagem novo entre os muitos já vividos pelo Artista. Bastava ? Não. Vem mais. Por enquanto, porém, a genialidade Multifacetada de Chico Anísio se contenta com o Romance. É o caso deste Livro, sua estreia no Gênero. Que vem Confirmar, na Precisão e Enxutez da Linguagem, o Narrador Excepcional que vinha crescendo nos livros anteriores.. "

Trecho do Texto Especial de Jorge Amado :

" Ponho-me por vezes a Pensar no Destino dessas Figuras criadas com tanta Verdade e tanto Amor por Chico Anísio, hoje tão queridas pelo público - um público de milhões de telespectadores que assistem semanalmente ao Programa CHICO CITY - tão Familiares a Cada Um de Nós, imagens da Humanidade brasileira, Heróis do nosso Cotidiano. Quando a Imagem do Mestre Humorista Desaparecer do Vídeo, quando sua Voz deixar de ser ouvida no Rádio ou no Palco, por quanto Tempo ainda serão lembradas essas Criações que Vivem do Sangue e da Carne de Chico Anísio ? "


Em 11 de Agosto de 1978, o Jornal O GLOBO trouxe uma Entrevista com Chico Anysio, cujo o principal Assunto era o recente Lançamento do Livro CARAPAU, pela Editora ROCCO. Questionado sobre a possibilidade de estranheza do público, que desde suas primeiras Obras esperavam um Chico Anysio engraçado e se surpreenderam com o Conteúdo, Chico respondeu : " Este é um problema que nunca me preocupou. Meus livros venderam muito, e eu acho que CARAPAU é o que vai vender Menos. O Público prefere o Conto ao Romance. O Conto pode ser lido aos poucos e até mesmo dentro do ônibus. Cada Conto tem em média duas ou três páginas, e o leitor não tem que se preocupar com a história e o enredo. Já para ler um Romance, o leitor tem que dedicar um maior número de horas e ler mais atentamente. Os meus livros são lidos, principalmente, por gente que não está acostumada a isso.. "

CARAPAU, teve TRECHOS publicados com Exclusividade antes de seu Lançamento, em Abril de 1977, na Edição 21 da já mencioanda Revista HOMEM.


Chico Anysio ainda foi Colaborador da extinta Revista STATUS, de 1979 a 1981, onde eram Publicados CONTOS do Personagem CLEÓFAS, criado para o Livro O TELEFONE AMARELO, seu Décimo Livro, lançado em 1979. Antes, já havia lançado a Compilação de histórias TEM AQUELA DO..

Com Shows pelo País e a rotina puxada de gravações do CHICO ANYSIO SHOW pela TV GLOBO, uma Explosão de Sucesso desde que Ressurgiu em 1982, Chico Anysio só voltaria a ter tempo de se dedicar a Escrever Livros em 1983. Um ano antes do lançamento do Livro O TIETE DO AGRESTE, a estória escrita pelo Mestre era Publicada diariamente no Caderno de Variedades do Jornal ÚLTIMA HORA ( RJ ). A Saga do nordestino BIO, nascido SEVERINO, que resolveu proclamar a independência do Nordeste, dividindo o país em BRASIL-ESTE, o sul, e o "BRASIL-DA-PESTE," era contada no Jornal em partes, numeradas, com Desenhos do Cartunista Jorge Guidacci. Em 3 de Julho de 1984, foi lançado Oficialmente o LIVRO pela editora Rocco.

Em 1985 lança NEGRO LÉO. O Livro/Romance foi Adaptado para a Televisão em um Episódio Homônimo exibido no Programa CASO ESPECIAL, pela TV GLOBO, em 30 de Maio de 1986. O Trabalho teve Direção de Paulo Ubiratan e Luiz Gleiser e foi Protagonizado por Lílian Lemmertz. Este, aliás, foi o último Trabalho da Atriz, que faleceu em 5 de junho de 1986, apenas uma semana após a exibição do Especial, vítima de Infarto.

Em 1988 lança o Conto A BORBOLETA CINZENTA, um Livreto Ilustrativo para Crianças.

Em 1992, lança sua AUTOBIOGRAFIA, escrita em 1991. SOU FRANCISCO abordou toda a Trajetória Artística do MESTRE, desde o Rádio, passando pelos Trabalhos e as experiências nos Palcos e a Carreira na Televisão. E em 1993 lançou JESUÍNO, O PROFETA, livro com estórias Fictícias criadas por Chico. Contos Reflexivos, inspirados no famoso Personagem do Mestre na Televisão.


Em SOU FRANCISCO, Chico deixou de lado a Vida Pessoal e seus vários Casamentos e Alegou o Livro ser Apenas uma OBRA DIDÁTICA, com a Função de colaborar com estudantes da área da Comunicação.

Escrito em 1995 e lançado em 1996, O ANALISTA, abordou de maneira Cômica a PSICANÁLISE e os Traços do Comportamento Humano. " O Livro de Chico Anysio é Bifactual. Une as Polaridades da extrema Hilariedade pela Forma e da séria Gravidade pelo Conteúdo. ", escreveu o Psiquiatra Marcos Gebara, um dos Profissionais convidados a darem seus Pareceres a respeito do 15° Livro de Chico.


Chico só voltaria a Apresentar um novo Livro no Ano 2000. Polêmico, mas que nada mais era do que uma Simples/Pura jogada de Marketing muito bem feita. O livro COMO SEGURAR SEU CASAMENTO, da editora TABA foi que deu Origem a uma de suas famosas FRASES, que se tornou CÉLEBRE : " Quem é casado com Dona Maria há 40 Anos, entende de Dona Maria. Quem entende de Casamento sou Eu, que tive seis." Na realidade, foram 9, como Ele mesmo declarou em 2003 ao Jornal O ESTADO DE SÃO PAULO, em uma reportagem sobre artistas com casamentos numerosos ao longo da vida. LEGALIZADOS ou com FILHOS é que foram apenas 6.


Na época de lançamento do livro, Chico foi entrevistado por vários veículos de Imprensa. O principal motivo que o levou a escrever a Obra foi a FELICIDADE de seu último Casamento com Malga D'allagnol, que Chico fazia questão de ENFATIZAR : " ESTE É O MEU CASAMENTO DEFINITIVO. " Uma vez estando Feliz e CONVICTO de que seria para sempre, queria repassar para as outras pessoas todos os Erros, Experiências e Aprendizados adquiridos com seus casamentos anteriores.

Várias entrevistas sobre o Livro em Revistas ou Jornais foram Polêmicas, chegando ao ponto de uma de suas ex-mulheres enviar uma CARTA á revista VEJA ( que foi publicada algumas edições após a entrevista de Chico na mesma ! ), se manifestando sobre alguns dizeres de Chico Anysio.

TUDO UM GRANDE ENGANO E PERDA DE TEMPO. Só quem conhece o Livro sabe o quanto Ele é Muito Diferente do que foi Apresentado por Chico na época. Uma Obra de Conteúdo SARCÁSTICO, mas com ALTAS DOSES DE REALISMO, por isso mesmo, CÔMICO ! Por trás da comicidade, Chico trouxe á tona toda a VERDADE sobre as Coisas que Acontecem na VIDA A DOIS. E, de maneira NUA E CRUA, fez questão de Retratar todos os Tipos de Assuntos envolvendo MATRIMÔNIO : Filhos, Casa, Dinheiro e Despesas, Gostos e Preferências, Divisão de Espaço, Brigas, Ciúmes, Sexo, Convivência, além de explorar também outros Aspectos como TRAIÇÃO, AMORES ANTIGOS e até SOGRA !

Os últimos Livros escritos por Chico, de 2003 em diante, não chegaram a ser tão expressivos , ou sucesso de vendas, mas alguns tiveram certo Destaque, como O Livro SALÃO DE SINUCA, lançado em 2004 pela editora Landscape.

SALÃO DE SINUCA é uma Coletânea das Melhores Piadas de Chico Anysio em Shows pelo País. " Durante estes 41 anos de Shows, foram Sete Milhões, Cento e Oitenta e Três Mil e Duzentos Minutos em que estive Criando, Pesquisando e contando Piadas e mais Piadas.. "


Para escrever O CANALHA, Chico realizou uma Vasta pesquisa sobre a História Política do Brasil. O livro retratava o Personagem GENIVAL, o " Canalha ' em questão. De maneira Fictícia, Chico usou o Personagem como " Pano de Fundo " de todos os Grandes Erros e também todas as grandes tragédias do Cenário Político Brasileiro, desde o Suicídio de Getúlio Vargas nos anos 50, a Ditadura dos Anos 70 até os dias Atuais ( na época, 2001 ).

3 CASOS DE POLÍCIA, de 2008, era o Livro Perfeito para Chico Anysio ( no sentido do Mestre ter sido Fã a vida toda de Contos Policiais e da pequena Frustração que trazia dentro de Si por não ter conseguido ingressar na Carreira de Advogado Criminalista ).

Em sua Autobiografia, de 1992, Chico contou : " Li mais de 3.000 Livros Policiais. Sherlock Holmes, Nero Wolfe, S.S. Van Dyne, Hercule Poirot, Maigret, todos me eram familiares. Primeiro eu comecei a ler normalmente, depois como um Advogado faria, tentando descobrir o criminoso, imaginando as perguntas a fazer a cada provável indiciado. Li-os também sob o ângulo da Polícia, buscando pistas que me levassem ao assassino. Li muitas vezes sob o ângulo do Criminoso : como esconder, como dificultar a ação da Polícia. Poucas vezes ganhei do Autor. Da Agatha Christie, Nunca. Mas naquele monte de Livros que devorei, estava a preparação para o Criminalista que queria ser. "

O Livro É MENTIRA, CHICO ? ( CÓPIA da CAPA do Livro É MENTIRA, TERTA ?, de 1973 ), lançado em 2007, foi uma Parceria com o Cartunista Ziraldo, onde Chico relatou as histórias de Criação de 80 de seus Principais Personagens, com Desenhos de Ziraldo e outros 40 Cartunistas.

Foi em 1989 que Chico e Ziraldo tiveram a ideia desse Livro. Planejaram Juntos a Construção da Obra, que traria as Histórias dos Personagens de Chico contadas pelo Mestre, Ilustradas por Desenhos de Ziraldo. O Projeto foi Interrompido, e mais tarde Ziraldo cortou Relações com Chico ( julgamento pelo Casamento com a ex-ministra Zélia Cardoso de Mello ). Retomaram a Amizade anos depois e o Livro em questão só foi Finalizado e Lançado em 2007, com Desenhos de Ziraldo e outros Cartunistas Famosos que Ilustraram os Principais Personagens de Sucesso de Chico, Pesquisados por André Lucas, filho de Chico, e pelo Jornalista Sérgio Martins. Ricky Goodwin, do extinto Jornal O PASQUIM, fez a Curadoria das Caricaturas e o Projeto Gráfico do Livro ficou a Cargo de Fernanda Precioso. O Livro É MENTIRA, CHICO ? é a Cópia da Capa de É MENTIRA, TERTA ?, que o Mestre escreveu em 1973, baseado no Sucesso do Personagem PANTALEÃO. OS DIREITOS AUTORAIS do Livro foram Entregues ao Ator e Diretor Stepan Nercessian, cuja Renda com as Vendas foi Destinada ao RETIRO DOS ARTISTAS.


ARAMZÉM DO CHICO e MESA DE BOTECO, ambos lançados em 2005. FAZEDORES DE HISTÓRIAS e O FIM DO MUNDO É ALI, de 2010 e 2011, respectivamente. Infelizmente estes Livros, os Últimos de sua Carreira, não alcançaram Notoriedade nem Vendas Expressivas.

Fora seus próprios Livros, Chico Anysio colaborou com alguns outros. O Livro A ALEGRE HISTÓRIA DO HUMOR NO BRASIL, do escritor Jota Rui, lançado em 1979 pela Editora Expressão e Cultura, falava sobre a característica de Humor nos brasileiros e trazia um panorama do HUMORISMO nos Períodos Históricos do País, assim como relembrou Figuras importantes, já falecidas na época. A Obra teve PREFÁCIO de ninguém menos que o Mestre Chico Anysio : " O Humor acusa, satiriza, descobre, desmoraliza, critica, eleva, deforma, destrói, constrói, imortaliza, enterra, acaricia, açoita. E sendo Ele o irmão mais próximo da Poesia, faz com que os Humoristas tenham o Direito de uma Carteira de Poeta e dá aos Poetas um Diploma de Humorista. " Em 1987 Chico Anysio fez o Prefácio do Livro MONÓLOGOS E OUTROS POEMAS DE ALDEMAR PAIVA.


O Livro A ALEGRE HISTÓRIA DO HUMOR NO BRASIL, do escritor Jota Rui, lançado em 1979.

Já em 2004, fez o Prefácio de BEBETO - VOCÊ TAMBÉM PODE SER FELIZ, lançado pela Editora LANDSCAPE. Nele, o ex-jogador José Roberto Gama de Oliveira, o Bebeto, conta como construiu sua Carreira dentro do Futebol, os Desafios de conciliar a Profissão com a Vida Pessoal e as Complexidades enfrentadas quando resolveu abandonar os Campos, o Sucesso e a FAMA para passar a viver uma Vida Comum. Não se trata de uma Biografia, mas de uma Obra de Autoajuda, onde Bebeto expôs suas Conquistas, Fracassos e Aprendizados ao longo de sua Trajetória.


Pós-morte, Chico também se tornou TEMA de dois Livros : A VIDA DE CHICO ANYSIO, de Lucas Hernandes, Biografia resumida em 46 Páginas, lançada em 2014, e CHICO ANYSIO, da Jornalista Natercia Rocha, Biografia resumida em 49 páginas, lançada em 2016. Este último faz parte da Coleção TERRA BÁRBARA, da Editora Demócrito Rocha, onde diversos escritores destacam resumidamente a História de Grandes Nomes da Cultura Nacional, das mais variadas vertentes, da música á política. Os Livros da Coleção são Disponíveis na Internet a Preços Populares.

E, finalmente, há uma grande variedade de Livros onde encontra-se sobre Chico Anysio. Entre eles, vale Destacar o já mencionado no Capitulo anterior AMOR AO TEATRO, de Sábato Magaldi, lançado em 2015 pela Edições Sesc São Paulo, uma Compilação de Peças Teatrais e Espetáculos das décadas de 1950 a 2000, organizadas Cronologicamente, além das Análises de Cada uma delas, retratando a História do Teatro Brasileiro sob a Ótica de um dos mais Importantes Críticos da Arte Nacional. Chico Anysio faz parte dessa História com CHICO ANYSIO.. SÓ, o primeiro Show Efetivo de sua Carreira e um dos mais Marcantes de toda sua Trajetória nos Palcos, que Revolucionou o jeito de se fazer Humor AO VIVO e Consolidou o Estilo STAND -UP. Também o livro GLORIA IN EXCELSIOR - ASCENSÃO, APOGEU E QUEDA DO MAIOR SUCESSO DA TELEVISÃO BRASILEIRA, de Álvaro de Maya, que relata os bastidores de uma das maiores Emissoras de TV já existentes no País. Chico Anysio fez parte da EXCELSIOR, entre idas e voltas. Foi, ocasionalmente, o responsável pela contratação do Diretor Carlos Manga, em 1963, que tempos depois assumiu o Cargo de Diretor Geral de Programação . Lançado em 2004, faz parte da Coleção APLAUSO, da Imprensa Oficial.

O Livro CHICOLÂNDIA - MORADA DO RISO - CASOS E CAUSOS DA TERRA DE CHICO ANYSIO, de Odailson da Silva, lançado por volta de 2008/09 pela editora ARTE VISUAL traz o Mestre na CAPA e é uma Obra Dedicada a Ele. Nele, o Autor traz uma Compilação de Histórias e Anedotas de Maranguape, Tera Natal de Chico.


Chico Anysio na CAPA do Livro CHICOLÂNDIA - MORADA DO RISO - CASOS E CAUSOS DA TERRA DE CHICO ANYSIO. A Obra Nunca foi vendida em Livrarias nem Comercializada em outros locais de Venda. O Acesso/Aquisição do Livro era feita diretamente com o Autor, através de Contato por email. Atualmente, encontra-se disponível em Sites Especializados.

O Livro DATAS E FATOS - O QUE ACONTECEU EM CADA DIA DO ANO, OS SANTOS E AS COMEMORAÇÕES, lançado em 2015, inclui a Data de Nascimento do Mestre : 12 de Abril de 1931. Concepção, Atualização e Edição: André Motta Lima. Capa e Projeto Gráfico: Cecília Castro.

O Livro MPBambas, do Jornalista e Crítico Musical Tárik de Souza, de 2016, lançado em 2017 pela Kuarup Editora, é uma Reprodução das melhores entrevistas feitas por ele em seu Programa Homônimo, que foi exibido pelo CANAL BRASIL no período de 2009 a 2014. Chico Anysio, que participou do Programa em Julho de 2010, faz parte do Livro, contando partes de sua história como Compositor.

O Livro CTC conta a história do CLUBE DE TÊNIS CATANDUVA. Chico é mencionado no Livro por sua Apresentação Especial no Palco do CTC, em Show realizado em 24 de Outubro de 1993 ( Registro com Foto ).

ENSAIO GERAL - UMA HISTÓRIA DO TEATRO RECORD CONSOLAÇÃO, de Otávio Fernandes Nadaleto, narra os Bastidores do Local mais importante do CANAL 7 durante a década de 60, Emissora da qual Chico Anysio fez parte. O Teatro foi Destruído por um incêndio e jamais Reconstruído.

HISTÓRIAS E CAUSOS DO CINEMA BRASILEIRO, da Coleção APLAUSO, da Imprensa Oficial, de autoria da Diretora Betse de Paula, traz relatos de seu Pai, Zelito Viana, irmão de Chico Anysio e um dos Cineastas mais Importantes da História do Cinema Nacional. Zelito relembra o início de Carreira, fala sobre a família de Artistas e revela os Bastidores de seus Principais trabalhos no Cinema.

Organizado por Jair Martins de Miranda e Martha Tupinambá de Ulhôa, o Livro ANAIS DO 2º CONGRESSO NACIONAL DO SAMBA : 50 ANOS DA CARTA E DO DIA NACIONAL DO SAMBA, de 2012, relembra passagens do um Gêneros Musicais mais Populares e Importantes do Brasil. Chico Anysio é relembrado no Livro quando Homenageado no Carnaval de 1984 pela CAPRICHOSOS DE PILARES.

Logicamente que Chico Anysio não poderia deixar de ser Citado no Livro TELEVISÃO BRASILEIRA - 60 ANOS DE OUSADIA, ASTÚCIA E REINVENÇÃO, de José Marques de Melo, lançado em 2010. O Livro foi uma Publicação editada com o apoio do Programa GLOBO UNIVERSIDADE, para subsidiar os debates do CELACOM 2010 SIV - Colóquio Internacional da Escola Latino-americana de Comunicação, realizado no Memorial da América Latina.


Chico Anysio sempre quis se tornar Escritor, mas, como visto lá no início deste Capítulo, foi protelando sua vontade o quanto pôde, sempre declarando várias desculpas : " Não Posso, Não Sei, Não tenho tempo, ninguém vai Ler.. " A Falta de tempo era a única desculpa verdadeira. Após o lançamento de o BATIZADO DA VACA, o Sucesso literário prosseguiu e ganhou ainda mais Notoriedade quando Chico, de CONTISTA, passou a ROMANCISTA.

Chico se emocionava com sua Carreira de Escritor. Declarou que chegou a ouvir várias vezes de Livreiros : " Seus livros põem dentro das livrarias pessoas que nunca entraram numa. Vem gente aqui que nunca leu um livro, gente que não sabe tocar num, se pode abrir numa página e dar uma lida. E o mais importante, Chico: Sempre voltam, pedindo outro ou uma sugestão sobre o que devem levar para ler. "

Chico Anysio quase fez Parte da ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS, obtendo 19 VOTOS. Só não Ocupou Seu Lugar por sugestão do famoso Escritor João Ubaldo Ribeiro ( falecido em 2014 ). " É muita responsabilidade, Chico, muitos Compromissos.. Além disso, sempre vai ter alguém torcendo pela sua Morte para poder tomar a sua Vaga ", disse Ubaldo em Diálogo relembrado por Chico Anysio durante entrevista ao programa O MUNDO DA LITERATURA, pelo SESC TV, em 2005.


Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais ) ( Instagram >> @MEMORIALCHICOANYSIO )