VOCÊ CONHECE CHICO ANYSIO ? - PARTE 27

02/09/2021

Chico Anysio também foi destaque em Revistas Masculinas ao longo da Carreira. Assim como foi Colaborador de algumas delas também. O CRIME PERFEITO, um dos Contos de Chico Anysio pertencente ao livro FEIJOADA NO COPA, foi publicado em PRIMEIRA MÃO pela 5 ª Edição da extinta Revista HOMEM ( versão brasileira da PLAYBOY ), de 1975, meses antes do livro ser Lançado. CARAPAU, o primeiro ROMANCE de Chico , de 1978, teve TRECHOS publicados com Exclusividade antes de seu Lançamento, em Abril de 1977, na Edição 21 da mesma Revista.

HOMEM nada mais era do que a Versão Brasileira da PLAYBOY, pela editora Abril, durante seus primeiros Anos, que publicava Conteúdos Licenciados da Revista Original e também produzia Matérias e Ensaios próprios. Posteriormente, passou a carregar a Marca PLAYBOY efetivamente. A Primeira Entrevista de Chico Anysio para HOMEM foi em 1977.

Em Agosto de 1977, a extinta revista HOMEM comemorava 2 ANOS no Brasil, e em sua Edição daquele Mês trouxe, entre outros Destaques, uma Entrevista Longuíssima com Chico Anysio ( 8 Páginas + ILUSTRAÇÃO/DESENHO Especial de Roberto Negreiros ). Chico foi entrevistado pelo Cartunista Ziraldo, por Zuenir Ventura, que na época era repórter da VEJA e pelo Jornalista Fernando Pessoa Ferreira, da Equipe de HOMEM ( Já Postado neste Blog na Íntegra em >> https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-entrevistado-na-revista-homem-agosto-de-1977/ ).


Somente 10 Anos depois seria entrevistado novamente para a PLAYBOY. Chico concedeu Entrevista á Jornalista Norma Couri, que rendeu uma CONVERSA HISTÓRICA publicada na Edição 148 da extinta Versão brasileira da Revista Masculina PLAYBOY, da editora Abril. Norma, na época, teve de batalhar muito para conseguir entrevistar Chico. " Chico, por ser muitos, nunca está por onde passou um minuto antes. Foi um exaustivo trabalho, que se transforma em sombra e água fresca depois de lida a entrevista, feita em menos de cinco horas ( entrecortadas ) pela repórter especial Norma Couri " dizia a Introdução da Matéria, onde a Repórter Norma Desabafou :

" Nenhum dos Truques aplicados nos entrevistados anteriormente deu certo. Chico conhecia todos. Cancelou telefonemas ou mensagens para o hotel em São Paulo, onde se instalava todas as semanas de Quinta a Domingo para apresentar seu show no PALACE. Contratou assessores incomunicáveis. Acabei assistindo Chico da plateia e fisguei-o no camarim. "

" Cheguei a conclusão de que Chico foge tanto porque é Sedutor demais. Olho no Olho, não seria deselegante com ninguém. Topou a entrevista no dia seguinte, duas horas antes do show. Chegou uma hora atrasado, mas compensou essa falha abrindo todas as portas, dando passagem, puxando a cadeira do camarim, encomendando salgadinhos, papeando antes de dar início á entrevista. Pouco mais de meia hora depois, soou a sineta. Era o toque de recolher "

" No dia seguinte a situação se repetiu. E, pelos meus cálculos, a entrevista terminaria só no ano que vem. Mas acho que Chico desconfiou e cancelou a temporada paulistana. "

" Fui encontrá-lo no Rio de Janeiro, na casa de São Conrado. Por sorte a casa estava em reforma - porém com todas as coisas de Chico em ordem - e pude entrar sem causar suspeitas aos operários. Encontrei um cavalete, cinco dúzias de pincéis arrumados, mais de cem tubos de tintas, quadros com paisagens de cidades históricas brasileiras espalhados pelas paredes e centenas de pastas empilhadas em um canto com os nomes : Popó, Professor Raimundo, Coronel Limoeiro, Qüem-Qüem, Tim Tones, Coalhada, Justo Veríssimo... "

" Chico chegou e teve a surpresa. Vinha para pintar, encontrou o que mais temia : Jornalista no pedaço. Mas jornalista de mala, recém-chegada de São Paulo. E eu já sabia - Chico é um cavalheiro. Gentilíssimo, nem alto nem baixo, nem magro nem gordo, nem feio nem bonito, tornou-se apaixonante. Entabulou conversa de quase duas horas, aparentemente esquecido de que havia um gravador ligado. "

" Depois me conduziu em seu Monza preto, aumentado quase como uma limusine, ao apartamento onde mora temporariamente na praia de São Conrado. "

" Fica num conjunto de prédios que o carioca habituou-se a chamar de A GAIOLA DAS LOUCAS. Porque nele convivem pacificamente o ex-presidente João Figueiredo, a cantora Gal Costa, o todo-poderoso da Rede Globo José Bonifácio de Oliveira Sobrinho ( Boni ), além do filho do Dr. Roberto Marinho, João Roberto, e Gilberto Gil. Uma festa global nacional. "

" Foi aí que o Chico saiu de circuito por um mês. Fui desembocar no estúdio TYCON, na Barra da Tijuca, onde grava seus quadros para o CHICO ANYSIO SHOW. Mas o Chico, não vi. Vi a Neide Taubaté, o Painho, o vampiro Bento Carneiro. Como eles não me conheciam, não falaram comigo. Ao virar Ele Mesmo, Chico fugiu em menos de três minutos do estúdio, onde estava desde o começo da tarde, e já passava das 8 da Noite. "

" Só voltei a encontrá-lo em Bauru, interior de São Paulo, onde esticava sua temporada de shows. Ali, assistindo ao show pela terceira vez - cada vez melhor ! - fui literalmente dispensada. Chico sugeriu :

- Olha, fazemos um Trato : Você entrevista a Neusinha Brizola e Eu Poso Nu, está bem ? Porque, se eu tivesse esse tempo todo que você quer, escreveria mais um livro.

" Assim mesmo conduziu-me ao camarim, que trouxe do Rio de Janeiro, - incluindo o banheiro desmontável, os espelhos, a cadeira confortável onde me sentei - junto com o palco e o famoso cenário só com o banquinho, em cima do qual ele se torna o rei da noite. "

" Foi ali que consegui o que faltava, atingindo com uma flechada certeira o peito do cavalheiro Chico: contei que havia feito uma viagem péssima de São Paulo a Bauru. Num certo momento, o avião começou a balançar tanto que todos os passageiros se puseram a rezar em conjunto, temendo a Morte. ' A minha causa mortis ia ser o Chico Anysio ', avisei.

" Quando a plateia de 800 lugares repletos do BAURU TÊNIS CLUBE aplaudiu Chico de pé, apesar dos 109 Palavrões que recheiam sua hora de show, lembrei-me das palavras de Jô Soares : ' Chico é a pessoa mais generosa que conheço '. E do irmão Zelito : Com seu primeiro salário, aos 16 anos, Chico comprou minha primeira bicicleta, e não posso esquecer que ele Apanhava em meu lugar quando eu quebrava os vasos lá de casa. "

" Tenho a impressão de que foi por generosidade - solidário com a minha aventura aérea em pleno Dia da Pátria - que Chico Anysio resolveu conceder a parte final da entrevista mais Genial dos últimos Meses. " ( Conversa com Chico Anysio na Íntegra já Postada por este Blog em >> https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-entrevistado-pela-revista-playboy-1987-conversa-na-integra/ ).

A Competidora em vendas com a PLAYBOY, desde os Anos 70 era a extinta ELE E ELA, da Editora Bloch, onde Chico também deixou passagens Marcantes através de Entrevistas. Em Julho de 1978 concedeu uma de suas Históricas Entrevistas. Em uma Conversa com o famoso Cronista e Jornalista Ártur da Távola, Léo Borges Ramos e João Luíz de Albuquerque, mediada pela Repórter e Fotógrafa Isabel Garcia, Chico falou ( com sua habitual Franqueza ) sobre Trabalho, Mulheres e, claro, o Tema Central da Revista : Sexo ! ( Postada na Íntegra por este Blog em >> https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-entrevistado-pela-revista-ele-ela-1978-conversa-na-integra/ ).

Quase 30 Anos depois da Histórica Entrevista o MESTRE Retorna ás Páginas da Revista se Despedindo do Brasil ( Agosto de 1997 ), em Conversa com os Jornalistas Antonio Carlos Lisboa e Luiz Bello. ( Postada por este Blog em >> https://www.memorial-chico-anysio.com.br/l/chico-anysio-na-revista-ele-ela-agosto-de-1997/

Chico Anysio ainda foi Colaborador da extinta Revista STATUS, de 1979 a 1981, onde eram Publicados CONTOS do Personagem CLEÓFAS, criado para o Livro O TELEFONE AMARELO.

Kerley Fernandes Salguero, ( fã, admiradora e idealizadora de conteúdo para projetos virtuais ) ( @chicoanysiototal )