VOCÊ CONHECE CHICO ANYSIO ? - PARTE 10

05/08/2021

Voltando ao ano de 1981, ano em que Chico iniciou seu relacionamento com Regina Chaves, Três Grandes Acontecimentos marcaram aquela época : a Estreia de CHICO TOTAL, o LP de 30 ANOS de Carreira do Mestre e a Histórica Apresentação no CARNEGIE HALL.

Em 1980, exacerbado do Trabalho em CHICO CITY, resolveu ENCERRAR o Programa. " Há dezenove anos eu fazia aquele tipo de trabalho. Pinta a Cara, Muda a Roupa, Inventa a Voz, Arruma Trejeito. Tudo começava a Pesar. Já não era com o mesmo prazer que Eu ia para as gravações.. (.. ) ..O Programa Parou. No Ano seguinte ( 1981 ) eu veria o que fazer, porque fora da Televisão não dava para ficar Mesmo ", contou Chico em sua Autobiografia de 1992.

E foi em 1981 que José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, resolveu presentear Chico Anysio com uma Decisão : após doze anos trabalhando na emissora, Chico teria um Programa MENSAL. Assim nasceu CHICO TOTAL, meticulosamente planejado, mas sem o Sucesso esperado. " Era a primeira vez que me surgia esta oportunidade. Aceitei e criamos ( o Zelito, meu irmão, o Eduardo Sidney e Eu ) o CHICO TOTAL. Seria um Programa inteiramente livre, onde eu faria, a cada mês, o Roteiro que quisesse, sem tema, sem nada predeterminado, e, principalmente, sem quadros fixos ou bordões." Com CHICO TOTAL, Chico Anysio se deparou com uma série de Descobertas.

- Qual será o Primeiro ?


" Nesta Pergunta comecei a perceber a Cilada que é o Programa Mensal. Inicialmente fazer um Programa por Mês dá mais trabalho do que fazer um por semana, além de ser um programa com quatro vezes maior responsabilidade que o semanal. Outro detalhe Contra : o Público não sabe que o programa mensal é gravado em três dias, como o semanal, e pensa que se teve um Mês inteiro para fazê-lo. Isto lhe dá o Direito de exigir muito mais do Programa. Tudo Ilusório. Trabalha-se demais, tem-se um tempo muito pequeno para a gravação e a cobrança é enorme.. (.. ) O Programa Mensal esfregou na minha Cara uma Certeza que Eu já tinha : a Televisão é mesmo uma grande Vitrine. Ela é quem faz os cinemas e os teatros lotarem."

Apesar da pouca Repercussão, CHICO TOTAL foi o Programa que destacou DOIS MOMENTOS Importantes que se tornaram INESQUECÍVEIS : a Exibição HISTÓRICA de Chico Anysio se apresentando no Carnegie Hall, em Nova Iorque e o ENCONTRO de Jô Soares e Chico em CORONEL PANTOJA E CORONEL BEZERRA. O Quadro dos Coronéis que, durante os Diálogos se fingiam de Amigos, mas que se Odiavam secretamente fez tanto Sucesso, que era Apresentado semanalmente tanto em VIVA O GORDO como no Programa de Chico.

.." Com a Passagem do meu programa para Mensal, 1981 foi um ano ruim para Mim no Teatro. Nenhum Espetáculo naquele ano teve casa lotada. Houve dias em que foi preferível cancelar a apresentação, de tão pequena a plateia.. "

Apesar dessa Afirmativa, naquele mesmo Ano atingiu a Marca de 100 Apresentações no GOLDEN ROOM do Copacabana Palace com o Show CHICO ANÍSIO. CHICO ANÍSIO nada mais era do que o Espetáculo CHICO SET, que havia sucedido o Espetáculo CHICO TOTAL, já Reformulado e Modificado.

" Eu queria fazer com o Daniel ( Filho ), um show representado. Mário Monteiro fez o cenário, que era um Set de televisão. Um enorme baú aberto, com roupas, que eu trocaria, refletores, uma escada, um cenário bonito, onde havia uma poltrona, um espelho de sala de maquiagem, tudo imitando um set de televisão. O Daniel fez uma direção maravilhosa, mas não pôde me acompanhar na estreia na Bahia. Estreei numa quarta-feira no TEATRO CASTRO ALVES, com casa lotada. O espetáculo não rendeu o esperado.. (.. ) Telefonei para o Daniel depois do show, como havíamos combinado.. (.. ) .. " Contei o quanto tinham rido, o quanto tinham gostado, o que funcionara melhor ou pior e que no todo a coisa não tinha ido bem. Daniel e eu falamos mais de quarenta minutos. Ele tinha o show todo na cabeça e fez várias sugestões : - Muda isso, tira aquilo, chega o praticável mais para frente, muda esta luz, modifica aquela.. (.. ) .. Anotei todas as suas recomendações, fui para a máquina de escrever e trabalhei até sete da manhã nas modificações sugeridas. Fizemos um ensaio com as mudanças á tarde e na quinta-feira á noite, com a casa lotada, apresentei novamente o espetáculo. Depois liguei mais uma vez para o Daniel :

- E aí, Tudo bem ?

- Tudo mal. Não funcionou.

- Mas tem que funcionar. É engraçado, pô !

Após a primeira e a segunda apresentações fracassadas vieram outras duas, ambas também sem sucesso, sempre com modificações sugeridas por Daniel e Roteiro REESCRITO por Chico. " Estava exausto. No meio do ensaio me deu uma vontade enorme de parar tudo, de acabar com aquilo, de voltar para casa e nunca mais pisar num palco. Fiquei quinze minutos conversando comigo, ao mesmo tempo em que a vontade real era sair de perto de mim. A casa estava toda vendida para a noite. Sentado numa poltrona do teatro vazio, eu olhava o palco onde estava montado aquele cenário lindo de um show que não funcionava. Foi crescendo em mim uma coisa que até hoje não consigo definir. Não era raiva, não era medo, não era preguiça, não era cansaço. Talvez fosse uma combinação dessas quatro coisas. Aí, levantei, fui ao palco e dei uma ordem :

- Tira Tudo. Arranca esse cenário, some com ele, deixa só a rotunda e traz o meu banquinho. Em vez de representar, vou CONTAR o show pra eles.

" Enquanto faziam a remoção do cenário e reafinavam a luz, disse o show mentalmente, mudando o que era REPRESENTADO para NARRADO. Dava para adaptar tudo. Á noite, a casa cheia, CONTEI o show. O Sucesso foi absoluto. " Mas o show ( nesse novo esquema que deu certo ) não estava dirigido. Fiz Salvador, Recife, e Fortaleza e voltei para o Rio para me apresentar no GOLDEN ROOM. Convidei o Jô para dirigir. Inicialmente o Jô aceitou. Depois me ligou dizendo que não podia, por estar com um problema de saúde. Teimei e Insisti. O grilo do Jô foi superado e ele me dirigiu com o maior empenho e brilho.. "

A Histórica Apresentação em NY no Carnegie Hall, transmitida pela GLOBO em seu Programa CHICO TOTAL, foi um MARCO INESQUECÍVEL da Carreira de Chico :

" Meu filho Lug estudava em Nova York, na Long Island University, e isso me fazia ir muito aos Estados Unidos. Em 81, por exemplo, fui quatro vezes à América para visitá-lo. Numa dessas visitas um amigo meu, Shia, que hoje mora em Miami, acenou-me com a possibilidade de fazer um show para brasileiros no Carnegie Hall.

- Será que isso dá certo, Shia?

- São mais de duzentos mil brasileiros que moram entre Nova York e Nova Jersey. Vamos lotar a casa.

Achei tentador e concordei. Ele começou a trabalhar. Conseguiu uma vaga na pauta do Carnegie Hall para Setembro. Conversei com o Boni e ele sugeriu que o CHICO TOTAL de Setembro fosse a apresentação do Carnegie Hall. Concordei. Eu economizava uma ideia e ganhava mais dias para ficar por lá, pela desnecessidade daqueles sete dias de gravação aqui. "

" Como o show seria gravado para ir ao ar no Brasil, tive que fazer dois em vez de um. Naquele ano (81) o palavrão já estava liberado no teatro. A censura fechara tanto a parte política que, para compensar, abriu o direito ao palavrão. Já havia muitos no meu show. Não poderia ser exibido pela TV. "

" Decorei novamente um show antigo (sem palavrão nenhum) e o ensaiei, com a parte musical gravada. Foi como se o meu show tivesse duas partes: a primeira, o show antigo, e a segunda, o show atual. Na primeira parte (gravada para a TV), entrei em cena de smoking. Na segunda parte (apenas para a plateia), entrei de jeans, jaqueta, informal. "

" A Globo ajudou muito no show do Carnegie Hall. Foi ela quem pagou o cenário (todo espelhado) e as passagens. Meus técnicos não puderam ir. O consulado americano negou-lhes o Visa e resolvi o problema levando o Nizo, meu filho. Lug operou o gravador e Nizo (que conhecia de cor o espetáculo atual) ficou ao lado do técnico americano dando as ordens de go e stop para cada mudança de luz. Aquela organização exagerada dos americanos me irrita um pouco. Talvez seja o hábito da nossa esculhambação. O fato é que acho um pouco demais o excesso de "não pode" dos americanos. A firma de vídeoteipe que a Globo contratou para a gravação do show chegou à porta do Carnegie Hall às 7:45h e ficou esperando. O aluguel da casa começava às oito. Às oito em ponto a porta se abriu. Os técnicos da gravadora entregaram os fios aos homens do Carnegie Hall e eles os levaram, junto com o equipamento, para o teatro. Ninguém da gravadora podia entrar no teatro, com exceção dos cameramen. Ficaram todos dentro do caminhão, na rua, junto com o Zelito, o Eduardo Sidney e o Walter Lacet, que a Globo mandara para cortar. Só que o Lacet não podia tocar nas teclas do equipamento; isso teria que ser feito por um americano. Lacet, como o Nizo, ficou com seu serviço restrito ao one, two e three, dependendo da câmera que ele quisesse colocar no ar. "

" Apesar desta organização toda, a gravação ficou ótima, os dois espetáculos saíram maravilhosos e achei muito engraçado o câmera americano que morria de rir sem entender coisa alguma ".

Voltando ao Ano Anterior, o Espetáculo CHICO TOTAL, Sucesso desde 1978, se tornou um LP pela WEA, o Registro de uma Apresentação de Chico Anysio no CINE SHOW MADUREIRA. Ainda em 1980, foi responsável por FILHA DA.. , peça escrita por Ele e que tinha Alcione Mazzeo como Protagonista. Recém-separados ( estiveram Casados de 1975 a 1979 ), continuaram a Amizade e a Parceria Profissional. Em matéria da extinta Revista AMIGA, da editora Bloch, Chico Declarou : " Minha Intenção ao escrever a Peça foi apenas Homenagear a Prostituta. Não Visava nenhuma mulher em Especial. " A Peça ficou em Cartaz no TEATRO VANUCCI ( RJ ), sob Direção de Antônio Pedro. Também foi Responsável pela Peça PAPO FURADO, sendo Autor da Comédia encenada nos Palcos por Ítalo Rossi, Elizângela, Ricardo Blat e Ivan de Almeida, entre Outros. A Peça estava em Cartaz no TEATRO GINÁSTICO, também sob Direção de Antônio Pedro. Na Peça A CAMA COM TUDO EM CIMA, em cartaz no TEATRO RIVAL - RJ, de autoria de Gugu Olimecha e Armando Silva Filho e Direção de Augusto Olímpio, o Mestre Chico Anysio participava apenas em VOZ.

Em 1981, comemorando 30 ANOS DE CARREIRA ( Chico começou artisticamente em 1948, mas, Efetivamente, em 1951 ), lançou o LP 30 ANOS DE CHICO ANYSIO pela ATLANTIC/WEA, produzido por Arnaud Rodrigues e com Textos do próprio Arnaud, Chico Anysio e Marcos César. Um dos Destaques do LP foi a versão de Chico para a Canção LA VALSE Á MILLE TEMPS, de Jacques Brel, que se tornou a Inesquecível Sátira A VACA, de conteúdo Crítico/Político em pleno período Inflacionário.

Em 1982, Reestreia CHICO ANYSIO SHOW. O FENÔMENO Humorístico que fez História na TV-RIO, e que já foi também da TV EXCELSIOR, da TV TUPI e da TV RECORD, Ressurgiu 16 anos depois na GLOBO. CHICO ANÍSIO SHOW voltou em 4 Março de 1982 com a bagagem Clássica de Personagens de Chico e outros NOVOS. O Humorístico, sempre com Novidades e Reformulações Ano após Ano, teve 9 Temporadas, estando no Ar de 1982 a 1990. Entre os Destaques e Fatos Memoráveis estão Criações de Personagens que se Popularizaram e se Consolidaram, além de Esquemas e Especiais. Em 1982, o lançamento de PAINHO foi a Grande Sensação do momento. A Popularidade foi tanta, que o Personagem chegou a Estampar a CAPA da revista ISTO É. JUSTO VERÍSSIMO, SILVA, NEYDE TAUBATÉ, HAROLDO, BENTO CARNEIRO, entre outros, foram Originados durante a trajetória do Humorístico, e marcaram a Geração Anos 80. Em 1984 passou a ser exibido ás Quartas-feiras, sob direção de Stepan Nercessian e Cassiano Filho. Em 1985 a Grande Novidade ficou por conta da TVQCV, uma Fictícia Emissora de Televisão, da qual transitavam os Personagens de Chico. Em 1986, sob Direção de Gonzaga Blota, o Humorístico se tornou TEMÁTICO, ambientado semanalmente em um Local diferente. Em 1988, Francisco Milani assumiu a Direção, tendo Cininha de Paula, sobrinha de Chico, como assistente.

A Ideia da temporada era Chico Anysio e os Bastidores, no Camarim, entre uma Encenação e Outra, sempre com um Convidado Especial a cada Episódio. Em 1989, o Esquema permaneceu Igual. Porém, o Sucesso já não era tão expressivo. Um dos principais motivos foi o Desentendimento com a TV GLOBO, que quase o fez TROCAR a Emissora pelo SBT. Tudo por causa da Criação da Série GRUPO ESCOLACHO, Programa que foi Idealizado por Ele e que foi ao Ar em Dezembro de 1988. Essa Ideia Surgiu de uma Preocupação do Chico naquela época : " De quem meus Netos vão Rir ? " Esse Especial ( Programa Piloto ) tinha o Objetivo de lançar e formar NOVOS COMEDIANTES, e, depois de ser exibido, estava tudo acertado para que continuasse na grade de programação da Globo em 1989.

Tempos depois, sem explicações, foi VETADO pela emissora, o que gerou grandes problemas e atritos entre Chico e a Globo, e quase ( quase ) o fez ser Contratado pelo SBT, como já relatado nos Textos deste Projeto. " O Boni resolveu que o Programa não saía mais. Isso me deixou numa situação muito ruim, porque as Pessoas vieram até Mim.. (.. ) ..Eu tinha me Apalavrado com 70 Atores, teve até uma atriz que rompeu Contrato com a MANCHETE para fazer o Programa.. (.. ) ..Eu tinha, nessa ocasião, um outro Programa. Deu para quebrar o galho de uns 30, talvez. Mas 40 Colegas ficaram com Impressão errada a meu respeito. E Eu não fiz por onde, né ? Eu fui um dos Atingidos. Eu só não fui para o SBT porque não tinha um Estúdio aqui no Rio onde pudesse ser feito o Programa. E o Silvio Santos não podia bancar a ida de 80 atores semanalmente para São Paulo" relembrou em uma Entrevista, em 1994.


Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais ) ( @chicoanysiototal )