VOCÊ CONHECE CHICO ANYSIO ? - PARTE 2

02/07/2021

O Humorismo surgiu na Vida de Chico Anysio por acaso, mas já existia uma tendência a que esse caminho fosse ser Seguido. Exímio Imitador ( do Professor de Francês dos tempos de escola aos amigos e frequentadores de sua casa, até as namoradas dos irmãos durante a adolescência ), Chico sabia emitir qualquer tipo de voz. Foi por sugestão de um colega que resolveu se inscrever em programas de calouros. Os Fãs e Admiradores de Chico conhecem bem a história de como ele iniciou sua carreira radiofônica, por acaso, esquecendo o tênis, e no caminho para buscar, desistindo de voltar para a partida de futebol e acompanhando a irmã Lupe Gigliotti no concurso de locutores da Rádio Guanabara. Mas é preciso voltar um pouquinho atrás e lembrar da primeira Iniciação de Chico no Rádio, antes de se tornar um artista efetivamente. Em 1947, por sugestão de seu colega, Chico, resolveu se arriscar e se inscreveu em um dos programas de maior sucesso da Rádio Nacional na época : PAPEL-CARBONO, apresentado por Renato Murce. Chico, que havia ensaiado seu próprio número ( 5 páginas que ele mesmo escreveu ) se apresentou extremamente nervoso, já desesperançoso após assistir o desempenho dos outros candidatos. Somente sua irmã Lília sabia da inscrição. Chico enfrentou o nervosismo e acabou saindo Vencedor. Seu prêmio foi 50 MIL RÉIS. Uma das maiores provas de que Chico Anysio era um ser humano extremamente DESPRETENCIOSO e HUMILDE foi o destino ao qual ele deu aquele dinheiro : " Peguei aquela grana enorme, fui á MESBLA, e comprei uma tinindo, novinha, zero quilômetro. "

- Toma. É sua.

.." E dei a bicicleta ao Zelito. "


A HORA DO PATO, OS CALOUROS DE ARY BARROSO, PESCANDO ESTRELAS (na Rádio Clube do Brasil ) e A HORA DO TRABUCO ( pela Rádio Tupi ) foram alguns dos inúmeros concursos dos quais o Mestre participou ( e saía sempre vencedor ! ). Chegou ao ponto de várias vezes ser impedido de participar dos Concursos, justamente pelo fato de sempre vencer.

Apesar do futebol e dos planos de seguir a profissão de advogado, continuou participando de vários concursos de calouros em emissoras diversas e permaneceu com a ideia fixa pelo meio artístico, o que o fez insistir em ser recebido pelo diretor da Rádio Guanabara, que após seis meses indo procurá-lo diariamente ( de segunda á sexta ), conseguiu finalmente receber sua atenção. Chico, depois de preparar um programa chamado PARECE, MAS NÃO É, e entregar ao diretor, conseguiu a oportunidade de começar a trabalhar na rádio, sem remuneração ( só passaria a ser remunerado se o programa fizesse sucesso ). Infelizmente fracassou, assim como um projeto de Radiobaile na mesma Rádio, que não funcionou e o fez ser dispensado. Chico, desiludido, voltou então suas atenções ( e intenções ) aos estudos de Direito. Até que um dia aconteceu o Episódio do Tênis esquecido, ( história conhecida, contada por Chico em diversas ocasiões e retratada inclusive em sua Autobiografia ) onde, desistindo de voltar para a partida de Futebol e acompanhando a irmã Lupe Gigliotti no concurso da Guanabara. " Mexeram na minha Cabeça. Houve um Embarafustamento rápido, mas muito grande. De início percebi que um Teste era o modo lógico de entrar para a Rádio. Tratava-se de um Concurso, e, sendo aprovado, Eu FICARIA. Se ficava para sempre ou apenas por alguns meses, era outro problema que podia depender exclusivamente de mim, mas Eu já teria entrado por meus próprios Méritos, e não, como antes, pelo " de acordo " do Diretor que me dera uma chance de fazer o PARECE, MAS NÃO É", lembrou Chico em seu livro.

Chico tirou o Sétimo lugar no teste de Radioator e o Segundo lugar no de Locutor, ficando atrás apenas de Silvio Santos, que foi o Vencedor. Sempre afirmou que a Atriz Fernanda Montenegro fez parte do Concurso, mas era uma afirmação que não procedia, algo que também confessou em sua Autobiografia : " Tenho dito em várias entrevistas que perdi para a Fernanda Montenegro, mas não é verdade. Fernanda estava por lá naquele dia, mas não participou do Concurso.. (.. ) ..Fernanda já era contratada. A Vencedora, porém, ninguém sabe quem foi. Deve ter abandonado, depois do Curso, como muitos. Que a Fernanda me perdoe se leu alguma dessas entrevistas, mas foi sempre glorioso para mim contar duas Derrotas tão Maravilhosas. Ela e o Silvio Santos sempre estiveram no time dos meus ídolos, pelo Profissionalismo e Competência. "

Chico entrou para a Rádio Guanabara. Alfredo Souto de Almeida foi o Preparador de todos os Selecionados pela Rádio. " O Curso de RadioTeatro com o Alfredo foi a Única Escola de Representar que Eu Cursei. Foi com Ele que aprendi ( e utilizo ) tudo o que sei até hoje.. (.. ) ..Alfredo foi Magistral. Fez daquele bando de Principiantes uma Plêiade de Radioatores Reais. "

Sua primeira apresentação como RadioAtor foi Curiosa : foi uma Estreia MUDA. Chico foi escalado para uma Apresentação/Aproveitamento ( Remunerado ) na Rádio Ministério da Educação, em um Programa de Geny Marcondes : NO REINO DA JUVENTUDE. Chico não conseguia de modo algum dizer a Frase do Texto a ser Encenado : " ANGELINA, PORQUÊ DEMORAS ? " A Voz não saía. O Humorista José Vasconcellos, na ocasião, foi quem disse a Frase por Ele. Chico brincava que sua Estreia no Rádio foi MUDA e que devia a Vasconcellos o Primeiro CACHÊ de sua Carreira.

Chico começou como locutor nos programas das madrugadas da Rádio Guanabara. Também foi galã das Rádio-novelas da emissora. Ainda se tornou colaborador do Locutor Raul Longras na programação de Futebol, se tornando comentarista Esportivo. Quando resolveram investir na linha de Humor, Chico, pela habilidade de imitar vozes, saiu das novelas. Começou aí sua Saga no Humorismo. " Eu não trabalhava nos programas que escrevia, porque os dirigia. Não dava para fazer as duas coisas ao mesmo tempo. " Seus Destaques foram os Programas SHOW PING-PONG, CINE ART- PALACINHO, TEATRINHO BHERING e RADIAC C-8.

Quando a Rádio Guanabara foi comprada pelo político Adhemar de Barros e a conotação da programação teve de ser mudada, iniciou-se uma crise interna, o que fez Chico ir parar na Rádio Mayrink Veiga em 1950, através de seu irmão mais velho, Elano de Paula. Chegaram a trabalhar juntos, dividindo o mesmo programa de humor. A chegada de Chico Anysio á Mayrink teve foco na extinta REVISTA DO RÁDIO, que trouxe uma reportagem sobre Chico e seu irmão e o início do Mestre no meio radiofônico, quando ainda participava dos programas de Calouros. " Como todo menino, eu brinquei de bola de gude, carniça, ' pique ' e linha de passe na calçada. Depois, o tempo de garoto passou e, com ele foram muitas das manias que Eu possuía. Como substituto veio a adolescência. E foi exatamente num 7 de Setembro que Vi pela Primeira Vez o MICROFONE.. "

Tudo corria normalmente na Mayrink, até que um desentendimento com o Diretor de programação da emissora ( ironicamente a Incompreensão Deste por Chico não ter carga horária livre suficiente para conseguir tirar sua Carteira de Trabalho, devido a quantidade Exacerbada de funções e de Programas dentro da Rádio ! ) o fez ser despedido, mas, através de Ronaldo Lupo, conseguiu no mesmo instante da demissão um novo emprego na Rádio Clube de Pernambuco, local onde conheceu um de seus melhores Amigos e Parceiros Profissionais : o falecido humorista Lúcio Mauro, companheiros de quarto na Pensão onde se instalaram. Um dos Programas de Destaque de Chico foi ao lado de Melo Júnior em SESSÃO DAS TRÊS. A Mudança de Estado e de Emprego, porém, foi uma das experiências mais difíceis e desagradáveis na vida de Chico, por uma série de circunstâncias.

Em 1951, entre episódios de dificuldade de adaptação, saudades da família no Rio, falta de dinheiro, melancolia por solidão, e o resultado frustrante na apresentação do seu primeiro grande trabalho pela Rádio Clube de Pernambuco ( o Espetáculo ao vivo BRASIL MUSICAL, promovido pela rádio ), gerado por uma série de erros e embaraços, Chico foi vítima das Perseguições por parte do diretor artístico da emissora, Otávio Augusto Vampré, e das injustiças provenientes disso. Havia uma Tabela de Programas e Funções, onde, no período Noturno, Chico não se Via Escalado. Porém, após a saída de Chico, Vampré, propositalmente, acrescentava o nome " Francisco Anísio ". A Ausência de Chico era considerada como Preguiça/Irresponsabilidade. Inicialmente Chico foi Multado. Depois passou a ser Suspenso. Após diversas situações complicadas, concluiu não ser mais possível continuar morando em Pernambuco e trabalhando na Rádio, mesmo faltando dois anos e três meses de Contrato. Decidiu propor ao Diretor Geral Arnaldo Pinto pagar a Multa de Rescisão Contratual no período de quatro anos, em forma de programas semanais escritos para a Rádio, enviados do Rio. O Acordo foi Aceito.

Já de volta, empregado na Rádio Clube do Brasil, outro período de injustiças, mas dessa vez por Persuasão por parte do Diretor Geral da Rádio. Chico trabalhava na rádio sem contrato, e, Sérgio Vasconcellos, Diretor artístico/geral, convenceu Chico a ir protelando a Assinatura, Assinatura esta que o tornaria um funcionário Formal e com todos os Direitos Trabalhistas. Isso porque Sérgio estava acertando sua ida para a Rádio Nacional e demonstrou enorme interesse em levar Chico com ele. Chico se encheu de Alegria e de Expectativas.

Um dia, Chico foi chamado á sala de Dias Gomes ( o famoso Dramaturgo e Novelista ), que na época era o diretor de broadcasting da rádio, juntamente com outros funcionários : " Há uma ordem de cima para que se diminua a folha de pagamento e vocês, infelizmente, terão que ser dispensados. " Chico estava entre os Citados. Passou dias esperando pela chamada de Sérgio Vasconcellos. Elano, seu irmão, argumentou que talvez fosse algo já planejado por Sérgio, já proposital, pelo fato de Sérgio querer levar Chico com ele para a NACIONAL. Isso fez com que Chico alimentasse esperanças. Até que, uma semana depois, não aguentou mais esperar e foi pessoalmente procurar Sérgio na RÁDIO NACIONAL. Sérgio o recebeu com enorme Alegria, porém, se fazendo de " desentendido " com a presença de Chico. Um misto de raiva, inconformismo e a sensação de ter sido enganado e " feito de Bobo " tomou conta de Chico. Chico ficou seis meses desempregado. Após esse período, conseguiu emprego no Sindicato dos Economistas como entregador de correspondências, e, entre uma entrega e outra, ou quando terminava seu expediente, entrava em uma rádio ou outra atrás de oportunidades. Esteve diversas vezes na Rádio Tupi conversando com o Diretor Paulo de Grammont, sempre ouvindo " NÃO ". Um dia qualquer, Paulo recebeu Chico de maneira diferente. Combinaram valores de salário, funções e quantidade de programas. Saindo a caminho do Tabuleiro da Baiana onde pegaria o bonde para casa, Chico, sem nenhuma explicação lógica, virou a Rua Rio Branco e, em vez de seguir por ela, resolveu dobrar na Rua dos Beneditinos. Essa atitude fez com que o Destino de Chico Anysio mudasse completamente : ENCONTROU Haroldo Barbosa, na época famoso e Experiente Profissional de Rádio, que o fez desistir de ir para a Tupi e o levou DE VOLTA para a Mayrink Veiga, onde Chico estabilizou sua carreira e onde, trabalhando com Haroldo, lapidou seu Talento Nato. " Entrei no saguão da Mayrink com o moral tão alto que nem me lembrei estar passando pelo telefone através do qual o Ronaldo Lupo, há um ano e pouco, havia conseguido meu emprego em Pernambuco" , relembrou Chico em sua Autobiografia. Naquela mesma noite, Chico retornou á Rádio Tupi para avisar Paulo de Grammont que não assinaria mais contrato, fato que foi compreendido pelo Diretor. Os Fatos ocorreram em 1952.

Na Mayrink Veiga, Chico fazia enorme sucesso e se Estabeleceu na Profissão. Criou, escreveu e participou de diversos programas e passou a ter Fama nas revistas especializadas da época, como REVISTA DO RÁDIO e RADIOLÂNDIA. Seus programas de Rádio se tornaram Populares e Sucessos de Audiência. Sob o Nome Artístico de FRANCISCO ANÍSIO passou a ter cada vez mais Foco na Mídia. Semanalmente era mencionado na extinta revista RADIOLÂNDIA, na lista dos Programas mais ouvidos do Rádio, ou aparecia em Reportagens. O Auge do Sucesso de Chico Anysio foi MESTRE FILÓ, do Programa A LIRA DO XOPOTÓ. Convidado por Paulo Roberto para fazer o Personagem, dizia que o motivo de sua escolha para o papel era devido a Voz do Personagem já ser conhecida por outro Famoso : PROFESSOR RAYMUNDO, Personagem que Consagrou Chico dentro do Programa A CIDADE SE DIVERTE, de Haroldo Barbosa. Fez Sucesso também em TEATRO DE COMÉDIAS PIRAQUÊ ( patrocinado pelos Biscoitos da Marca ), de Autoria e Produção de um de seus grandes ídolos : Ântonio Maria, falecido em 1964. E ainda era Destaque no LEVERTIMENTOS, uma das maiores audiências da Mayrink, sob Produção e Direção de Haroldo Barbosa e no VAI DA VALSA, onde atuava, entre outros, ao lado de Antônio Carlos Pires e Nancy Wanderley. Uma de suas maiores incentivadoras como ATOR, Nancy atuava em Programas escritos por Chico ou contracenava com ele em outros. Começou ali o envolvimento de Chico Anysio com aquela que viria a tornar sua Primeira Esposa.

Outros programas que merecem ser lembrados são DA BOCA PRA FORA, de Stanislaw, que contava com Chico no elenco, ao lado de Zé Trindade e Wilton Franco. Os Programas ÂNGELA MARIA CANTA ( Musical exclusivo da Cantora na Mayrink ), VAI LEVANDO, ESTE NORTE É DE MORTE, ALEGRIA DA RUA e ME DÁ O SEU BONÉ foram os Principais Sucessos de Chico Anysio dentro da Mayrink. Ainda se destacava com DE CONVERSA EM CONVERSA e TIME DE COMÉDIAS PREDILETO. Considerava VIRGÍLIO, de ESTE NORTE É DE MORTE o Personagem mais simpático que havia criado no Rádio. Por outro lado, considerava ABDIAS, do VAI LEVANDO, o mais antipático. O público ouvinte, no entanto, simpatizava com o Personagem.

Sua maior decepção havia sido o Programa MEMÓRIAS DE UM CANGACEIRO, que não permaneceu no ar por mais de três semanas. Ainda confessou que não gostava de seu trabalho como Comediante. Chico, dentro da Mayrink, ainda era responsável por BURACO DA FECHADURA, MOTO CONTÍNUO, BALBINO É O MEU XODÓ, CANAL SETE E MEIO e USE E ABUSE. Muitos destes Programas Chico havia passado para outros Produtores, em virtude do Novo Contrato que havia assinado com a Organização Victor Costa ( que era detentora da Rádio Nacional e de outros veículos, como a Rádio Mundial, Rádio Excelsior e Rádio Record ). RIO DE JANEIRO, ETC. E TAL e COMÉDIA DA CIDADE foram alguns dos últimos Programas de Chico pela Mayrink. Em MISS CAMPEONATO interpretava FUTEBOLINO, cuja Voz Rouca era sua Marca. Na Rádio Mundial, estreou com PRA CABEÇA. Também fazia TIM-TIM por TIM-TIM (Programa de conteúdo Jornalístico entremeado com Humor) que ia ao Ar pela mesma emissora. A COMÉDIA DA VIDA, que ia ao Ar pela Rádio Tupi ( pertencente a Organização Victor Costa ), era um programa de Chico adaptado e produzido por Luís Orione.

Em meio a todos esses trabalhos, Chico também exercia funções por fora, como a de Compositor e Roteirista. Ao mesmo tempo em que era Destaque no Rádio, fazia enorme sucesso com Composições Musicais. Entre 1956 e 1957, a cantora Dolores Duran foi a que mais gravou canções feitas por Chico e, até hoje, seu Nome é associado ao Dele. Gravou A FIA DE CHICO BRITO ( regravada anos mais tarde por Elis Regina ), ZEFA CANGACEIRA e outros baiões de sucesso escritos por Chico. O LP ESSE NORTE É MINHA SORTE, lançado em 1959, é inteiramente de Baiões compostos por Chico em parceria com Dolores. Em 1956, a parceria com o humorista CHOCOLATE ( Dorival Silva ) eternizou HINO AO MÚSICO, gravada pelo Trio Irakitan. " Aprendi a fazer melodia com o Chocolate. Ele disse : ' Vem botar a letra de uma música aqui, que a gente vai fazer um Sucesso com ela lá na RÁDIO NACIONAL ( áquela altura, a emissora tinha Coligação com a Programação da Mayrink Veiga )! Fomos pro terraço - ele imita os instrumentos - e eu botei a letra. Era HINO AO MÚSICO ( ' Música é Alegria.. ' ).. ( .. ) ..Passou a ser o MEU PREFIXO e o dos meus Programas. Aonde vou tocam essa música, e eu cedi os Direitos ao Gerente da Ordem dos Músicos. ", contou em 2010 no Programa MPBambas, do crítico musical Tárik de Souza.

Também ao mesmo tempo, se dedicava a trabalhos referentes ás CHANCHADAS da ATLÂNTIDA. Em 1955, fez sua primeira Aparição no Cinema em O PRIMO DO CANGACEIRO, filme de Plinio Campos estrelado pelo comediante Antônio Carlos Pires, Sérgio de Oliveira e Zé Trindade, com Argumento de Jota Ruy e Roteiro de Ruy Costa. No mesmo ano, foi Roteirista de SINFONIA CARIOCA e Roteirista e Dialoguista de TRABALHOU BEM, GENIVAL. No Ano seguinte veio GENIVAL É DE MORTE, e foi também colaborador de Haroldo Barbosa como Dialoguista em COLÉGIO DE BROTOS. Outros 6 Filmes estiveram sob responsabilidade de Chico em 1957, outros 4 em 1958, e outros 3 em 1959, tendo ainda participado somente como Ator em EU SOU O TAL, no mesmo ano. Apesar de Chico, ao longo da carreira ( e também em sua Autobiografia ), contabilizar ter escrito ( roteiro, argumento ou diálogo ) de 18 chanchadas, na realidade foram 21, trabalhando SOMENTE COMO ATOR em outras 3, totalizando 24 trabalhos. Sempre disse ter tido arrependimento dos filmes dos quais teve de participar nessa época, não apontando diretamente o motivo, mas, de modo geral, Chico não gostava de Cinema. Ainda assim trazia boas recordações dos tempos das CHANCHADAS : " A Chanchada foi, sem sombra de dúvida, o único formato realmente nosso de fazer cinema. Ninguém no mundo fazia aquele tipo de filme : com uma estória romântica como ' pano de fundo ', a comédia em destaque e, entremeando as duas estórias que seguiam paralelas, os números musicais ( geralmente lançamento das músicas de carnaval ) e a indefectível briga no final, na boate. Era uma fórmula que não precisava variar. Ninguém pensava em mudar. O gol era garantido. A crítica malhava todos os filmes. O nome ' chanchada ' foi colocado de modo altamente depreciativo.. ( .. ) "

- Mais uma chanchada da Atlântida - diziam os jornais, com deboche. "

.." O povo amava esse deboche. As filas eram intermináveis a cada estreia. Escrevi ( roteiro, argumento ou diálogo ) de dezoito chanchadas ( como já mencionado, na realidade foram 21 ! ). " COLÉGIO DE BROTOS, do Haroldo Barbosa, para a Atlântida, teve a minha colaboração nos diálogos. Acho que meu nome não faz parte dos créditos porque Haroldo foi quem me pagou do seu próprio bolso o meu trabalho. Não era importante. Trabalhar com Haroldo era bastante. Era com ele que eu estava aprendendo. Ele me ensinou tudo que sei nesta jogada de escrever diálogos. " Ganhei um bom dinheirinho nesse trabalho de escrever roteiros, argumentos ou diálogos para o cinema. Fiz GAROTA ENXUTA para o Ankito, O BATEDOR DE CARTEIRAS e AGÜENTA O ROJÃO para o Zé Trindade, MINHA SOGRA É DA POLÍCIA para Violeta Ferraz, PEQUENO POR FORA, EU SOU O TAL, HOJE O GALO SOU EU e ENTREI DE GAIATO com Zé Trindade e Dercy Gonçalves.. "

Chico relembrou algumas histórias referentes ás CHANCHADAS ( já postadas NESTE BLOG ! ) " Tenho saudades da chanchada. Ela era quem lançava as músicas que o povo cantaria no carnaval. Cantor que não tivesse sua música incluída numa chanchada, podia esquecer : no carnaval não seria executada. Fiz muitas chanchadas e tenho orgulho de todas elas : A BARONESA TRANSVIADA, com Dercy e Othelo, SINFONIA CARIOCA, com Eliana e Trio Irakitã, RIO FANTASIA, igualmente com o Trio e Eliana, ALEGRIA DE VIVER, com John Herbert e Eva Wilma, TRABALHOU BEM GENIVAL e GENIVAL É DE MORTE, com Ronaldo Lupo e MULHERES Á VISTA, com Zé Trindade. Em todos, ou quase todos, Roberto Silveira estava comigo, como, aliás, está até hoje.. (.. ) "

Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais ) ( @chicoanysiototal