VOCÊ CONHECE CHICO ANYSIO ? - PARTE 24

28/08/2021

São INCONTÁVEIS os trabalhos de Chico Anysio como Redator em Programas de Rádio e Televisão. Nos tempos de Rádio, houve períodos em que chegou a ser responsável pelos Textos de 13 Programas, além da função de Rádio-Ator ( Vejam ou Revejam em >> https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-e-a-era-do-radio/ ). Já na Era da Televisão, chegou a trabalhar em emissoras diferentes Simultaneamente ( no início dos anos 60 não existia Contratos de Exclusividade ). Na TV GLOBO, participava da equipe de Redatores de seus próprios Programas e era o SUPERVISOR DE CRIAÇÃO. Chegou também a escrever alguns Especiais para a Emissora ( Vejam ou revejam em >> https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-na-tv-globo-muito-mais-que-comediante/). Fazia Textos para seus Shows e Espetáculos de Humor ( sozinho ou em parcerias ) e, no TEATRO, foi Autor de 7 Peças e responsável pelo Texto/Roteiro de 4 ( Vejam ou Revejam em >> https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-e-o-teatro/).

Como já visto em textos anteriores, Estreou como Cronista em 1968, na extinta Revista REALIDADE, da Editora Abril. Em 1969 passou a ser um dos Cronistas do Jornal O PASQUIM, que entrou para a História por suas Publicações Políticas e Satíricas em plena época de CENSURA ( Vejam ou Revejam em >> https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-o-cronista/). Também trabalhou brevemente na extinta revista MANCHETE, da editora Bloch, nos anos 70, onde escrevia Textos/Frases/Pensamentos rápidos na Coluna LEITURA DINÂMICA, junto com várias outras Personalidades.


Foram 21 Trabalhos no período das CHANCHADAS, seja Argumento, Roteiro ou Diálogo ( Vejam ou Revejam em >>https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-e-as-chanchadas/ ) e mais de 300 Canções escritas desde os Anos 50 até seus últimos Anos de Vida, gravadas por diversos Nomes Importantes da Música Brasileira. ( Vejam ou Revejam em >> https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-o-compositor/).

Como Autor/Escritor, foram Autor de 24 Livros ao Longo da Carreira, entre Contos, Romances, Obras inspiradas em Personagens, Histórias diversas e sua Própria Biografia feita em 1991, lançada pela Editora ROCCO em 1992. ( O Livro É MENTIRA, CHICO ? ( CÓPIA da CAPA do Livro É MENTIRA, TERTA ?, de 1973 ), lançado em 2007, foi uma Parceria com o Cartunista Ziraldo, onde Chico relatou as histórias de Criação de 80 de seus Principais Personagens, com Desenhos de Ziraldo e outros 40 Cartunistas ).

Além disso tudo, as Carreiras de PINTOR, COMENTARISTA ESPORTIVO e, em algumas Ocasiões, DIRETOR.

Apesar dos INÚMEROS Shows e Espetáculos de Chico Anysio em diversos Clubes, Casas de Shows e Teatros, o TEATRO, propriamente Dito, poucas vezes fez parte da Carreira do Mestre, a não ser pela Funções de AUTOR, PRODUTOR ou DIRETOR ( Vejam ou Revejam em >> https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-o-diretor/ )

No que se refere a ENCENAR Peças Teatrais, Chico se Aventurou apenas duas Vezes ( as Duas sem Sucesso ! ). CHICO SET já foi relembrado nos testos deste Projeto. O BELO E AS FERAS, de 1967, foi o primeiro Espetáculo Teatral Efetivo do MESTRE. Com Direção de Walter Avancini, apesar de Criativo, Bem Montado e do Perfeccionismo exigido durante as Apresentações, acabou não Bem-Sucedido.

Quando foi fazer a peça teatral O BELO E AS FERAS, Chico também passou por momentos caóticos, mas, naquela ocasião, não teve salvação : " Eu e seis mulheres. O Walter Avancini dirigiu. Ficou muito bom, o Avancini é um diretor excepcional. Tudo o que ele faz, faz bem-feito. Exigente demais, mas o resultado é altamente compensador. Eu saí com o espetáculo para uma excursão pelo nordeste. Lotamos todas as casas, mas não havia noite sem uma briga no elenco, sem uma reclamação, sem uma aporrinhação. Na volta ao Rio mudei o elenco inteiro para o Sul, mantendo apenas a Zélia Hoffmann, que fazia o papel de Maria Tereza e era insubstituível, além de ser a única a não dar o menor trabalho. Avancini reensaiou o novo elenco e parti para o Sul. Parecia que nada tinha mudado. As mesmas reclamações, querelas, bate-bocas.

- Por que fulana tem mais falas que eu ?

- Não sei. Aconteceu.

- Eu tenho que ter mais falas que ela, porque sou melhor.

- Não estamos aqui medindo quem é melhor ou pior.

- Mas eu sou melhor, tenho que falar mais .

- Vou providenciar.

E arranjava uma fala a mais para a que havia reclamado.

- Por que fulana está falando mais ?

- Não sei. Achei bom acrescentar aquela fala.

- Mas assim ela está falando mais do que eu !

Era um pé. Ninguém queria entrar em cena primeiro, todas queriam ser apresentadas por último, ninguém queria dividir camarim com ninguém. Em Porto Alegre, no TEATRO LEOPOLDINA, o pote encheu :

- Obrigado, foi ótimo ter trabalhado com vocês, muito agradecido, vocês são lindas, eu fico gratíssimo, tudo bem, mas Adeus ! O espetáculo acabou hoje. Aqui estão as passagens de volta. O avião sai amanhã ás sete e meia.

" Mandei mudar o letreiro, fiz um comercial para a televisão e, na noite seguinte, já estava fazendo novamente o meu show sozinho, onde ninguém reclamava se eu falava mais ou menos ou se entrava naquela hora ou se a luz apagava depois da minha fala. "

No que se Refere a Trabalhos como AUTOR, PRODUTOR e DIRETOR, Chico se DESTACOU Várias Vezes.

Em 1970, Chico Anysio foi, em parceria com Wilton Franco, o Produtor do Espetáculo AS LIBÉLULAS DESLUMBRADAS, protagonizado por Carlos Imperial ( produtor artístico de grande sucesso nos anos 60 e 70, responsável pelo início de carreira de grandes ícones, como Roberto e Erasmo Carlos ) e Clóvis Bornay ( famoso carnavalesco, falecido em 2005 ).

Em 1979, Chico levou para os Palcos um Assunto até então TABU na época : HOMOSSEXUALIDADE. A Peça SOU, MAS QUEM NÃO É, escrita por encomenda para Nestor Montemar, abordava HOMOSSEXUALISMO e SOLIDÃO. " Há mais de quinze anos eu já esboçara a ideia dessa comédia. Quando Nestor me procurou, minha única preocupação foi encontrar tempo para escrever o Texto.. (.. ) .. Eu tinha pensado em escrever sobre a solidão de um homossexual desde o dia em que um amigo meu, comentando o nascimento do meu filho, observou : ' Daqui a pouco você vai estar com mais filhos e netos. E Eu ? Sei que vou morrer sozinho. ' Aquilo me tocou muito, particularmente ao lembrar do desabafo do meu amigo quando ele morreu. Como toda comédia, esta tem um fundo trágico. "

A Peça se tornou uma Matéria Especial Publicada pela extinta Revista MANCHETE, que trouxe relatos de Chico, e o AVANT-PREMIÉRE da Peça, com o Perfil de cada Personagem e Diálogos de Cada quadro/bloco da Peça, que, além de Montemar, tinha os atores Júlio Braga, Ivan Cândido e Milton Carneiro, sob direção de Paulo Afonso Grisolli. ( Vejam ou Revejam em >>https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-reportagens-e-entrevistas-raras-anos-70-e-80/).

Em 1980, foi responsável por FILHA DA.. , peça escrita por Ele e que tinha Alcione Mazzeo como Protagonista. Recém-separados ( foram Casados de 1975 a 1979 ), continuaram a Amizade e a Parceria Profissional. " Quero que todos saibam que esta Peça não foi escrita para mim.. (.. ).. quando Chico começou escrever FILHA DA.., ainda estávamos casados e eu fiquei conhecendo o Texto. Sua ideia inicial era dar o papel para a Elisângela, que, por compromissos Profissionais, não pôde aceitar o Convite. Como a produção me convidou, aceitei representar a Leontina, filha da atriz Yolanda Cardoso, que na Peça, é uma ex-prostituta ( daí o nome da peça ), vivendo há vinte anos com um Malandro inveterado ( representado por Lutero Luís ) ", contou Alcione em matéria da extinta Revista AMIGA, da editora Bloch. Na mesma Reportagem, Chico Declarou : " Minha Intenção ao escrever a Peça foi apenas Homenagear a Prostituta. Não Visava nenhuma mulher em Especial. " A Peça ficou em Cartaz no TEATRO VANUCCI ( RJ ) e teve RELEITURA nos Anos 90, encenada por Elenco diferente.

Em 1992, foi o Autor de SALAMÊ MINGÜE, Peça Teatral a qual dedicou á Maria Clara Machado ( famosa Autora de Peças Infantis e Fundadora do Teatro Tablado - RJ ). Duda Little ( famosa no programa OS TRAPALHÕES ), á época com 13 anos, era a Protagonista e fazia o Papel de uma menina que se envolve com meninos de rua e decide abandonar a família. Chico Anysio havia escrito a Peça 17 anos antes e somente em 1992 entrou em cartaz no TEATRO CLARA NUNES ( SP ). Com a Peça, Chico tinha o objetivo de atingir os Pais para que Prestassem Atenção e Amassem mais seus Filhos.

Em 1995, Chico foi Diretor de uma das Peças Teatrais de maior Sucesso da Comediante Fafy Siqueira, FAFY SE QUEIRA, OU NÃO QUEIRA, peça Escrita por Ele próprio, e que chegou a ter Outra Versão com o mesmo Nome. Anos mais tarde, voltou a dirigi-la no teatro com o Show de Stand-Up DÓ-RÉ-MI-FAFY. Ainda em 1995, dirigiu o filho Nizo Neto e outros atores na Peça TV SÁTIRA.

Chico Anysio foi AUTOR das Peças A SEMPRE VIVA, de 1957, estrelada por Dercy Gonçalves, AME UM GORDO ANTES QUE ELE ACABE, de 1973, estrelado por Jô Soares, PAPO FURADO, de 1980, A FILHA DA..., de 1980, SALAMÊ MINGÜE, de 1993, ESTRANHOS CASAIS, de 1998 e HÁ UM HOMEM NA MINHA CASA, de 2007

Foi DIRETOR das Peças :

AS AVENTURAS DO SEU BONECO - 1994

É BOM E EU GOSTCHO, UMA COMÉDIA DE TOTAL CONFIANÇA - 1994

FAFY SIQUEIRA OU NÃO QUEIRA - 1994

TV SÁTIRA, SUA TELEVISÃO PRIVADA - 1995

FAFY SIQUEIRA OU NÃO QUEIRA 2 - 2000

O SORRISO DO LARGATO ( escrito Desse Jeito Mesmo, não LAGARTO !! ) - 2002

RUA FELIZ LEMBRANÇA - 2002

OS EXCULAXADOS - 2010

Foi responsável pelos TEXTOS das Peças :

- SOU, MAS QUEM NÃO É? - 1979

- TRÊS É MELHOR - 1990

- FAFY SIQUEIRA OU NÃO QUEIRA - 1994

- HÁ UM HOMEM NA MINHA CASA - 2007

Chico Anysio ainda teve Participações apenas em VOZ nas Peças A CAMA COM TUDO EM CIMA, de 1980 e HERMANOTEU NA TERRA DE GODAH, de 2004.

Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais ) ( @chicoanysiototal )