VOCÊ CONHECE CHICO ANYSIO ? - PARTE 21

25/08/2021

Não foi somente O BELO E AS FERAS que sofreu rejeição por parte do Público. Chico Anysio, apesar do Sucesso e Genialidade Incontestável, já passou por alguns embaraços em sua trajetória televisiva, vários deles por culpa do Público. Em 1964, quando saiu repentinamente da TV EXCELSIOR e retornou a TV-RIO, não conseguia de forma alguma atrair o Público, apesar do SUCESSO ESTRONDOSO dos Primórdios do CHICO ANÍSIO SHOW. " Tentei de todos os modos e por todos os lados. Era Derrota em cima de Derrota. Joguei mais de trinta Personagens fora nesta Fase Negra da minha Carreira.. ", contou em sua Autobiografia de 1992. Nem mesmo as tentativas ESTRATÉGICAS funcionaram. Na onda dos TELEGRAMAS, antigo método de Mensagens Urgentes e Confidenciais via CORREIOS, o JORNAL DO BRASIL promoveu uma parceria de Divulgação do CHICO ANÍSIO SHOW. Durante as primeiras Semanas do Mês de Agosto de 1964, o JORNAL DO BRASIL trazia TELEGRAMAS CRIATIVOS de diversos Personagens de Chico Anysio enviando MENSAGENS URGENTES, com Saudações de Chico Anysio. Foi uma forma de Chamar a Atenção das Pessoas e tentar ALAVANCAR a Audiência ( Imagens dos TELEGRAMAS publicados pelo Jornal, já postados neste Blog ! ). Infelizmente, não surtiu Efeito, e logo Chico, á convite de Edson Leite, VOLTOU para a EXCELSIOR, fazendo as Pazes com Carlos Manga, reestreando no TIMES SQUARE e tendo que se mudar para São Paulo, onde a Emissora tinha uma Filiada, e onde CHICO ANÍSIO SHOW passou a ser gravado, dirigido por Daniel Filho.


A Ideia Criativa dos TELEGRAMAS não funcionou, mas, quase 60 Anos depois, se tornaram REGISTROS RAROS que fizeram parte da História artística do MESTRE no meio Midiático.

CHICO CITY, na TV GLOBO, durante os anos 70, era Líder Absoluto durante todo o tempo em que esteve no Ar ( de 1973 a 1980 ). Quando surgiu CHICO TOTAL, em formato diferente, e sendo mensal, não atraiu o Público. " Com a Passagem do meu programa para Mensal, 1981 foi um ano ruim para Mim no Teatro. Nenhum Espetáculo naquele ano teve casa lotada. Houve dias em que foi preferível cancelar a apresentação, de tão pequena a plateia.. (.. ) ..O Programa Mensal esfregou na minha Cara uma Certeza que Eu já tinha : a Televisão é mesmo uma grande Vitrine. Ela é quem faz os cinemas e os teatros lotarem."

Já a segunda Versão de CHICO TOTAL, em 1996, que ia ar Ar todos os Sábados, marcou o Retorno de Chico á tela, após anos caracterizado apenas de PROFº RAIMUNDO, na ESCOLINHA. Apesar do Sucesso e Audiência, sofria com a Disputa acirrada com o humorístico A PRAÇA É NOSSA, que ia ao ar no mesmo horário pelo SBT, mas em nenhum momento apresentou problemas de rejeição ou fracasso de Audiência. Uma certa diminuição na reta final. Nada que abalasse seu Sucesso, mas que fez Chico mudar suas visões a respeito de seu Público e também, sobre a Mídia. Em várias entrevistas, desabafava : " Faço tudo pelo meu Público e Ele não me compreende ", se referindo a um Argumento Absurdo e Contraditório que quase sempre ouvia das pessoas : " Eu tenho mais de 200 personagens e encontro pessoas que me falam : ' Pô, Chico , Sempre os mesmos !, me pedem Mudanças. "

Outras ocasiões de declínio também foram marcantes como a 5 ª temporada do CHICO ANYSIO SHOW pela GLOBO, em 1986 e ESTADOS ANYSIOS DE CHICO CITY, de 1991, considerado por Chico O ÚNICO Fracasso que teve dentro da emissora.

Sobre o primeiro, Chico Anysio chegou a desabafar em sua Autobiografia : " O Programa que Eu mais Gostei de fazer foi o que Mais trabalho me deu e o que Menos Agradou. Inexplicável. Era um CHICO ANYSIO SHOW dirigido pelo Gonzaga Blota ( Falecido em 2017 ) e ambientado, a cada semana, num Cenário ou abordando um Tema. Fizemos programas passados na Favela, no Cangaço, no tempo de Tiradentes, numa Escola de Moças, no Teatro de Revista, etc. Era uma Mão-de-obra incrível. Fiz gravações em Ouro Preto, Maricá, Sepetiba, Floresta da Tijuca, em Favelas e Praias. Gravei em hotéis, em Clubes do Rio, uma loucura. Eu me sentia Pescador. Acordava e logo olhava o Céu, na esperança de um dia bonito, porque a Chuva estragava a gravação. Foi um trabalho bastante difícil, mas muito bonito. Eu recebia textos de quinze Autores, ia para Correias e lá escolhia os que entrariam no Programa, fazendo uma ligação e tornando aquela colcha de retalhos um Programa que DESLIZAVA, com Personagens se Cruzando, etc.. ..Na gravação da Favela fiz 9 Personagens. Subia 103 Degraus para gravar a Cena, e descia os mesmos 103 para MUDAR O TIPO. Foram 927 Degraus que Subi e Desci, debaixo de um Sol Fervente. No Final do Programa Eu apresentava ' Cenas do próximo Programa ', pois trabalhávamos com o adiantamento de dois, o que permita este Luxo. O Trabalho do Blota me Impressionou. Ele sabia tudo de Cor. Muitas vezes dava a impressão de estar gravando a Cena de modo Errado, mas na Cabeça Dele estava a Verdade. No Ano inteiro ( 1986 ) não houve um Único Erro de Enquadração, Continuidade ou Pulo de Eixo.. (.. ) ..Um Gigante o Blota. Um Companheirão. Uma Competência Rara. Poucos Diretores conseguem trabalhar Tanto e Tão rápido.. (.. ) .. Mas o Programa não Funcionou. Nenhum Deles deixou de ser, no mínimo, Muito Bom . O do Cassino e o do Parque de Diversões foram quase OBRAS DE ARTE, mas o Público não queria aquilo. Um Furo na Água. O IBOPE estacionou num número apenas razoável e, no fim do Ano, quando se fez a Pesquisa Habitual, veio o Repudio geral aquele tipo de Programa. O Público queria os QUADRINHOS. Foi uma grande Decepção, já que meu Plano era aproveitar todos os cenários no próximo ano, fazendo Programas Semelhantes. Tive que mudar. Além da Recusa do Público, o Blota saiu do programa, preferindo voltar ás Novelas.. "

EACC começou muito Bem, mas foi perdendo audiência gradualmente e teve de ser Reformulado. Em sua Autobiografia de 1992, Chico discorre sobre o Programa : " Boni aprovou de tal modo a ideia que a Globo gastou 340 mil dólares na construção de uma cidadezinha nos fundos do estúdio do Renato Aragão.. " .." Tim Rescala fez o hino do novo país e os redatores realizaram um trabalho formidável, com textos irretocáveis. Tudo ótimo. Na teoria. Na prática foi desastroso. O primeiro programa - o da independência - foi um grande sucesso. Até a crítica elogiou. O índice do ibope marcou mais de 40 pontos, numa época em que PANTANAL estava no ar e tirava muitos pontos da Globo e quase matava o SBT. No segundo programa - a eleição - o índice caiu para 34. O terceiro - formação do ministério - bateu 29. O quarto - visita do FMI - deu 25 e o quinto atingiu 19. O público não estava entendendo. Eu cometia o mesmo erro que condenara na TV PIRATA. Não adiantava fazer um programa sobre moratória se ninguém sabia o que isso significava.. "

Chico Anysio já tinha cinco programas PRONTOS e GRAVADOS, quando decidiu procurar Boni : " O programa não está funcionando. Ninguém está entendendo. Ele está saindo elitizado e fora do entendimento popular. Não é isso que o povo quer.. "

" Era a Segunda vez que eu cometia esse erro. No show de teatro CHICO SET já tentara mudar uma coisa a que o público estava habituado.. ..e o erro se tornava maior porque há um ano eu havia alertado para isso em relação á TV PIRATA. "

Foi quando decidiram reformular o programa para o habitual do que Chico sempre fazia : quadrinho, quadrinho, quadrinho..

Chico jogou fora os cinco programas já gravados, e começou os trabalhos de REGRAVAÇÃO de TUDO : " Quase cheguei á exaustão. Cancelei dezenas de shows e consegui dias extras para dar tempo de gravar o necessário. Fiz voltar o Alberto Roberto e outros personagens que estavam fora do programa.. .. O Ibope começou a reagir.. ..O último do ano deu 46 pontos.. ..o que prova que consertei o erro.. A inclusão do kenny Rocha, um personagem country que criei com a valiosíssima colaboração do Carlos Manga, ajudou muito na reta final do ano. "

EACC conseguiu se recuperar no ibope, mas se perdeu da proposta inicial, por Rejeição do público que, a Meu Ver, pura Preguiça da INTELIGÊNCIA SATÍRICA em troca da COMÉDIA POPULAR. JUSTO VERÍSSIMO, ROMERO GORDI e JOÃO NINGUÉM DA SILVA fizeram com que o programa não perdesse totalmente a IDENTIDADE.

Com uma equipe de 12 redatores, redação final de Roberto Silveira e Eduardo Sidney e direção de Cininha de Paula, Cassiano Filho e Paulo Ghelly, o programa totalizou 32 Episódios.

Particularmente, sempre coloco a culpa do Fracasso do Programa NO PÚBLICO. O PÚBLICO FOI O CULPADO pelo FRACASSO, não O FORMATO do Programa, que, segundo o Chico, na época, as pessoas não estavam entendendo.. Muita gente estava entendendo, SIM ( independente de classe social ou grau de intelectualidade ) toda aquela Satirização Política, que era ÓTIMA e teria ficado MELHOR se tivesse continuidade ! Não estavam eram GOSTANDO daquilo, porque a maioria das pessoas são muito cômodas, se acostumam com uma coisa, e não querem mudanças, não abrem espaço para elas, ou raciocinar sobre elas.. daí o Chico ter Voltado com os costumeiros " quadrinhos ".

Os cenários da novela QUE REI SOU EU ? seriam reaproveitados para as gravações do programa, mas Boni preferiu utilizar o estúdio de Renato Aragão. O Popular ALBERTO ROBERTO ressurgiu em um quadro onde, semanalmente, recebia um convidado especial para fazerem uma cena, dirigida por Da Júlia ( Lúcio Mauro ), onde no final, logicamente, a gravação não saía, devido ás gafes e bobagens do " galã ", que faziam os convidados perderem a paciência e abandonarem o Script.. Fábio Jr., Cláudia Raia, Susana Vieira, Raimundo Fagner, Isabela Garcia, Eva Todor, entre outros nomes participaram do quadro, que passou a Abrir o programa, estrategicamente garantindo a audiência.

De oito a nove personagens se revezavam nos quadros ( além de Alberto Roberto e Justo Veríssimo, os de maior aparição foram SANTELMO, JOVEM, HILÁRIO e POPÓ ), em uma sequencia semanal muitas vezes cansativa, mas que, por outro lado, facilitava o trabalho de Chico Anysio, evitando o acúmulo de cenas, de textos decorados e de trocas de figurinos. Naquela época, além de Chico ter continuado normalmente com a ESCOLINHA DO PROF. RAIMUNDO e com as viagens de shows pelo país, ainda exercia o cargo de Supervisor de Criação do programa OS TRAPALHÕES.

Em Novembro de 1991 Chico já havia iniciado um relacionamento com a ministra Zélia Cardoso, fato que, além de ter mexido com a imprensa e com a opinião pública, ( somado ao desgaste do trabalho ) tornou a conotação política e a permanência do programa no ar desnecessárias. O Programa saiu do ar em 11/12 daquele mesmo ano.

Foi reprisado entre Abril e Dezembro de 2017 pelo CANAL VIVA e reprisado novamente, sem espaço de tempo, de Dezembro de 2017 a Agosto de 2018, sem grandes repercussões.


Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais ) ( @chicoanysiototal )